Voltar ao Início

Resultados de Busca em Day: fevereiro 10, 2022

para os Clientes da Oi: veja qual será sua futura operadora

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a venda da Oi para a aliança formada pelas operadoras Claro, TIM e Telefônica (dona da Vivo) .Os clientes da Oi já podem verificar a sua nova operadora. Veja abaixo.A Claro herdou 27 DDDs. São eles: 13, 14, 15, 17, 18, 27, 28, 31, 33, 34, 35, 37, 38, 43, 44, 45, 46, 47, 48, 49, 71, 74, 77, 79, 87, 91 e 92.A Vivo ficou com 11 DDDs. São eles: 12, 41, 42, 81, 82, 83, 84, 85, 86, 88 e 98.A TIM ficou com 29 DDDs. São eles: 11, 16, 19, 21, 22, 24, 32, 51, 53, 54, 55, 61, 62, 63, 64, 65, 66, 67, 68, 69, 73, 75, 89, 93, 94, 95, 96, 97 e 99. Por determinação da Anatel, prevista antes do acordo, o usuário que não quiser ficar com a operadora pode fazer a migração sem custo. Autorização, mas com remédiosA autorização da venda, contudo, foi condicionada à adoção de “remédios”, isto é, medidas que buscam reduzir a possibilidade de concentração de mercado e, assim, garantir a competição. As medidas foram estabelecidas por meio de um Acordo em Controle de Concentrações (ACC), que prevê, entre outros pontos: alugar parte do espectro da Oi a outras operadoras; oferta pública de venda de parte das estações radiobases da Oi; oferta de roaming de voz, dados e mensagens para outras operadoras;As compradoras terão de fazer as ofertas e alugar o espectro antes de a compra ser concluída, segundo decisão do tribunal do Cade. As operadoras queriam cumprir as medidas após a conclusão da operação.

Saiba mais »

Total de testes de Covid e índice de positivos caem na 1ª semana de fevereiro

O número de exames para a Covid-19 registrados na primeira semana de fevereiro caiu 28% quando comparado com o total de exames realizados nos últimos dias de janeiro.Os dados são da Abramed (Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica), que consolida o número de exames feitos em laboratórios associados.De acordo com a associação, a taxa de positividade também recuou de 60% para 50%. Os laboratórios ligados à Abramed já realizaram mais de 1,7 milhão de exames para Covid-19 em todo o país somente este ano.Na última semana, a Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) também divulgou que o número de testes positivos registrados na última semana de janeiro recuou pela primeira vez desde novembro (15,7%).Vacinação mudou perfil de internadosPesquisadores da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp), no interior de São Paulo, constataram que a vacinação contra a Covid-19 reduziu o risco de internação e mortes pela doença mesmo em pacientes que tinham várias comorbidades, como problemas de coração e diabetes.Entre os vacinados, apenas a idade acima de 60 anos e a doença renal permaneceram como fatores de risco. Maioria das mortes por Covid na atual fase é de quem não tomou vacina, indicam dados de estadosJá problemas de saúde como os de coração, fígado, neurológicos, diabetes ou comprometimento imunológico foram relacionados a um risco maior de internação pela Covid apenas para os não vacinados.

Saiba mais »

Antes de revanche com Whittaker, Adesanya assina acordo com o UFC

Na semana em que defende pela quarta vez o cinturão peso-médio (até 84kg), diante de Robert Whittaker, no UFC 271, em Houston, Israel Adesanya assinou um novo contrato com o Ultimate. A Paradigm Sports, empresa que gerencia a carreira do lutador nigeriano, anunciou o novo acordo com múltiplas lutas nesta última quarta-feira. Estamos muito felizes com os termos do novo acordo de Israel com o UFC. Israel realmente merece estar na posição em que está, e esperamos vários anos mais prósperos com o UFC – disse o empresário de Adesanya, Tim Simpson, em comunicado.Ainda de acordo a equipe, o novo contrato de Adesanya é “um dos mais lucrativos acordos de múltiplas lutas da história da empresa”, o que o tornará “um dos atletas mais bem pagos da história das artes marciais mistas”. Adesanya tem hoje um cartel com 21 vitórias e apenas uma derrota – essa quando se aventurou a lutar pelo cinturão meio-pesado no ano passado e perdeu para Jan Blachowicz.A notícia de um novo acordo entre Adesanya e o UFC chega depois de uma longa negociação, em que o nigeriano radicado na Nova Zelândia chegou a aceitar a revanche com Whittaker, mas sem assinar o acordo mesmo com o duelo anunciado.

Saiba mais »
pt_BRPortuguese