Voltar ao Início

Você está em:

2º turno: Lula e Bolsonaro iniciam viagens ao Nordeste

A eleição de 1º turno terminou com vantagem de Lula nos nove estados que compõe a região
Amanda Omura

Amanda Omura

Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL) iniciam nesta semana as viagens de campanha do 2º turno ao Nordeste. No 1º turno, o petista venceu na região.

Os dois candidatos visitaram o Nordeste durante o primeiro turno, mas ainda não haviam feito campanha na região desde 2 de outubro.

Até aqui, durante a campanha do 2º turno, Lula só havia feito atos de campanha em estados do Sudeste (São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro). Bolsonaro, por sua vez, foi ao Norte (Pará), Sudeste (Minas Gerais e São Paulo) e Sul (Santa Catarina e Rio Grande do Sul) – além de cumprir agendas em Brasília.

Lula teve primeira agenda na Bahia na quarta-feira (12), dez dias depois do início oficial da campanha de 2º turno e, nesta quinta-feira (13) vai a Alagoas e Sergipe.

Bolsonaro inicia suas viagens pela região com uma visita a Pernambuco nesta quinta-feira.

O atual presidente fará reunião com lideranças cristãs em um hotel e, depois, fará discurso para prefeitos e lideranças políticas no centro de Recife.

Nesta quinta, a agenda do petista ao longo do dia inclui agendas com grupos de bancários tanto em Sergipe quanto Alagoas. Depois dos encontros, Lula fará caminhadas com a população em Aracaju e Maceió.

A eleição de 1º turno terminou com vantagem de Lula nos nove estados que compõe a região: 21,7 milhões de votos, contra 8,7 milhões de Jair Bolsonaro.

A vantagem do petista foi a maior entre os dois em todas as cinco regiões do país, ao obter mais de 60% dos votos nordestinos - também venceu no Norte, por curta vantagem.

Bolsonaro teve mais votos que o petista no Sudeste (23.470.529), no Sul (9.568.041) e no Centro-Oeste (4.727.672), que, juntos, somaram 37,7 milhões de votos.

Lula, entretanto, terminou o primeiro turno em primeiro lugar, com 57.259.504 votos e Bolsonaro, em segundo, com 51.072.345 votos – somadas todas as regiões.

Os presidenciáveis concentram agendas de campanha no início do 2º turno em estados considerados chave para a votação no dia 30 de outubro.

Posts Relacionados

Toffoli cobra dados sobre atuação da Transparência Internacional na Lava Jato

Toffoli cobra dados sobre atuação da Transparência Internacional na Lava Jato

Ministro do STF diz ser preciso investigar se recursos públicos foram parar na ONG, que nega recebimento

Lula chama evento com Tarcísio em SP de ‘ato civilizatório’, e diz que dará ‘todo apoio’

Lula chama evento com Tarcísio em SP de ‘ato civilizatório’, e diz que dará ‘todo apoio’

Presidente e governador participaram de cerimônia sobre construção de túnel entre Santos e Guarujá

Bolsonaro pode ter recebido informações da Abin após ex-presidente deixar o cargo

Bolsonaro pode ter recebido informações da Abin após ex-presidente deixar o cargo

A suspeita é de que assessores de Carlos Bolsonaro pediam informações para o ex-diretor da Abin, Alexandre Ramagem

Governo estuda prorrogar GLO em portos e aeroportos por 6 meses

Governo estuda prorrogar GLO em portos e aeroportos por 6 meses

As Forças Armadas ganharam poder de polícia nos aeroportos, e nos portos a Marinha passou a monitorar os acessos

Lula conversa com presidente do Equador e oferece ajuda em crise de segurança

Lula conversa com presidente do Equador e oferece ajuda em crise de segurança

Há preocupação no Palácio do Planalto de que a escalada da violência atinja brasileiros que vivem no Equador

CGU conclui que é falso registro de que Bolsonaro teria se vacinado contra a Covid

CGU conclui que é falso registro de que Bolsonaro teria se vacinado contra a Covid

De acordo com a Controladoria, os resultados serão encaminhados às autoridades do estado e do município de São Paulo

Isenção fiscal para líderes religiosos tiraR$ 300 milhões dos cofres públicos

Isenção fiscal para líderes religiosos tiraR$ 300 milhões dos cofres públicos

Suspensão da regra que desonerava líderes religiosos abriu novo capítulo de desgaste com equipe econômica

G20 terá grupo de Empoderamento Feminino para discutir igualdade e misoginia

G20 terá grupo de Empoderamento Feminino para discutir igualdade e misoginia

Como Brasil preside grupo de países, debates serão coordenados pela ministra das Mulheres, Cida Gonçalves

pt_BRPortuguese