Voltar ao Início

Você está em:

Advogados de Trump pedem demissão após 2ª vez

Jim Trusty e John Rowley faziam parte da defesa de Donald Trump no processo por suposta apropriação indevida de documentos secretos
Amanda Omura

Amanda Omura

Dois advogados que representam o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump se demitiram nesta sexta-feira (9) do cargo.

A demissão ocorre horas depois de Trump ser acusado formalmente e virar réu por suposta retenção ilegal de documentos confidenciais da Casa Branca em sua residência de Mar-a-Lago, na Flórida, além de obstrução de Justiça e outros crimes.
"Esta manhã, apresentamos nossas renúncias como advogados do presidente Trump e não o representaremos mais no caso indiciado ou na investigação de 6 de janeiro", afirmam os advogados Jim Trusty e John r, em declaração conjunta.

No comunicado, Trusty e Rowley não divulgaram os motivos de terem deixado o cargo.

Pelas redes sociais, Trump disse que será representando pelo advogado Todd Blanche. Na terça-feira 13), o ex-presidente norte-americano deve comparecer a um tribunal federal em Miami para ouvir formalmente de um juiz que virou réu no caso e as sete acusações contra ele.
Juíza já decidiu a favor de Trump
Também nesta sexta-feira, a juíza Aileen Cannon foi designada para conduzir o processo contra Trump por suposta apropriação de documentos secretos oficiais. A notícia chamou a atenção nos Estados Unidos porque, no ano passado, Cannon já havia julgado um caso envolvendo Trump e decidiu a favor do ex-presidente.
Trump é o primeiro ex-presidente dos Estados Unidos a virar réu em um processo, e é acusado no momento em que pesquisas o apontam como favorito para concorrer às eleições presidenciais dos EUA de 2024 pelo Partido Republicano.

Duplo julgamento
O duplo indiciamento não inviabiliza a candidatura de Trump; ao contrário, fornece ingredientes mais picantes à disputa.

A começar pelos concorrentes republicanos, que no primeiro momento se uniram e somaram esforços em torno do ex-presidente e denunciaram a motivação política das acusações coordenadas pelo Departamento de Justiça.

Posts Relacionados

Tribunal dos EUA nega imunidade a Donald Trump

Tribunal dos EUA nega imunidade a Donald Trump

Corte de Apelações rejeitou pedido de advogados do ex-presidente de que ele gozava de proteção legal porque era presidente à época

El Salvador se consolida como regime de partido único

El Salvador se consolida como regime de partido único

Apesar da alta popularidade, presidente concentra poderes e anuncia a pulverização da oposição, com controle de 58 das 60 cadeiras

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

Mark Zuckerberg pediu desculpas a familiares de crianças e adolescentes afetadas por conteúdos de exploração sexual infantil

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores pressionam governo para recuperar danos causados pela inflação e a guerra, além de políticas prejudiciais ao setor

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Ato foi convocado pela maior central sindical do país e tem adesão de funcionários de bancos, comércio, setor bancário e caminhoneiros

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Única desafiante ao ex-presidente na disputa republicana, ex-embaixadora da ONU passa a criticá-lo, para tentar reduzir a vantagem dele

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Nesta semana, Paquistão disse que bombardeou base de grupo separatista em território iraniano, um dia após dizer ter sido atacado Irã

Otan convoca 90 mil soldados para exercício militar

Otan convoca 90 mil soldados para exercício militar

Aliança militar do Ocidente convoca 90 mil soldados de países membros e da Suécia para primeiro exercício militar de 2024

pt_BRPortuguese