Voltar ao Início

Você está em:

Aprovação de Lula aos 5 meses do 3º mandato é maior que as de Bolsonaro e Temer

Pesquisa Ipec aponta que 37% dos brasileiros classificam a terceira gestão do presidente Lula (PT) como ótima ou boa
Amanda Omura

Amanda Omura

A avaliação positiva (ótimo e bom) de 37% dos primeiros cinco meses do terceiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, revelada pela pesquisa Ipec, supera a avaliação positiva dos primeiros meses dos governos Jair Bolsonaro (2019-2022) , Michel Temer (2016-2018) e Fernando Collor (1990-1992).

Os dados foram revelados pelo próprio jornal, que fez uma comparação da série histórica do Ibope Inteligência e o levantamento do Ipec. O Ipec reúne ex-executivos do Ibope Inteligência, encerrado em 2021.

O Ipec entrevistou presencialmente 2 mil brasileiros acima de 16 anos entre 1° e 5 de junho, em 127 municípios. A margem de erro do estudo é estimada em dois pontos percentuais para mais ou menos, para um nível de confiança de 95%.

Dados
O terceiro mandato de Lula tem aprovação (ótimo e bom) de 37%. Os que classificam como ruim ou péssimo somam 28%.
Em julho de 1990, 33% classificaram o governo Collor como ótimo ou bom e 20% como ruim ou péssimo. 45% classificava como regular (45%).
Bolsonaro alcançava 32% de avaliação positiva em 1º de junho de 2019. A avaliação negativa e a regular chegavam também a 32%.
13% consideravam o governo Temer ótimo ou bom em dezembro de 2016, quatro meses após assumir oficialmente a Presidência em decorrência do impeachment de Dilma Rousseff.
A avaliação positiva do terceiro mandato de Lula, entretanto, fica atrás dos primeiros meses do primeiro mandato de Fernando Henrique Cardoso, que obteve 42% de ótimo ou bom em junho de 1995. Também ficou aquém do primeiro mandato de Lula, que registrava 43% em junho de 2003 e do segundo mandato de Lula, que obteve 50% em junho de 2007. Além disso, ficou abaixo do primeiro mandato de Dilma Rousseff , que, que tinha 48% em julho de 2011.

Luiz Inácio Lula da Silva assumiu seu terceiro mandato em janeiro deste ano, após derrotar o ex-presidente Jair Bolsonaro, que não se reelegeu.

Em relação à pesquisa anterior, divulgada em 11 de abril, a avaliação positiva de Lula oscilou dois pontos percentuais para baixo, passando de 39% para 37%.

Posts Relacionados

Lula busca apoio de governadores e religiosos para manter veto a PL da ‘saidinha’

Lula busca apoio de governadores e religiosos para manter veto a PL da ‘saidinha’

Governo quer influenciar posição da bancada religiosa no Congresso e apelar para governadores sobre risco de crises

Lula quer lançar crédito para permitir que inscritos no CadÚnico possam empreender

Lula quer lançar crédito para permitir que inscritos no CadÚnico possam empreender

A expectativa é que nessa linha de crédito as taxas de juros sejam a metade do que o Pronampe cobra

PL das redes sociais pode entrar na pauta do Colégio de Líderes esta semana

PL das redes sociais pode entrar na pauta do Colégio de Líderes esta semana

Orlando Silva tenta colocar projeto na pauta da Câmara, mas diz que tema polêmico e lobby das "big techs" atrapalham

O que é o Sistema Nacional de Cultura, sancionado por Lula nesta semana

O que é o Sistema Nacional de Cultura, sancionado por Lula nesta semana

Mecanismo tem sido chamado de 'SUS da Cultura' e promete facilitar o acesso aos financiamentos no segmento

Em meio a crise na Petrobras, governo resolve pagar metade dos dividendos

Em meio a crise na Petrobras, governo resolve pagar metade dos dividendos

Com pagamento de aproximadamente R$ 20 bilhões, União terá direito a R$ 6 bilhões, valor que ajudará na meta fiscal

Haddad repete apelo por ‘pacto’ entre Poderes para cumprimento de metas

Haddad repete apelo por ‘pacto’ entre Poderes para cumprimento de metas

Pacheco, presidente do Senado, declarou a perda de validade de trechos da MP editada pelo governo para elevar receitas

Câmara aprova retrocessos na pauta ambiental e pode fragilizar prevenção

Câmara aprova retrocessos na pauta ambiental e pode fragilizar prevenção

Textos liberam garimpo em reservas, flexibilizam medidas contra incêndios e extinguem taxas que custeiam Ibama

No Brasil, Macron pretende negociar investimentos bilaterais

No Brasil, Macron pretende negociar investimentos bilaterais

Presidente francês passará por 4 cidades em 3 dias a partir da semana que vem; comitiva terá cerca de 140 empresários

pt_BRPortuguese