Voltar ao Início

Você está em:

Biden pede US$ 500 milhões para Fundo Amazônia

Presidente dos EUA fez anúncio, adiantado pela Casa Branca, durante de fórum sobre clima e energia com líderes mundiais
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta quinta-feira (20) oficialmente que pedirá a seu Congresso US$ 500 milhões (cerca de R$ 2,5 bilhões) para o Fundo Amazônia, o programa do governo brasileiro que financia ações de combate ao desmatamento na Floresta Amazônica com verba de governos estrangeiros.

O valor é dez vezes mais que o inicialmente planejado por Washington em fevereiro, quando os Estados Unidos anunciaram intenção de aderir ao fundo brasileiro, que financia ações de combate ao desmatamento. O governo brasileiro, segundo o blog da Julia Duailibi, se desapontou com a quantia.
"Eu vou pedir verbas para contribuir com US$ 500 milhões para o Fundo Amazônia e todas as outras atividades relacionadas ao clima nos próximos cinco anos para ajudar o Brasil a renovar seus esforços para acabar com o desmatamento até 2030", declarou Biden durante um fórum virtual sobre clima e energia realizado pelos Estados Unidos com líderes de 26 países que são os maiores emissores de gases do efeito estufa.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou do encontro.

Mais cedo, a Casa Branca já havia informado, em um documento, a intenção de Biden de pedir o valor mais alto ao Congresso, horas depois de o Conselheiro de Segurança de Biden, Jake Sullivan, e o assessor do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para Assuntos Internacionais, o ex-chanceler Celso Amorim, falarem ao telefone.

O valor anunciado é dez vezes mais que o inicialmente planejado por Washington em fevereiro, quando os Estados Unidos anunciaram intenção de aderir ao Fundo Amazônia, durante encontro entre Lula e Biden.

Na reunião, ele pediu para que as "divisões geopolíticas" não atrapalhem o trabalho dos países de combate ao aquecimento global. A fala de Biden vem em uma semana de conflitos diplomáticos entre Brasília e Washington por conta de falas de Lula durante visita à China na semana passada.

Posts Relacionados

Milei se encontra com Elon Musk e oferece apoio

Milei se encontra com Elon Musk e oferece apoio

Presidente da Argentina, Milei ofereceu apoio a Musk nos processos da Justiça brasileira em que o bilionário está sendo investigado

México pede suspensão do Equador na ONU

México pede suspensão do Equador na ONU

O objetivo da denúncia mexicana é "garantir a reparação do dano moral infligido ao Estado mexicano e a seus cidadãos", disse a ministra

Netanyahu diz que já tem data para atacar Rafah

Netanyahu diz que já tem data para atacar Rafah

Ele não deu mais detalhes. Pouco depois, o Departamento de Estado dos Estados Unidos disse que não foi informado sobre os planos

Terremoto de 4,8 de magnitude atinge Nova York

Terremoto de 4,8 de magnitude atinge Nova York

A profundidade do terremoto, de acordo com a USGS, foi de 5 quilômetros abaixo da superfície -- uma profundidade considerada baixa

Blinken diz que Ucrânia vai ser membro da Otan

Blinken diz que Ucrânia vai ser membro da Otan

Ele também afirmou que apoiar a Ucrânia é importante porque os russos estão recebendo ajuda para aumentar sua indústria de defesa

Pressionado, Netanyahu endurece o discurso

Pressionado, Netanyahu endurece o discurso

O primeiro-ministro de Israel é pressionado pela antecipação de eleições gerais e pela crise deflagrada em sua coligação extremista

Ataque destrói consulado iraniano na Síria

Ataque destrói consulado iraniano na Síria

A Guarda Revolucionária do Irã anunciou que sete de seus membros, entre eles três comandantes, morreram no bombardeio

Na Faixa de Gaza, 12 pessoas morrem afogadas

Na Faixa de Gaza, 12 pessoas morrem afogadas

Os Estados Unidos optaram por jogar caixas de aviões porque há dificuldades para entrar com caminhões na Faixa de Gaza

pt_BRPortuguese