Voltar ao Início

Você está em:

Câmara conclui votação de projeto que prevê regras para o retorno de gestantes ao trabalho

Proposta já havia sido votada na Casa em outubro de 2021, mas voltou para análise dos deputados
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

A Câmara dos Deputados concluiu na quarta-feira (16) a votação de um projeto de lei que estabelece regras para o retorno de gestantes ao trabalho presencial em determinadas hipóteses. O texto segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

A proposta já havia sido votada na Casa em outubro de 2021, mas voltou para análise dos deputados depois que o Senado alterou o conteúdo do projeto.
O texto altera uma lei, sancionada em maio de 2021, que prevê que, durante o estado de emergência de saúde pública provocado pela Covid-19, a trabalhadora grávida deverá permanecer afastada do trabalho presencial, exercendo as atividades de forma remota, sem prejuízo de sua remuneração.
Pela proposta encaminhada à sanção de Bolsonaro, a gestante deverá retornar ao trabalho presencial nas seguintes hipóteses:

  • vacinação completa contra a Covid-19;
  • após o fim do estado de emergência de saúde pública causado pelo novo coronavírus;
  • com a interrupção da gestação.

"[Aprovar o projeto] é fazer com que nós mulheres não sejamos mais prejudicadas do que estamos sendo, de muitas vezes não conseguirmos uma vaga de trabalho neste momento", afirmou a relatora do projeto, deputada Paula Belmonte (Cidadania-DF).

Ainda, de acordo com a proposta, as gestantes que iniciaram a imunização, mas ainda não tomaram a segunda dose da vacina e trabalham em funções consideradas "incompatíveis" com o trabalho remoto, terão sua gravidez considerada de risco e receberão um salário-maternidade até que tomem as duas doses da vacina.
A votação do projeto nesta quarta-feira (16) foi marcada por forte obstrução de parlamentares da oposição, que eram contrários à proposta. A análise do texto demorou mais de duas horas.
Por 235 votos a 121, os deputados rejeitaram as mudanças feitas pelo Senado. Na sequência, os parlamentares rejeitaram três destaques (possíveis alterações no texto) e concluíram a votação.

Gestantes que optarem por não se vacinar
A gestante que optar por não se vacinar contra Covid-19 também poderá retornar ao trabalho presencial.
A proposta estabelece que, nesses casos, a mulher deverá assinar um termo de responsabilidade para retornar ao trabalho, “comprometendo-se a cumprir todas as medidas preventivas adotadas pelo empregador”.

Posts Relacionados

Em 2023, RJ teve 1 denúncia de estupro de crianças a cada 2 horas e meia

Em 2023, RJ teve 1 denúncia de estupro de crianças a cada 2 horas e meia

Das 8.836 denúncias de abuso sexual registradas no Rio de Janeiro em 2023, 3.540 eram de crianças que tinham até 13 anos

450 famílias foram afetadas pelas chuvas em Barreirinhas, no MA

450 famílias foram afetadas pelas chuvas em Barreirinhas, no MA

De acordo com os moradores, pelo menos 15 bairros ainda estão sendo afetados devido às últimas chuvas em Barreirrinhas

Nível do Guaíba baixa 20 cm em 24 horas, mas água segue avançando

Nível do Guaíba baixa 20 cm em 24 horas, mas água segue avançando

É o menor patamar que o lago atinge desde a tarde de sábado (4). Cota de inundação é de 3 metros

Relevo de Porto Alegre e as ‘marés de tempestade’ travam escoamento

Relevo de Porto Alegre e as ‘marés de tempestade’ travam escoamento

364 municípios foram atingidos pelo desastre climático que causa chuvas intensas e alagamentos no estado

Aeroporto de Porto Alegre suspende voos pelo menos até 30 de maio

Aeroporto de Porto Alegre suspende voos pelo menos até 30 de maio

Local está fechado desde a última sexta-feira (3) devido ao aumento das águas do Guaíba

Chuvas no RS: entenda as causas de uma das piores tragédias climáticas no estado

Chuvas no RS: entenda as causas de uma das piores tragédias climáticas no estado

Meteorologistas explicam que catástrofe é resultado da atuação de pelo menos três fenômenos na região, agravados pelo clima

Segurança para ‘Enem dos concursos’ terá exame grafológico, força-tarefa com PF e Abin

Segurança para ‘Enem dos concursos’ terá exame grafológico, força-tarefa com PF e Abin

Para coibir fraudes, os 2 milhões de inscritos não poderão levar para casa o caderno de provas e terão digitais coletadas

Racismo na escola: acusados podem ser expulsos? Quais as consequências?

Racismo na escola: acusados podem ser expulsos? Quais as consequências?

Especialistas explicam que a instituição precisa investigar as denúncias e tomar as medidas cabíveis

pt_BRPortuguese