Voltar ao Início

Você está em:

Chupar limão faz bem ou mal? Emagrece?

Prejudica o estômago? Melhora a imunidade? Médica e nutricionista explicam benefícios, verdades, mentiras e cuidados
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

há algum benefício em chupar limão? E faz mal para o estômago? Conversamos com duas especialistas para esclarecer alguns mitos e verdades sobre a fruta.

Ajuda no emagrecimento?
Apesar de muita gente acreditar que chupar limão ou beber água com limão ajuda na queima de gordura, a nutróloga esportiva Raquel Menezes explica que isso é um mito.

  • A água com limão tem poucas calorias, é rica em fibras, contribui para controlar a fome mas não substitui a necessidade de fazer uma dieta com déficit calórico nem a prática regular de exercício físico.

Faz mal para o estômago?
Mito até certo ponto. Ao contrário do que muita gente pensa, o limão, apesar de ser uma fruta ácida, não faz mal para o estômago, em princípio. A fruta é rica em polifenóis, substância presente em diversos alimentos que possuem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias.
Mas a nutróloga esportiva Raquel Menezes comenta que o limão deve ser consumido com precaução por pessoas que já possuem histórico de problemas digestivos.

Faz mal para os dentes?
Depende. A nutricionista alerta que pessoas que possuem esmalte dos dentes enfraquecido, o que aumenta a sensibilidade a alimentos quentes ou gelados, por exemplo, ou pessoas com risco de problemas dentários devem conversar com seu dentista antes de consumir a fruta com frequência. A acidez do limão pode contribuir com um desgaste do esmalte do dente, causando erosão ácida.

Limão em jejum faz bem?
Verdade. Raquel Menezes comenta que chupar o limão ou beber seu suco em jejum é benéfico pois ele age ajudando o fígado em seu trabalho de detoxificação hepática; ou seja, o limão faz bem ao fígado, que atua eliminando as toxinas do nosso organismo.

Ajuda a evitar anemia?
Outra verdade. Limão não contém ferro, tão importante para o combate à anemia, mas compensa por ser rico em vitamina C. E o que uma coisa tem a ver com a outra? É que a vitamina C ajuda na absorção do ferro presente nas carnes, vegetais verde-escuros, feijão e outros alimentos, aumentando a absorção do mineral pelo intestino delgado.

Posts Relacionados

4 maus hábitos que afetam a memória quando envelhecemos

4 maus hábitos que afetam a memória quando envelhecemos

A boa notícia é que a atividade física é a melhor garantia para a qualidade de vida de mulheres na meia-idade

Por que gritos e socos não conseguem aliviar a raiva

Por que gritos e socos não conseguem aliviar a raiva

Desabafar a raiva pode parecer uma boa ideia, mas não há a menor evidência científica para apoiar a teoria da catarse

Fogões a gás realmente são um perigo para a saúde?

Fogões a gás realmente são um perigo para a saúde?

Estudo recente mostra que, além de contribuir para o efeito estufa, o combustível fóssil traz sérios riscos para a saúde

A saúde do coração declina rapidamente depois da menopausa

A saúde do coração declina rapidamente depois da menopausa

A boa notícia é que a atividade física é a melhor garantia para a qualidade de vida de mulheres na meia-idade

A importância dos cuidadores para o sistema de saúde

A importância dos cuidadores para o sistema de saúde

Apesar de serem fontes de informação e apoio, com frequência eles não têm acesso a informações relevantes sobre o paciente

Ejacular com frequência ajuda a evitar câncer de próstata?

Ejacular com frequência ajuda a evitar câncer de próstata?

Não há uma conclusão definitiva — a relação entre a ejaculação e o câncer de próstata ainda não é totalmente compreendida

A importância do músculo sóleo, apelidado de ‘segundo coração’

A importância do músculo sóleo, apelidado de ‘segundo coração’

O sóleo também tem uma função bastante particular: auxilia o coração em seu trabalho de bombear o sangue pelo corpo

‘Burnon’ X burnout: quando o estresse constante com o trabalho leva à depressão

‘Burnon’ X burnout: quando o estresse constante com o trabalho leva à depressão

O estresse constante, sem pausas reais, pode adoecer as pessoas. Essa sobrecarga crônica é descrita como: burnon

pt_BRPortuguese