Voltar ao Início

Você está em:

Como a guerra na Ucrânia pode se estender para a Transnístria?

Com apenas cinco mil quilômetros quadrados e 470 mil habitantes, tornou-se foco de atenção e pode ser sugada para a guerra
Amanda Omura

Amanda Omura

Três misteriosas explosões atingiram, nos últimos dias, alvos na Transnístria, uma região separatista pró-russa da Moldávia, na fronteira sul da Ucrânia. Com apenas cinco mil quilômetros quadrados e 470 mil habitantes, tornou-se foco de atenção e pode ser sugada para a guerra que Putin promove há dois meses na Ucrânia.

A independência proclamada em 1992, após a desintegração da URSS, não é oficialmente reconhecida por ninguém, nem mesmo pela Rússia, mas a região atua como um estado separado.

Preserva símbolos soviéticos, como a foice e o martelo na bandeira, a estátua de Lênin na entrada do Parlamento, assim como nomes de comunistas proeminentes em suas ruas.

Essa faixa estreita de terra tem governo, parlamento, moeda e polícia próprios e é sustentada pela Rússia, que fornece gás gratuito à região e mantém ali 1.500 soldados – o equivalente a um terço de suas forças armadas.
Não fossem os laços estreitos com Moscou, a Transnístria já teria sido inteiramente absorvida pela Moldávia, que se opõe claramente aos separatistas. Os ataques na região atingiram uma estação de rádio, a sede do Ministério de Segurança e uma base militar, num indício de que a guerra restrita ao território ucraniano pode se espalhar.
Separatistas e autoridades ucranianas se acusam mutuamente pela responsabilidade das explosões. A Rússia já admitiu o plano de criar um corredor de Donbass à Crimeia, para depois tomar o sul da Ucrânia e garantir, assim, o acesso à Transnístria. Mas, para assegurar o controle total do Sul, as forças russas teriam que conquistar Mykolaiv e Odessa, que ainda estão fortemente sob o domínio ucraniano.

A distância de apenas 80 quilômetros separa Chisnau, a capital da Moldávia, da Transnístria evidencia os temores sobre a extensão do conflito. Os tão propalados ataques de “bandeira falsa” poderiam facilmente servir de justificativa para uma ação militar russa.

Posts Relacionados

Terremoto de 4,8 de magnitude atinge Nova York

Terremoto de 4,8 de magnitude atinge Nova York

A profundidade do terremoto, de acordo com a USGS, foi de 5 quilômetros abaixo da superfície -- uma profundidade considerada baixa

Blinken diz que Ucrânia vai ser membro da Otan

Blinken diz que Ucrânia vai ser membro da Otan

Ele também afirmou que apoiar a Ucrânia é importante porque os russos estão recebendo ajuda para aumentar sua indústria de defesa

Pressionado, Netanyahu endurece o discurso

Pressionado, Netanyahu endurece o discurso

O primeiro-ministro de Israel é pressionado pela antecipação de eleições gerais e pela crise deflagrada em sua coligação extremista

Ataque destrói consulado iraniano na Síria

Ataque destrói consulado iraniano na Síria

A Guarda Revolucionária do Irã anunciou que sete de seus membros, entre eles três comandantes, morreram no bombardeio

Na Faixa de Gaza, 12 pessoas morrem afogadas

Na Faixa de Gaza, 12 pessoas morrem afogadas

Os Estados Unidos optaram por jogar caixas de aviões porque há dificuldades para entrar com caminhões na Faixa de Gaza

Rússia e China vetam proposta dos EUA de cessar-fogo

Rússia e China vetam proposta dos EUA de cessar-fogo

Ao justificar seu voto, o embaixador da Rússia na ONU, Vassily Nebenzia, acusou os Estados Unidos de falsas promessas

Regime cubano tenta aplacar a ira da população

Regime cubano tenta aplacar a ira da população

As manifestações populares foram contidas pela repressão policial, em sincronia com o bloqueio imediato do serviço de internet

O que esperar do triunfo eleitoral de Putin?

O que esperar do triunfo eleitoral de Putin?

Presidente russo usará reeleição com supostos 87,2% dos votos como demonstração da unidade nacional para prolongar guerra

pt_BRPortuguese