Voltar ao Início

Você está em:

Corinthians é punido e vai jogar uma partida com portões fechados

Advogado do Corinthians defendeu que "não houve dolo" e que cânticos são "provocações" existentes "há 30 anos"
Amanda Omura

Amanda Omura

Em julgamento realizado nesta quinta-feira no Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro, o Corinthians foi punido com um jogo de mando de campo com portões fechados. A punição já havia sido determinada na 3ª Comissão Disciplinar, mas os corintianos conseguiram efeito suspensivo.

Agora, a punição, que se deve pelos cânticos homofóbicos entoados por torcedores do Corinthians no clássico contra o São Paulo, em jogo realizado em maio, é para valer.

O próximo jogo do Corinthians em casa no Brasileirão é contra o Grêmio, na 15ª rodada. Mas a partida, anteriormente marcada para 15 de julho, foi adiada. Ainda não há data para esta partida. Portanto, o Corinthians vai cumprir a pena no jogo seguinte na Neo Química Arena contra o Vasco, na 18ª rodada, no dia 30 de julho.

O relator do caso foi o auditor Maurício Neves Fonseca, que pediu a manutenção da punição do último mês. Na 3ª Comissão Disciplinar, os auditores decidiram por um jogo sem torcida que seria cumprido contra o Red Bull Bragantino, mas o clube recorreu e conseguiu efeito suspensivo. O que lhe permitiu receber cerca de 42 mil torcedores no jogo seguinte (em derrota por 1 a 0).

Para a Procuradoria, representada por Rafael Bozzano, os "fatos são incontroversos” pela punição com perda de um mando de campo e ele também defendia multa.

  • O clube não identificou nenhum torcedor num estádio moderno com todas as possibilidades para dizer "olha, vai ficar 720 dias sem entrar na praça desportiva". De nada adianta fazer publicidade e marketing contra homofobia no telão para 45 mil pessoas se as pessoas não respeitam - disse Bozzano, reforçando. O advogado do Corinthians, Daniel Bialski, pediu a absolvição do clube e disse que não há dolo no cântico homofóbico dos corintianos contra os são-paulinos. Segundo ele, ainda é parte de uma cultura de 30 anos do futebol brasileiro.
  • Todos repudiam qualquer tipo de discrimação, preconceito, intolerância, discurso de ódio, mas tem que se analisar o elemento subjetivo. A sociedade mudou, mas isso não quer dizer que se trata de homofobia. Essa provocacao que existe, existe também do São Paulo contra o Corinthians, do Flamengo contra o Flumiense.

Posts Relacionados

Flamengo critica CBF sobre o calendário: “Brasileiro não tem isonomia”

Flamengo critica CBF sobre o calendário: “Brasileiro não tem isonomia”

Vice de futebol comenta declaração de Tite, e Bruno Spindel ataca confederação após recusa de troca de datas na Copa América

Neymar brinca com Jorge Jesus em treino e acompanha Al-Hilal na Supercopa

Neymar brinca com Jorge Jesus em treino e acompanha Al-Hilal na Supercopa

Atacante brasileiro compartilha vídeo do clube sobre final com Al-Ittihad e diz: "E a vontade de estar lá?"

Mundial de Clubes: Fifa vai mudar troféu e logo para novo torneio

Mundial de Clubes: Fifa vai mudar troféu e logo para novo torneio

Presidente Gianni Infantino afirma que nova taça estará entre os vários anúncios que a entidade fará para a competição este ano

Mercedes está aberta a receber Sebastian Vettel de volta à F1

Mercedes está aberta a receber Sebastian Vettel de volta à F1

Chefe da equipe alemã, Toto Wolff afirmou que o tetracampeão é alguém "que nunca se pode descartar"; em entrevista recente

Vasco ainda sonha com Marlon Freitas e tem outras duas negociações

Vasco ainda sonha com Marlon Freitas e tem outras duas negociações

A resposta sobre a proposta de R$ 12 milhões pelo volante não foi oficialmente recusada pelo SAF alvinegra, e ainda há conversas

Palmeiras inicia busca para se isolar como maior brasileiro na Libertadores

Palmeiras inicia busca para se isolar como maior brasileiro na Libertadores

Verdão estreia na competição continental nesta quarta-feira, mas deve poupar titulares por estar entre as finais do Paulistão

Landim diz que possível saída do Flamengo afetará Gabigol

Landim diz que possível saída do Flamengo afetará Gabigol

Presidente responde a questionamentos em grupo de WhatsApp com aliados políticos sobre renovação do atacante: "Não seremos reféns"

Dorival aprova início pela Seleção:”O Brasil sai daqui com saldo positivo”

Dorival aprova início pela Seleção:”O Brasil sai daqui com saldo positivo”

Essa é a segunda punição do Peixe; a primeira, pelo não pagamento do técnico Fabián Bustos, foi resolvida após quitação dos R$ 4,7 milhões

pt_BRPortuguese