Voltar ao Início

Você está em:

Corte Penal deve abrir processos contra a Rússia

Serão dois processos, sobre suposto sequestro de menores por soldados russos e por ataques deliberados a infraestruturas civis
Amanda Omura

Amanda Omura

A Corte Penal Internacional de Haia deve abrir processos contra a Rússia por crimes de guerra, afirmou nesta segunda-feira (12) o jornal "The New York Times".

Os processos, caso confirmados, serão o primeiro caso judicial internacional contra a Rúsisa desde o início da guerra, que completou um ano em 24 de fevereiro. Mas, segundo a própria reportagem, é pouco provável que o caso siga para um julgamento que de fato leve responsáveis à prisão.

No entanto, diplomatas ouvidos pela reportagem do jornal norte-americano afirmam ser possível que o presidente russo, Vladimir Putin, seja formalmente acusado, já que o Tribunal de Haia não reconhece a imunidade de chefes de Estdo.

Em reportagem citando fontes da Justiça a da Promotoria próximos ao caso, o jornal diz que o Tribunal de Haia pretende iniciar dois processos relacionados à guerra da Ucrânia e pode emitir mandados de prisão a "diversas pessoas", sem citar quais.

Os processos, ainda de acordo com o "The New York Times", serão os seguintes:
A acusação de que a Rússia sequestrou crianças e adolescentes ucranianos e os enviou a centros de "reeducação" em território russo - esta é uma denúncia que tem crescido ao longo dos últimos anos, feita por organizações que atuam na Ucrânia e pelo governo ucraniano. O próprio Kremlin já admitiu o envio dos jovens ucranianos à Rússia, mas alega tratar-se de órfãos.
A acusação de que as tropas de Moscou alvejaram deliberadamente infraestrutura civil na Ucrânia - nos últimos meses, diante do avanço das tropas ucranianas apoiadas por armas e tecnologia do Ocidente, a tática russa tem sido enviar mísseis diretamente a estações de distruibuição de energia e água em cidades estratégicas. A capital, Kiev, tem ficado às escuras constantemente por conta desses ataques. Moscou não se pronuncia sobre essa acusação.

Próximos passos
O jornal afirma que o promotor-chefe do caso, Karim Khan, deve apresentar as acusações a um painel de juízes da Corte de Haia, que decidirão se o caso será levado adiante ou se são necessárias mais provas.

Posts Relacionados

El Salvador se consolida como regime de partido único

El Salvador se consolida como regime de partido único

Apesar da alta popularidade, presidente concentra poderes e anuncia a pulverização da oposição, com controle de 58 das 60 cadeiras

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

Mark Zuckerberg pediu desculpas a familiares de crianças e adolescentes afetadas por conteúdos de exploração sexual infantil

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores pressionam governo para recuperar danos causados pela inflação e a guerra, além de políticas prejudiciais ao setor

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Ato foi convocado pela maior central sindical do país e tem adesão de funcionários de bancos, comércio, setor bancário e caminhoneiros

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Única desafiante ao ex-presidente na disputa republicana, ex-embaixadora da ONU passa a criticá-lo, para tentar reduzir a vantagem dele

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Nesta semana, Paquistão disse que bombardeou base de grupo separatista em território iraniano, um dia após dizer ter sido atacado Irã

Otan convoca 90 mil soldados para exercício militar

Otan convoca 90 mil soldados para exercício militar

Aliança militar do Ocidente convoca 90 mil soldados de países membros e da Suécia para primeiro exercício militar de 2024

Conflitos se espalham pelo Oriente Médio

Conflitos se espalham pelo Oriente Médio

Israel combate o Hamas e o Hezbollah, aliados do Irã, que apoia também os Houthis, grupo rebelde do Iêmen que ataca navios

pt_BRPortuguese