Voltar ao Início

Você está em:

Desemprego cai em 7 estados e no DF no segundo trimestre de 2023, diz IBGE

Distrito Federal teve a maior redução na taxa de desocupação, passando de 12% para 8,7% agora
Amanda Omura

Amanda Omura

A taxa de desemprego no Brasil caiu em oito das 27 Unidades da Federação no segundo trimestre de 2023, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua Trimestral, divulgada nesta terça-feira (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nos demais estados, a taxa ficou estável.

De acordo com o IBGE, o Distrito Federal teve a maior redução na taxa de desocupação, passando de 12% no primeiro trimestre para 8,7% agora. Em seguida, vêm o Rio Grande do Norte, de 12,1% para 10,2%. Os outros estados que tiveram redução de desemprego foram São Paulo, Ceará, Minas Gerais, Maranhão, Pará e Mato Grosso.

Segundo Adriana Beringuy, coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE, a tendência geral foi de queda entre as Unidades da Federação, mas apenas as oito destacadas tiveram redução relevante do ponto de vista estatístico. Além disso, a queda na taxa de desocupação nesse trimestre volta a mostrar um padrão sazonal do primeiro semestre do ano.

"Após o crescimento do primeiro trimestre, em certa medida pela busca de trabalho por aqueles dispensados no início do ano, no segundo trimestre, essa procura tende a diminuir." — Adriana Beringuy, coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE.

No fim de julho, o IBGE havia mostrado que a taxa de desemprego no Brasil foi de 8% no trimestre móvel terminado em junho. Em relação ao trimestre imediatamente anterior, entre janeiro e março, o período traz redução de 0,8 ponto percentual (8,8%) na taxa de desocupação. No mesmo trimestre de 2022, a taxa era de 9,3%.

Grandes regiões
A região Nordeste continua sendo a região com maior taxa de desocupação do país, segundo o IBGE. Veja abaixo os comparativos do segundo trimestre deste ano com o mesmo período de 2022:
Nordeste: 11,3% de desempregados, contra 12,7% do mesmo período do ano passado.
Norte: 8,1% de desocupação, contra 8,9% no ano passado.
Sudeste: 7,9% de desocupação, contra 9,3% no ano passado.
Centro-Oeste: 5,7% de desocupação, contra 7% no ano passado.
Sul: 4,7% de desocupação, contra 5,6% no ano passado.

Entre os estados, as maiores taxas de desocupação estão em Pernambuco (14,2%), Bahia (13,4%) e Amapá (12,4%). Já as menores, em Rondônia (2,4%), Mato Grosso (3,0%) e Santa Catarina (3,5%).

Ainda assim, as taxas de informalidade permanecem relevantes no número de ocupação. Dezesseis estados têm informalidade maior do que a média nacional (39,2%). Todos são do Norte ou do Nordeste.

Os maiores percentuais são do Pará (58,7%), Maranhão (57,0%) e Amazonas (56,8%). Já os menores vêm de Santa Catarina (26,6%), Distrito Federal (31,2%) e São Paulo (31,6%).

Posts Relacionados

Governo publica MP que isenta do Imposto de Renda quem ganha até dois salários mínimos

Governo publica MP que isenta do Imposto de Renda quem ganha até dois salários mínimos

Norma foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União, na noite desta terça-feira (6)

Juros mais baixos e alta de emplacamentos: vai ficar mais fácil comprar um carro zero?

Juros mais baixos e alta de emplacamentos: vai ficar mais fácil comprar um carro zero?

Segmento acredita em crescimento de dois dígitos, com juros mais baixos para o financiamento

‘Fantasia não é convite’: veja dicas de proteção e ações contra assédio no carnaval do Rio

‘Fantasia não é convite’: veja dicas de proteção e ações contra assédio no carnaval do Rio

'Período de muita alegria, mas não de abuso. Todas as leis continuam valendo', diz a comandante da Ronda Maria da Penha

Gastos de turistas no Brasil em 2023 superam ano de Copa e chegam a US$ 6,9 bilhões

Gastos de turistas no Brasil em 2023 superam ano de Copa e chegam a US$ 6,9 bilhões

Até então, recorde havia sido registrado em 2014, quando turistas gastaram US$ 6,8 bilhões

Governo quer diferenciar empresas que são boas pagadoras e fixar regras

Governo quer diferenciar empresas que são boas pagadoras e fixar regras

Segundo Barreirinhas, a proposta também buscará mapear as companhias com benefícios fiscais

Salário mínimo com valor reajustado passa a ser pago a partir desta semana

Salário mínimo com valor reajustado passa a ser pago a partir desta semana

Valor de R$ 1.412 começou a valer em janeiro de 2024, mas só será pago agora, em fevereiro

Com Minha Casa, Minha Vida, financiamento imobiliário pelo FGTS cresce 59%

Com Minha Casa, Minha Vida, financiamento imobiliário pelo FGTS cresce 59%

O total de crédito imobiliário somou 251 bilhões de reais em 2023, representando um aumento de 4%

Poder de compra do brasileiro foi corroído quase que pela metade em 10 anos

Poder de compra do brasileiro foi corroído quase que pela metade em 10 anos

Salário teria que quase dobrar para conseguir adquirir a mesma quantidade de itens que em 2013

pt_BRPortuguese