Voltar ao Início

Você está em:

Dolarizar a economia da Argentina vai resolver a crise?

Adoção do dólar como moeda oficial poderia controlar a inflação no país no curto prazo, mas outros problemas poderiam aparecer
Amanda Omura

Amanda Omura

O resultado das eleições primárias na Argentina surpreendeu e causou uma forte onda de aversão ao risco no mercado financeiro local. O sentimento negativo dos investidores vem das ideias do vencedor das primárias, o candidato de extrema-direita Javier Milei, que pretende dolarizar a economia argentina e fechar o banco central do país.

As medidas são vistas pelo político, que se autodeclara um "anarcocapitalista", como a solução ideal para a grave crise econômica que atinge o país latino-americano há anos. Atualmente, a inflação argentina está em inacreditáveis 115,6% em 12 meses, com juros em 118% ao ano. A taxa de câmbio já se desvalorizou o peso argentino em quase 40% só em 2023.

De acordo com especialistas, a ideia de Milei de dolarizar a economia pode trazer alguns benefícios rápidos para a Argentina, com destaque para a queda da inflação e o fim da venda de dólares com uma cotação extraoficial, como o dólar blue.
No entanto, a medida não resolve todos os problemas econômicos no país e pode trazer outras consequências negativas, já que os rumos da moeda e da economia como um todo ficariam totalmente vinculados e dependentes das decisões do Federal Reserve (Fed), o banco central dos Estados Unidos.

Efeitos sobre a inflação
Nesta segunda-feira, com a perspectiva de mudanças na Argentina, o mercado financeiro reagiu com um disparo da cotação do dólar blue, batendo os 670 pesos. Em momentos como esse, o banco central passou a agir e decidiu fixar a taxa de câmbio oficial do país em 350 pesos até o fim das eleições, marcadas para outubro, e subir a taxa de juros do país.

É o tipo de ação que a Argentina não teria controle, em caso de concretização dos planos de Milei de acabar com o BC.

Sobre a dolarização da economia, o professor de economia da FIA Business School, Claudio Felisoni, diz que ela pode ocorrer de forma formal ou informal. Na primeira delas, é o governo que instituí a substituição da moeda local pelo dólar, enquanto na segunda, a população passa a utilizar o dólar para compras de bens ou serviços pela falta de confiança que se tem na moeda local.

Posts Relacionados

Tribunal dos EUA nega imunidade a Donald Trump

Tribunal dos EUA nega imunidade a Donald Trump

Corte de Apelações rejeitou pedido de advogados do ex-presidente de que ele gozava de proteção legal porque era presidente à época

El Salvador se consolida como regime de partido único

El Salvador se consolida como regime de partido único

Apesar da alta popularidade, presidente concentra poderes e anuncia a pulverização da oposição, com controle de 58 das 60 cadeiras

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

Mark Zuckerberg pediu desculpas a familiares de crianças e adolescentes afetadas por conteúdos de exploração sexual infantil

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores pressionam governo para recuperar danos causados pela inflação e a guerra, além de políticas prejudiciais ao setor

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Ato foi convocado pela maior central sindical do país e tem adesão de funcionários de bancos, comércio, setor bancário e caminhoneiros

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Única desafiante ao ex-presidente na disputa republicana, ex-embaixadora da ONU passa a criticá-lo, para tentar reduzir a vantagem dele

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Nesta semana, Paquistão disse que bombardeou base de grupo separatista em território iraniano, um dia após dizer ter sido atacado Irã

Otan convoca 90 mil soldados para exercício militar

Otan convoca 90 mil soldados para exercício militar

Aliança militar do Ocidente convoca 90 mil soldados de países membros e da Suécia para primeiro exercício militar de 2024

pt_BRPortuguese