Voltar ao Início

Você está em:

Preços de três alimentos do prato dos brasileiros mais que dobraram no último ano

Para a matéria consideramos sete alimentos: arroz, feijão carioca, tomate, alface, alcatra, batata e ovos
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

Imagine que uma pessoa vai a um supermercado para comprar todos os ingredientes necessários para fazer um típico prato feito brasileiro.

Os ingredientes para o prato variam de acordo com a região, mas para esse exercício estamos considerando sete alimentos: arroz, feijão carioca, tomate, alface, alcatra, batata e ovos.

Se hoje uma pessoa gastaria cerca de R$ 100 para comprar todos os ingredientes para esse prato feito, há um ano — em abril de 2022 — a mesma pessoa teria gasto apenas cerca de R$ 85 nos mesmos ingredientes, segundo os dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, a principal referência de inflação do IBGE no Brasil.
(Nesta compra não estamos levando em consideração o tamanho das porções, o que vai sobrar de cada alimento e nem o custo de outras variáveis, como temperos, óleo de cozinha e preço do gás para cozinhar.)

Os alimentos se tornaram o principal vilão da inflação brasileira — os preços gerais da economia subiram 12,13% nos últimos 12 meses, mas a alimentação no domicílio (que exclui comida comprada em restaurantes) subiu 16,12%. No último mês, a alimentação e transportes responderam por 80% da alta geral dos preços no país.

Alguns itens do prato típico brasileiro ficaram mais baratos em um ano, como é o caso do arroz e do feijão-preto. Mas eles são minoria — mais de 90% dos produtos encareceram, a maioria com altas superiores a 10%.

E para piorar, analistas acreditam que os preços devem subir ainda mais neste ano.

Substitutos?
Mesmo diante da escalada de preços, há formas de se atenuar o efeito da inflação no prato dos brasileiros buscando substitutos.

Alguns alimentos importantes da cesta básica tiveram queda. O arroz ficou 11% mais barato em um ano. O feijão-carioca encareceu 9,4%, mas ele pode ser substituído pelo feijão-preto, cujo preço caiu quase 7%.

A alcatra (que teve alta de 13%) é outro item que pode ser substituído — por carne de porco (cujo preço caiu quase 6% ao ano) ou carne-seca e de sol (cujo preço subiu 3%, um reajuste inferior à inflação média). Já o frango — que costuma ser alternativa mais barata de proteína — também teve inflação alta, de 21%.
A batata inglesa subiu 63%, mas a batata-doce teve reajuste bem menor, de 3,58%.

Na salada, a substituição é mais difícil. Tubérculos, raízes e legumes encareceram 69% em um ano; hortaliças e verduras subiram 36%.

Fora do almoço, a alimentação pode ser complementada com frutas cujos preços caíram em um ano ou registraram pouca inflação. É o caso do abacaxi e da banana-maçã (que estão 3% e 5% mais baratos, respectivamente) e a laranja-pêra (cujo preço subiu 4%). Mas outras variedades de banana e laranja tiveram reajustes grandes de preço.

É importante ressaltar também que essa inflação é nacional — ou seja, que os preços variaram de forma diferente de acordo com a região do Brasil.

Posts Relacionados

Por que cada vez mais brasileiros estão pedindo demissão?

Por que cada vez mais brasileiros estão pedindo demissão?

Dados do Ministério do Trabalho revelam que 7,3 milhões de brasileiros pediram demissão em 2023

Temu: varejista concorrente da Shopee e AliExpress inicia vendas no Brasil

Temu: varejista concorrente da Shopee e AliExpress inicia vendas no Brasil

Empresa de comércio eletrônico chega um dia após o Senado aprovar a chamada "taxa das blusinhas"

Governo divulga rótulo do arroz que será importado; pacote de 5 kg será vendido por R$ 20

Governo divulga rótulo do arroz que será importado; pacote de 5 kg será vendido por R$ 20

Governo vai comprar 300 mil toneladas e as primeiras vão chegar entre 10 de junho e 8 de setembro

Turismo internacional tem melhor abril da história com entrada de US$ 620 milhões

Turismo internacional tem melhor abril da história com entrada de US$ 620 milhões

Valor gasto por visitantes de outros países para o mês cresceu de 37,1% em relação a abril de 2023

Desemprego vai a 7,5% no trimestre terminado em abril, diz IBGE

Desemprego vai a 7,5% no trimestre terminado em abril, diz IBGE

Desocupação atinge 8,2 milhões. É o melhor resultado para este trimestre móvel desde 2014

Cartão de crédito: juros sobem novamente em abril e atingem 423% ao ano

Cartão de crédito: juros sobem novamente em abril e atingem 423% ao ano

Acima de 400% ao ano, essa é a linha de crédito mais cara do mercado financeiro

Como o BPO Pode Ajudar Sua Empresa a Crescer

Como o BPO Pode Ajudar Sua Empresa a Crescer

Em um mercado cada vez mais competitivo, as empresas estão constantemente buscando maneiras de otimizar suas operações e reduzir custos. Uma das estratégias mais eficazes

Prejuízos na agropecuária causados pelas chuvas no RS ultrapassam R$ 2,5 bilhões

Prejuízos na agropecuária causados pelas chuvas no RS ultrapassam R$ 2,5 bilhões

Os prejuízos causados pelas chuvas no Rio Grande do Sul no campo já ultrapassam R$ 2,5 bilhões, informou nesta sexta-feira (17) a Confederação Nacional de

pt_BRPortuguese