Voltar ao Início

Você está em:

Em Davos, Marina cobra repasses de US$ 100 bilhões de países ricos para proteção ambiental

Durante o Fórum Econômico Mundial, ministra do Meio Ambiente disse ainda que negocia doações para Fundo Amazônia
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

Em Davos, na Suíça, onde participa do Fórum Econômico Mundial, a ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva, cobrou nesta terça-feira (17) o compromisso das nações desenvolvidas de repassarem aos países em desenvolvimento US$ 100 bilhões para a proteção ambiental.

Marina fez o apelo durante um painel ao lado do ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Eles são os representantes do Brasil no encontro anual de lideranças mundiais para discutir questões econômicas globais.

Sobre o Fundo Amazônia, abastecido por países como Noruega e Alemanha, a ministra disse à imprensa, após o evento, que negocia também doações com as fundações do ator Leonardo DiCaprio e do bilionário e fundador da varejista Amazon, Jeff Bezos.

Repasses de US$ 100 bilhões
Como parte do Acordo de Paris, fechado em 2015, os países ricos se comprometeram a garantir o financiamento de US$ 100 bilhões por ano, a partir de 2020, para ajudar os mais pobres no enfrentamento das mudanças climáticas.

No entanto, a meta não vem sendo cumprida. Por essa razão, havia uma expectativa de que as negociações da Conferência do Clima da ONU do ano passado, a COP 27, selassem alguma medida imediata. Nenhum avanço, porém, foi visto nesta questão e a promessa segue sem definição.

"Nós temos uma boa regulação global, mas faltam os investimentos. Os 100 bilhões [de dólares] que eram o compromisso dos países desenvolvidos ainda não foram aportados. Nós temos que ter um aporte de recursos para ações de mitigação, como também de adaptação." — Marina Silva, durante o Fórum Econômico Mundial.

Mitigação se refere aos esforços para reduzir a concentração de gases de efeito estufa na atmosfera e, assim, limitar o aquecimento bem abaixo de 2°C.
Já adaptação reúne ferramentas e soluções para reduzir os impactos frente à crise climática.

"Nós temos que ter aporte de recursos para ações de mitigação, como também de adaptação", acrescentou a ministra, que cobrou também ações mais efetivas de países ricos, como a redução de emissões de combustíveis fósseis.

Posts Relacionados

Governo Lula confirma suspensão da dívida do Rio Grande do Sul por 3 anos

Governo Lula confirma suspensão da dívida do Rio Grande do Sul por 3 anos

Medida visa garantir mais dinheiro para ações de reconstrução do estado, que já registrou mais de 140 mortes

Governo não pensa em concorrer com produtores de arroz, diz ministro

Governo não pensa em concorrer com produtores de arroz, diz ministro

Ministro diz que a desinformação sobre o tema causa pânico e a importação de arroz é medida para repor estoques

Senado aprova criação de auxílio para reconstruir casas de famílias de baixa renda

Senado aprova criação de auxílio para reconstruir casas de famílias de baixa renda

Proposta do 'Cartão Reconstruir' foi apresentada em 2023, mas ganhou força depois da catástrofe no Rio Grande do Sul

Senado aprova criação de política e sistema para coordenar riscos de desastres

Senado aprova criação de política e sistema para coordenar riscos de desastres

Item não estava previsto na pauta, mas foi incluído devido às fortes chuvas que assolam o Rio Grande do Sul

Lula deve anunciar pacote com 5 mil ‘ônibus verdes’ e obras em favelas

Lula deve anunciar pacote com 5 mil ‘ônibus verdes’ e obras em favelas

Evento no Palácio do Planalto para a apresentação das medidas está previsto para quarta-feira

Lula anuncia decreto legislativo para dar celeridade ao repasse de verbas para RS

Lula anuncia decreto legislativo para dar celeridade ao repasse de verbas para RS

Presidente também mandou uma mensagem ao Congresso, pedindo reconhecimento de calamidade pública

Lula e Haddad celebram mudança em perspectiva de nota de crédito do Brasil na Moody’s

Lula e Haddad celebram mudança em perspectiva de nota de crédito do Brasil na Moody’s

Lula afirmou que país 'voltou a ter credibilidade econômica', e Haddad diz que decisão reconhece perspectivas positivas

Governo seleciona 9,2 mil obras para o PAC, mas verba tem que vir de emendas parlamentares

Governo seleciona 9,2 mil obras para o PAC, mas verba tem que vir de emendas parlamentares

Projetos foram habilitados, mas ficaram fora por falta de recursos do Executivo. Lista compõe o 'PAC Seleções'

pt_BRPortuguese