Voltar ao Início

Você está em:

Em discurso, Bolsonaro defende ditadores militares e deputado dos atos antidemocráticos

Presidente elogiou obras dos presidentes militares, mas omitiu censura, torturas e assassinatos da ditadura
Amanda Omura

Amanda Omura

Em um discurso no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro defendeu os presidentes da ditadura militar que governou o Brasil de 1964 a 1985. Bolsonaro não fez menção à censura, às torturas e às mortes cometidas pelo regime.

Ele também defendeu o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), réu no Supremo Tribunal Federal (STF) por participar de atos antidemocráticos e ataques às instituições.

Bolsonaro falou durante evento de despedida de ministros que vão deixar o governo para disputar as eleições em outubro.

O presidente começou o seu discurso lembrando que nesta quinta é aniversário do golpe militar de 1964. Bolsonaro, ao contrário do que registra a história, afirmou que não houve golpe.
"Hoje, 31 de março. O que aconteceu em 31? Nada. A história não registra nenhum presidente da República tendo perdido o seu mandato nesse dia. Por que então a mentira? A quem ela se presta?", começou o presidente.

Depois, omitindo a violência do regime, a perseguição a opositores e a cassação de direitos individuais, disse que, na época, todos tinham direito de ir e vir.

Nesse momento, ele se dirigiu a Silveira, que estava na primeira fila da plateia, ao lado de ministros. Na terça-feira (29), o ministro Alexandre de Moraes, do STF, mandou o parlamentar colocar a tornozeleira eletrônica. Silveira se recusou a cumprir a medida no dia seguinte e, até o início da tarde desta quinta, ainda não havia obedecido. A decisão de Moraes se baseia em um pedido da Procuradoria-Geral da República. De acordo com o ministro, o deputado vem desobedecendo medidas restritivas impostas pelo Justiça, por isso deve usar a tornozeleira.
"Todos aqui tinham direito, deputado Daniel Silveira, de ir e vir, de sair do Brasil, de trabalhar, de constituir família, de estudar, como muitos aqui estudaram naquela época", continuou Bolsonaro.

“Quem esteve no governo naquela época fez a sua parte. O que seria do Brasil sem obras do governo militar? Não seria nada, seríamos uma republiqueta”, completou.

Ataques a ministros do STF
Bolsonaro aproveitou o discurso para voltar a fazer ataques a ministros do STF. Nos últimos anos, o presidente protagonizou momentos de severa crise institucional com o Judiciário ao subir o tom em declarações sobre os ministros.

Posts Relacionados

Lula diz que gastos com armas deveriam ser usados contra fome e mudança climática

Lula diz que gastos com armas deveriam ser usados contra fome e mudança climática

Presidente disse ainda ser preciso 'trabalhar por uma economia menos dependente de combustíveis fósseis'

Brasil analisa convite para Opep+, ‘clube’ que reúne exportadores de petróleo

Brasil analisa convite para Opep+, ‘clube’ que reúne exportadores de petróleo

Se acatar, Brasil se torna membro 'aliado'. Opep+ faz reuniões regulares para avaliar oferta de petróleo no mundo

Plano para tentar diminuir dependência do Brasil por fertilizante do exterior

Plano para tentar diminuir dependência do Brasil por fertilizante do exterior

87% dos fertilizantes usados no país são importados. Meta é que produção nacional atenda entre 45% e 50% da demanda

Lula sanciona lei que permite pensão a filhos de pessoas com hanseníase

Lula sanciona lei que permite pensão a filhos de pessoas com hanseníase

Lei beneficia herdeiros de pessoas que foram internadas até 1986. Pensão não pode ser inferior a um salário mínimo

TCU libera governo para deixar de aplicar regras de investimento em saúde

TCU libera governo para deixar de aplicar regras de investimento em saúde

Ministro da Fazenda havia consultado o Tribunal de Contas da União para deixar de pagar piso constitucional

Lula questiona Petrobras sobre demora na redução de preços dos combustíveis

Lula questiona Petrobras sobre demora na redução de preços dos combustíveis

Lula não esconde sua contrariedade com a demora para a queda dos preços depois da redução do preço internacional

Brasil trabalha para anunciar na cúpula do Mercosul acordo com União Europeia

Brasil trabalha para anunciar na cúpula do Mercosul acordo com União Europeia

Finalização do acordo ainda depende de avanços em temas ambientais e sobre compras realizadas pelo governo

Governo decide manter meta de déficit zero na Lei de Diretrizes Orçamentárias

Governo decide manter meta de déficit zero na Lei de Diretrizes Orçamentárias

Mudança pode ser retomada no futuro, mas não na votação atual, diz deputado Danilo Forte (União-CE)

pt_BRPortuguese