Voltar ao Início

Você está em:

Dia da Democracia: tribunais fazem campanha nas redes para celebrar a soberania popular

Data dedicada ao regime democrático foi instituída em 2007 pela ONU. Campanha foi puxada pelo TSE
Amanda Omura

Amanda Omura

Tribunais superiores e diversos órgãos do Judiciário realizaram nesta sexta-feira (15) uma campanha, nas redes sociais, em comemoração ao Dia da Democracia.

A data – 15 de setembro – dedicada ao regime democrático foi instituída na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) de 2007. E é celebrada pelo Brasil e mais de 120 países.

Considerada pela ONU um "valor universal", a democracia tem como base a livre expressão da vontade dos povos, a quem cabe determinar "sistemas políticos, econômicos, sociais e culturais".

O regime tem como principal característica o zelo pela soberania popular e preza pela distribuição equitativa de poder.
Com a publicação da Constituição Federal de 1988, a "Constituição Cidadã", o Brasil vive o período mais longo de estabilidade democrática de sua história.

DemocraciaSempre

Para celebrar a data, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) puxou a campanha #DemocraciaSempre nas redes sociais.

Também chamado de "Tribunal da Democracia" pela atuação em defesa do voto popular e responsabilidade sobre o sistema eleitoral, o TSE publicou uma mensagem institucional na qual explica que a campanha lançada nesta sexta "é uma mobilização digital que defende, incentiva e reforça a importância do #DiaDaDemocracia, data que celebra globalmente os regimes democráticos".
O Supremo Tribunal Federal (STF), conhecido como "guardião da Constituição", aderiu ao movimento digital e publicou sobre o tema no seu perfil oficial na rede X (antigo Twitter).

"#DiaDaDemocracia Vozes unidas, democracia fortalecida! Estamos com o TSE celebrando o respeito, o diálogo, a inclusão e a diversidade! #DemocraciaSempre", afirmou a Suprema Corte.

A mensagem também foi compartilhada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), Corte que interpreta a legislação federal no Brasil; e pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que tem como missão promover o desenvolvimento do Poder Judiciário e controlar a atuação de magistrados.

Posts Relacionados

Lula quer lançar crédito para permitir que inscritos no CadÚnico possam empreender

Lula quer lançar crédito para permitir que inscritos no CadÚnico possam empreender

A expectativa é que nessa linha de crédito as taxas de juros sejam a metade do que o Pronampe cobra

PL das redes sociais pode entrar na pauta do Colégio de Líderes esta semana

PL das redes sociais pode entrar na pauta do Colégio de Líderes esta semana

Orlando Silva tenta colocar projeto na pauta da Câmara, mas diz que tema polêmico e lobby das "big techs" atrapalham

O que é o Sistema Nacional de Cultura, sancionado por Lula nesta semana

O que é o Sistema Nacional de Cultura, sancionado por Lula nesta semana

Mecanismo tem sido chamado de 'SUS da Cultura' e promete facilitar o acesso aos financiamentos no segmento

Em meio a crise na Petrobras, governo resolve pagar metade dos dividendos

Em meio a crise na Petrobras, governo resolve pagar metade dos dividendos

Com pagamento de aproximadamente R$ 20 bilhões, União terá direito a R$ 6 bilhões, valor que ajudará na meta fiscal

Haddad repete apelo por ‘pacto’ entre Poderes para cumprimento de metas

Haddad repete apelo por ‘pacto’ entre Poderes para cumprimento de metas

Pacheco, presidente do Senado, declarou a perda de validade de trechos da MP editada pelo governo para elevar receitas

Câmara aprova retrocessos na pauta ambiental e pode fragilizar prevenção

Câmara aprova retrocessos na pauta ambiental e pode fragilizar prevenção

Textos liberam garimpo em reservas, flexibilizam medidas contra incêndios e extinguem taxas que custeiam Ibama

No Brasil, Macron pretende negociar investimentos bilaterais

No Brasil, Macron pretende negociar investimentos bilaterais

Presidente francês passará por 4 cidades em 3 dias a partir da semana que vem; comitiva terá cerca de 140 empresários

Bloqueio no orçamento deve ser de menos de R$ 5 bilhões, diz Haddad a Lula

Bloqueio no orçamento deve ser de menos de R$ 5 bilhões, diz Haddad a Lula

Valor do bloqueio deve ficar em R$ 3 bilhões. Lula comemorou a notícia com os integrantes da equipe econômica

en_USEnglish