Voltar ao Início

Você está em:

Irã ajudou Venezuela a ser 1º país com drones armados

Governo de Nicolás Maduro foi o primeiro país latino-americano a tornar público que detém drones com capacidade ofensiva
Amanda Omura

Amanda Omura

Na noite do dia 8 de fevereiro deste ano, os dissidentes das guerrilhas colombianas Farc viveram um inferno, segundo o relato de militares da Colômbia.

Às 3h da manhã, guerrilheiros dissidentes que estavam no Estado venezuelano de Apure, próximo à fronteira com a Colômbia, foram bombardeados pelo ar pelas Forças Armadas da Venezuela.

Conforme publicado alguns dias depois pelo jornal El Colombiano, citando fontes de inteligência das Forças Armadas da Colômbia, o ataque foi realizado com drones armados.
"Isso seria uma novidade porque, se confirmado, faria da Venezuela o segundo país do hemisfério, depois dos Estados Unidos, a usar armamento real a partir de drones", afirma Andrei Serbin Pont, diretor da Coordenadoria Regional de Pesquisas Econômicas e Sociais (CRIES), uma rede de centros de pesquisa na América Latina e no Caribe.

As autoridades venezuelanas nunca confirmaram o uso de drones armados no conflito em fevereiro. Entretanto, alguns meses depois, o governo de Nicolás Maduro exibiu, durante um desfile militar, drones com capacidade de ataque.

Assim, a Venezuela tornou-se, segundo especialistas, o primeiro país da América Latina a ter drones armados.

Para saber como o país conseguiu isso, é preciso voltar a atenção para suas relações com o Irã.

Armados e não tripulados
Em 5 de julho, durante o desfile militar para comemorar o Dia da Independência, as Forças Armadas da Venezuela mostraram dois modelos diferentes de drones com capacidade ofensiva.

O Antonio José de Sucre 100 (ANSU 100) foi apresentado como um meio de "observação, reconhecimento e ataque". Já o Antonio José de Sucre 200 (ANSU 200) foi descrito como uma aeronave de "velocidade, alto sigilo e capacidade de observação, reconhecimento, ataque, caça antidrones e supressão da defesa aérea inimiga".

Segundo o narrador do desfile, ambos os dispositivos eram de "design e fabricação venezuelana".

Posts Relacionados

EUA matam líder de milícia apoiada pelo Irã

EUA matam líder de milícia apoiada pelo Irã

Ataque desta quarta-feira (7) faz parte de resposta do país norte-americano ao bombardeio que matou três soldados na Jordânia

Tribunal dos EUA nega imunidade a Donald Trump

Tribunal dos EUA nega imunidade a Donald Trump

Corte de Apelações rejeitou pedido de advogados do ex-presidente de que ele gozava de proteção legal porque era presidente à época

El Salvador se consolida como regime de partido único

El Salvador se consolida como regime de partido único

Apesar da alta popularidade, presidente concentra poderes e anuncia a pulverização da oposição, com controle de 58 das 60 cadeiras

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

Mark Zuckerberg pediu desculpas a familiares de crianças e adolescentes afetadas por conteúdos de exploração sexual infantil

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores pressionam governo para recuperar danos causados pela inflação e a guerra, além de políticas prejudiciais ao setor

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Ato foi convocado pela maior central sindical do país e tem adesão de funcionários de bancos, comércio, setor bancário e caminhoneiros

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Única desafiante ao ex-presidente na disputa republicana, ex-embaixadora da ONU passa a criticá-lo, para tentar reduzir a vantagem dele

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Nesta semana, Paquistão disse que bombardeou base de grupo separatista em território iraniano, um dia após dizer ter sido atacado Irã

en_USEnglish