Voltar ao Início

Você está em:

Ministro Lewandowski começa a montar equipe na próxima semana

Ana Maria Alvarenga Mamede Neves trabalha com o novo ministro desde 2010 e já foi chefe de gabinete de Lewandowski
Amanda Omura

Amanda Omura

O novo ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, já escolheu o primeiro nome de sua equipe. Ana Maria Alvarenga Mamede Neves será a chefe de gabinete na pasta.

Ela trabalha com o novo ministro desde 2010. Já foi chefe de gabinete de Lewandowski no Supremo Tribunal Federal (STF) e trabalha no escritório de advocacia dele em Brasília.

Ana Maria confirmou nesta sexta que recebeu e aceitou o convite do novo ministro.

Na próxima semana, Lewandowski começará a definir os outros integrantes de sua equipe.

Segundo pessoas próximas, o ministro ainda não teve conversas diretas com cotados e iniciará as discussões a partir da próxima segunda-feira (15).

Lewandowski deve aproveitar o fim de semana para ficar com a família e para organizar questões contratuais em seu escritório.

Manoel Carlos Neto é um forte candidato a assumir a secretaria executiva da pasta no lugar de Ricardo Cappelli ou o posto de secretário nacional de Justiça no lugar de Augusto de Arruda Botelho.

Anunciado nesta quinta-feira (11) pelo presidente Lula (PT) como substituto de Flávio Dino no Ministério da Justiça e Segurança Pública, Lewandowski disse ao blog que sua gestão colocará a segurança como prioridade.

"Combate permanente e rigoroso à criminalidade, sob todas as suas formas, com respeito à Constituição e às leis", resumiu Lewandowski, que assume o cargo no dia 1º de fevereiro.

Posse
Ricardo Lewandowski vai tomar posse no dia 1º de fevereiro. Lewandowski vai usar o mês de janeiro para organizar a montagem da equipe que vai trabalhar com ele no ministério e a resolver algumas questões pessoais. Até lá, Flávio Dino continuará no comando do Ministério da Justiça. A posse de Dino como ministro do STF - Supremo Tribunal Federal está marcada para o dia 22 de fevereiro.

Atualmente, Ricardo Lewandowski é presidente do Conselho de Assuntos Jurídicos da Confederação Nacional da Indústria, do Observatório da Democracia da AGU, e do Tribunal Permanente de Revisão do Mercosul.

Posts Relacionados

Lula quer lançar crédito para permitir que inscritos no CadÚnico possam empreender

Lula quer lançar crédito para permitir que inscritos no CadÚnico possam empreender

A expectativa é que nessa linha de crédito as taxas de juros sejam a metade do que o Pronampe cobra

PL das redes sociais pode entrar na pauta do Colégio de Líderes esta semana

PL das redes sociais pode entrar na pauta do Colégio de Líderes esta semana

Orlando Silva tenta colocar projeto na pauta da Câmara, mas diz que tema polêmico e lobby das "big techs" atrapalham

O que é o Sistema Nacional de Cultura, sancionado por Lula nesta semana

O que é o Sistema Nacional de Cultura, sancionado por Lula nesta semana

Mecanismo tem sido chamado de 'SUS da Cultura' e promete facilitar o acesso aos financiamentos no segmento

Em meio a crise na Petrobras, governo resolve pagar metade dos dividendos

Em meio a crise na Petrobras, governo resolve pagar metade dos dividendos

Com pagamento de aproximadamente R$ 20 bilhões, União terá direito a R$ 6 bilhões, valor que ajudará na meta fiscal

Haddad repete apelo por ‘pacto’ entre Poderes para cumprimento de metas

Haddad repete apelo por ‘pacto’ entre Poderes para cumprimento de metas

Pacheco, presidente do Senado, declarou a perda de validade de trechos da MP editada pelo governo para elevar receitas

Câmara aprova retrocessos na pauta ambiental e pode fragilizar prevenção

Câmara aprova retrocessos na pauta ambiental e pode fragilizar prevenção

Textos liberam garimpo em reservas, flexibilizam medidas contra incêndios e extinguem taxas que custeiam Ibama

No Brasil, Macron pretende negociar investimentos bilaterais

No Brasil, Macron pretende negociar investimentos bilaterais

Presidente francês passará por 4 cidades em 3 dias a partir da semana que vem; comitiva terá cerca de 140 empresários

Bloqueio no orçamento deve ser de menos de R$ 5 bilhões, diz Haddad a Lula

Bloqueio no orçamento deve ser de menos de R$ 5 bilhões, diz Haddad a Lula

Valor do bloqueio deve ficar em R$ 3 bilhões. Lula comemorou a notícia com os integrantes da equipe econômica

en_USEnglish