Voltar ao Início

Você está em:

Por que contrair a barriga o tempo todo pode ser prejudicial

A compressão do abdômen também reduz o espaço disponível para os órgãos que ficam naquela região do corpo
Amanda Omura

Amanda Omura

Nossos músculos abdominais são amplamente exercitados e utilizados em nosso corpo. Eles desempenham um papel fundamental em quase todos os movimentos que realizamos, proporcionando estabilidade, equilíbrio e proteção à coluna e aos órgãos internos.

Entretanto, certas condições de saúde e movimentos desnecessários ao longo do dia podem desajustar esses músculos.

Se essa situação se tornar crônica, pode levar à síndrome da ampulheta, uma alteração na estrutura da parede abdominal que resulta na formação de uma dobra no meio do abdômen.
E não é só isso: essa alteração pode afetar os órgãos internos e outras partes do corpo se não for tratada a tempo.

Existem quatro principais causas que levam ao desequilíbrio da função dos músculos abdominais, resultando nessa síndrome.
A primeira é devido a certas condições congênitas (como gastrosquise ou onfalocele) que fazem com que os músculos abdominais se desenvolvam incorretamente, levando a desequilíbrios musculares.

Outra causa é a má postura, que pode alterar a curva tradicional em S da coluna, provocando mudanças fundamentais na tensão e função dos músculos abdominais.

A dor abdominal, seja associada a problemas no estômago, fígado ou vesícula biliar, pode levar uma pessoa a contrair involuntariamente os músculos abdominais na tentativa de aliviar o desconforto.

Surpreendentemente, a síndrome da ampulheta também pode estar associada a problemas de imagem corporal, um tópico que tem se destacado cada vez mais.

Algumas pessoas que se sentem inseguras em relação ao próprio corpo ou desejam obter um abdômen reto podem exagerar ao "contrair" os músculos abdominais de forma desproporcional para alcançar essa aparência.

Desequilíbrio muscular
Quando contraímos o estômago, contraímos o “reto abdominal” (comumente conhecido como barriga tanquinho). Mas como tendemos a acumular mais tecido adiposo na parte inferior do abdome, os músculos da parte superior do estômago tendem a se tornar mais ativos. Esses dois aspectos fazem com que se forme uma dobra nessa área por longos períodos, com o umbigo deslocado para cima.
Independentemente da causa — e se é voluntária ou involuntária —, a ação de "puxar" a barriga também coloca maior pressão na região lombar e no pescoço. Isso ocorre porque agora eles precisam compensar as mudanças na estabilidade do core.

A compressão do abdômen também reduz o espaço disponível para os órgãos que ficam naquela região do corpo.

Podemos fazer uma analogia simples para ilustrar esse processo. Imagine que a região do abdômen se assemelha a uma embalagem de pasta de dente: ao apertar o meio dessa embalagem, ela é pressionada para cima e para baixo.

Essa pressão exercida no topo afeta a respiração, dificultando o movimento descendente do diafragma, que é o principal músculo envolvido na inspiração do ar.

Síndrome reversível
Felizmente, a síndrome da ampulheta é reversível. Uma forma de ajudar é tratando o desequilíbrio muscular através de exercícios que fortaleçam todos os músculos do core, como pranchas ou pontes, por exemplo. Além disso, atividades como yoga ou pilates também podem ser benéficas para relaxar os músculos.

Posts Relacionados

Mitos e fatos sobre nutrição: o glúten realmente faz mal?

Mitos e fatos sobre nutrição: o glúten realmente faz mal?

O glúten tem sido o vilão: cada vez mais pessoas não toleram o conjunto de proteínas encontrados no trigo e em outros grãos

Como determinar o tamanho ideal das porções de comida para cada pessoa

Como determinar o tamanho ideal das porções de comida para cada pessoa

Além da qualidade dos alimentos, também é importante consumir uma quantidade adequada. Como calcular isso?

Passar protetor solar apenas em algumas partes do rosto traz alerta para saúde

Passar protetor solar apenas em algumas partes do rosto traz alerta para saúde

Prática que visa criar um 'jogo de luz e sombra na pele' ao passar protetor solar apenas em partes do corpo não é recomendada

Por que o álcool é tão perigoso para o cérebro dos jovens

Por que o álcool é tão perigoso para o cérebro dos jovens

O álcool é uma toxina. Seus riscos incluem acidentes, doenças do fígado e muitos tipos de câncer, até em pequenas quantidades

Candidíase em homens: como surge a infecção que causa coceira e manchas

Candidíase em homens: como surge a infecção que causa coceira e manchas

A 'Candida albicans' é um tipo de fungo que normalmente coexiste em equilíbrio na microbiota humana, e faz parte do corpo

Cosméticos: quais substâncias nossa pele consegue ou não absorver

Cosméticos: quais substâncias nossa pele consegue ou não absorver

Marketing traz apelo de várias substâncias com promessas de resultados, mas nem tudo é absorvido pela pele

A teoria do ‘útero errante’ que deu origem ao ultrapassado conceito de histeria

A teoria do ‘útero errante’ que deu origem ao ultrapassado conceito de histeria

Esta crença existiu há mais de 2,4 mil anos, mas o paradigma sobre como o suposto 'animal' afetava o corpo se manteve

Psicóloga incentiva adultos a cuidarem de sua criança interior para superar traumas

Psicóloga incentiva adultos a cuidarem de sua criança interior para superar traumas

Com mais de 8 milhões de seguidores, Nicole Lepera fala sobre como os traumas influenciam a vida adulta em vídeos

en_USEnglish