Voltar ao Início

Você está em:

Presidente de Israel sinaliza chance de nova trégua

Herzog disse ainda que o governo está disposto a debater a pausa nos ataques à Faixa de Gaza mediada por países estrangeiros
Amanda Omura

Amanda Omura

Após a pressão de países aliados por uma nova pausa nos bombardeios, o presidente de Israel, Isaac Herzog, disse nesta terça-feira (19) que o país está pronto para outra trégua.

Herzog disse ainda que o governo israelense está disposto a debater a pausa nos ataques à Faixa de Gaza mediada por países estrangeiros para recuperar os cerca de 135 reféns ainda detidos pelo Hamas.

“Israel está pronto para outra pausa humanitária e ajuda humanitária adicional, a fim de permitir a libertação de reféns”, disse Herzog, numa reunião de embaixadores, de acordo com o seu gabinete. "E a responsabilidade recai inteiramente sobre (o líder do Hamas, Yahya) Sinwar e (outras) lideranças do Hamas", disse ele.

No fim de novembro, Israel fez uma trégua de seis dias nos bombardeios após um acordo como o Hamas, o primeiro desde o início da guerra. Do outro lado, cerca de 130 reféns foram libertados.

Embora seja o presidente de Israel, Herzog não chefia o governo, função que cabe ao primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, nem tem poder de decisão sobre matérias do tipo.

Mas a sinalização acontece no momento em que líderes do Ocidente pressionam o governo israelense para uma nova pausa.

Na semana passada, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, criticou o que chamou de "bombardeios indiscriminados" por parte de Israel. Já o ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, o ex-premiê David Cameron, se reuniu com os homólogos da França e Itália para pressionar por um "cessar-fogo sustentável" no conflito.

Nesta terça, o Conselho de Segurança da ONU deve votar uma nova resolução pedindo "o cessar-fogo urgente e duradouro". Um possível veto Estados Unidos, no entanto, pode inviabilizar o texto.

Também nesta terça, o Ministério da Saúde do Hamas disse que 20 pessoas morreram em um bombardeio israelense na cidade de Rafah, perto da fronteira de Gaza com o Egito. Segundo o ministério, 19.667 pessoas morreram por conta dos bombardeios de Israel na Faixa de Gaza desde o início da guerra entre Israel e o Hamas.

Posts Relacionados

Milei se encontra com Elon Musk e oferece apoio

Milei se encontra com Elon Musk e oferece apoio

Presidente da Argentina, Milei ofereceu apoio a Musk nos processos da Justiça brasileira em que o bilionário está sendo investigado

México pede suspensão do Equador na ONU

México pede suspensão do Equador na ONU

O objetivo da denúncia mexicana é "garantir a reparação do dano moral infligido ao Estado mexicano e a seus cidadãos", disse a ministra

Netanyahu diz que já tem data para atacar Rafah

Netanyahu diz que já tem data para atacar Rafah

Ele não deu mais detalhes. Pouco depois, o Departamento de Estado dos Estados Unidos disse que não foi informado sobre os planos

Terremoto de 4,8 de magnitude atinge Nova York

Terremoto de 4,8 de magnitude atinge Nova York

A profundidade do terremoto, de acordo com a USGS, foi de 5 quilômetros abaixo da superfície -- uma profundidade considerada baixa

Blinken diz que Ucrânia vai ser membro da Otan

Blinken diz que Ucrânia vai ser membro da Otan

Ele também afirmou que apoiar a Ucrânia é importante porque os russos estão recebendo ajuda para aumentar sua indústria de defesa

Pressionado, Netanyahu endurece o discurso

Pressionado, Netanyahu endurece o discurso

O primeiro-ministro de Israel é pressionado pela antecipação de eleições gerais e pela crise deflagrada em sua coligação extremista

Ataque destrói consulado iraniano na Síria

Ataque destrói consulado iraniano na Síria

A Guarda Revolucionária do Irã anunciou que sete de seus membros, entre eles três comandantes, morreram no bombardeio

Na Faixa de Gaza, 12 pessoas morrem afogadas

Na Faixa de Gaza, 12 pessoas morrem afogadas

Os Estados Unidos optaram por jogar caixas de aviões porque há dificuldades para entrar com caminhões na Faixa de Gaza

en_USEnglish