Voltar ao Início

Você está em:

Evo Morales anuncia candidatura na Bolívia

Ex-presidente esteve a frente do país entre 2006 e 2019 e é primeiro a anunciar sua intenção de concorrer à presidência em 2025
Amanda Omura

Amanda Omura

O ex-presidente Evo Morales anunciou neste domingo (24) sua candidatura à presidência da Bolívia nas eleições de 2025, em meio à crescente tensão com o governo de seu ex-parceiro político, Luis Arce.

"Decidimos aceitar os pedidos de nossa militância e de tantas irmãs e irmãos […] para ser candidato à presidência de nossa querida Bolívia", disse Morales em suas redes sociais. O ex-presidente disse que está tomando esta medida "obrigado pelos ataques do governo", que acusa de atentar "fisicamente" contra a sua vida.

Morales, que esteve a frente do país entre 2006 e 2019, é o primeiro político boliviano a anunciar sua intenção de concorrer à presidência do país em 2025.

Entretanto, seu partido, o governista Movimento ao Socialismo (MAS), tem marcado para a próxima semana um congresso para formar uma comissão que organize, para dezembro ou janeiro, eleições primárias para eleger os candidatos à presidência e vice-presidência.

Morales e a cúpula do partido mantêm trocas de acusações constantes com integrantes da administração de Arce. Nos últimos meses, o ex-presidente acusou os ministros de Governo, Eduardo del Castillo, e Justiça, Iván Lima, de liderarem ações políticas contra ele e de tentarem envolvê-lo em casos de corrupção.

A disputa interna na situação tem como pano de fundo quem finalmente será o candidato do MAS: Morales ou Arce. O atual presidente, no poder desde novembro de 2020, disse que o tema de sua reeleição ainda não está na agenda.

Na Bolívia, há discussões sobre a possibilidade de Morales concorrer nas eleições. A Constituição diz que o mandato presidencial é de cinco anos e que pode haver reeleição uma só vez de forma contínua.

O ministro Lima assinalou que o Tribunal Constitucional deve decidir se pode haver uma única reeleição ou, como interpreta Morales, se é permitido a um ex-chefe de Estado uma nova candidatura após o transcurso de apenas um mandato presidencial.

Posts Relacionados

Tribunal dos EUA nega imunidade a Donald Trump

Tribunal dos EUA nega imunidade a Donald Trump

Corte de Apelações rejeitou pedido de advogados do ex-presidente de que ele gozava de proteção legal porque era presidente à época

El Salvador se consolida como regime de partido único

El Salvador se consolida como regime de partido único

Apesar da alta popularidade, presidente concentra poderes e anuncia a pulverização da oposição, com controle de 58 das 60 cadeiras

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

Mark Zuckerberg pediu desculpas a familiares de crianças e adolescentes afetadas por conteúdos de exploração sexual infantil

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores pressionam governo para recuperar danos causados pela inflação e a guerra, além de políticas prejudiciais ao setor

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Ato foi convocado pela maior central sindical do país e tem adesão de funcionários de bancos, comércio, setor bancário e caminhoneiros

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Única desafiante ao ex-presidente na disputa republicana, ex-embaixadora da ONU passa a criticá-lo, para tentar reduzir a vantagem dele

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Nesta semana, Paquistão disse que bombardeou base de grupo separatista em território iraniano, um dia após dizer ter sido atacado Irã

Otan convoca 90 mil soldados para exercício militar

Otan convoca 90 mil soldados para exercício militar

Aliança militar do Ocidente convoca 90 mil soldados de países membros e da Suécia para primeiro exercício militar de 2024

pt_BRPortuguese