Voltar ao Início

Você está em:

Formiga: o discreto fenômeno de peso imensurável que fez história no futebol

Miraildes nasceu em Salvador, enfrentou proibições dentro de casa e virou símbolo de representatividade para as mulheres
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

Miraildes Maciel Mota cresceu correndo descalça pelos campos de barro do Subúrbio Ferroviário de Salvador, nos anos 80. Era a única menina entre os cinco filhos de Dona Celeste e carregava nos pés o inesperado sonho de fazer história no futebol. Parecia impossível. Mas ela conseguiu. A caminhada terminou se entrelaçando com a história do esporte. E a capacidade de se multiplicar dentro de campo - observada pela torcida - rendeu o apelido que virou nome: Formiga.

Formiga odiava ser chamada assim, mas se acostumou com o passar do tempo. Terminou gostando. Era a síntese do estilo discreto e eficiente, em um trabalho incessante - que também se refletia na própria personalidade da jogadora.

A postura introspectiva e a função dentro de campo podem ter influenciado para a falta de premiações individuais na carreira de Miraildes. Mas nada se tornou maior que a representatividade da eterna camisa 8.
Uma mulher negra, nordestina e lésbica, que virou símbolo da história.

Ninguém no mundo jogou mais Copas que ela, ninguém esteve em mais Olimpíadas, e não houve geração do futebol feminino brasileiro sem a presença dela. Foram 26 anos de estrada com a seleção - antes da aposentadoria pela equipe, em 2021. Construiu uma vida dedicada às mulheres, e como voz ativa na busca por reconhecimento no esporte.

Em 2016 - após uma década de luta -, Formiga cansou. Despediu-se da seleção em Manaus, aos 38 anos, porque não conseguia mais cobrar avanços sem enxergar a evolução que esperava.
"Não dê a esperança e depois tire. Tem que continuar. Só assim a gente vai conseguir o que estão cobrando do futebol feminino."
— disse em 2017, após a demissão da técnica Emily Lima.

Só aceitou voltar - para a Copa América de 2018 - porque sentiu que a missão não estava completa. É uma mulher que cansava, mas nunca para de correr. E mesmo naquela época, era um ponto de equilíbrio de um conjunto desequilibrado.
Conquistou o título, quebrou recordes de participações e despediu-se de vez da seleção na Copa de 2019, na França. Foram sete Copas do Mundo (de 1995 a 2019), seis Olimpíadas (de 1996 a 2016), três ouros em Pan-Americanos, um vice-campeonato mundial e duas pratas em Jogos Olímpicos.

Nunca quis se provar melhor do que ninguém. E talvez assim tenha se feito histórica.

Posts Relacionados

Flamengo critica CBF sobre o calendário: “Brasileiro não tem isonomia”

Flamengo critica CBF sobre o calendário: “Brasileiro não tem isonomia”

Vice de futebol comenta declaração de Tite, e Bruno Spindel ataca confederação após recusa de troca de datas na Copa América

Neymar brinca com Jorge Jesus em treino e acompanha Al-Hilal na Supercopa

Neymar brinca com Jorge Jesus em treino e acompanha Al-Hilal na Supercopa

Atacante brasileiro compartilha vídeo do clube sobre final com Al-Ittihad e diz: "E a vontade de estar lá?"

Mundial de Clubes: Fifa vai mudar troféu e logo para novo torneio

Mundial de Clubes: Fifa vai mudar troféu e logo para novo torneio

Presidente Gianni Infantino afirma que nova taça estará entre os vários anúncios que a entidade fará para a competição este ano

Mercedes está aberta a receber Sebastian Vettel de volta à F1

Mercedes está aberta a receber Sebastian Vettel de volta à F1

Chefe da equipe alemã, Toto Wolff afirmou que o tetracampeão é alguém "que nunca se pode descartar"; em entrevista recente

Vasco ainda sonha com Marlon Freitas e tem outras duas negociações

Vasco ainda sonha com Marlon Freitas e tem outras duas negociações

A resposta sobre a proposta de R$ 12 milhões pelo volante não foi oficialmente recusada pelo SAF alvinegra, e ainda há conversas

Palmeiras inicia busca para se isolar como maior brasileiro na Libertadores

Palmeiras inicia busca para se isolar como maior brasileiro na Libertadores

Verdão estreia na competição continental nesta quarta-feira, mas deve poupar titulares por estar entre as finais do Paulistão

Landim diz que possível saída do Flamengo afetará Gabigol

Landim diz que possível saída do Flamengo afetará Gabigol

Presidente responde a questionamentos em grupo de WhatsApp com aliados políticos sobre renovação do atacante: "Não seremos reféns"

Dorival aprova início pela Seleção:”O Brasil sai daqui com saldo positivo”

Dorival aprova início pela Seleção:”O Brasil sai daqui com saldo positivo”

Essa é a segunda punição do Peixe; a primeira, pelo não pagamento do técnico Fabián Bustos, foi resolvida após quitação dos R$ 4,7 milhões

pt_BRPortuguese