Voltar ao Início

Você está em:

Fórmulas discutidas para transmissão do Brasileirão reduzem desigualdade

Como distribuir o dinheiro obtido com os direitos de transmissão? Compare cenários trabalhados por dirigentes da Libra
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

Nas últimas semanas, dirigentes avançaram em direção à liga de clubes, cujo objetivo é organizar o Campeonato Brasileiro, além de explorá-lo comercialmente. Mas a distribuição do dinheiro oriundo da transmissão causa divergência entre diferentes grupos.

Direitos de mídia são a maior receita do futebol, não apenas no Brasil. Os atuais contratos do Brasileirão, assinados com a Globo, vigoram até 2024. O que se discute hoje é o modelo que valerá a partir de 2025.

A diferença em relação à última negociação é que, desta vez, a comercialização coletiva pode elevar o faturamento do futebol brasileiro, mas deve haver entendimento sobre a divisão dessa verba.
Inspiradas nas maiores ligas europeias, as métricas usadas para ordenar os recursos lembram esquemas táticos. 50-25-25 e 40-30-30 são sequências de números que entraram para o vocabulário futebolístico – em discursos de cartolas e nas discussões em redes sociais.

O que todos esses números significam? Quais são os principais motivos de discórdia? O que o Brasil pode aprender com referências estrangeiras, como Inglaterra e Espanha?

A primeira proposta
A Liga do Futebol Brasileiro (Libra) – fundada pelos cinco clubes paulistas na primeira divisão e pelo Flamengo – leva em seu estatuto uma proposta de distribuição dos recursos da transmissão. Ela foi formulada com a assessoria da empresa Codajas Sports Kapital.
O dinheiro seria repartido em 40-30-30, assim:

40% iguais para todos os clubes;
30% segundo a colocação na tabela;
30% conforme o sucesso comercial.

Motivos da discórdia
Logo que a proposta foi tornada pública, dirigentes de outro grupo, intitulado Forte Futebol, passaram a fazer oposição abertamente e nos bastidores. Entre eles estão o presidente do Athletico-PR, Mario Celso Petraglia, e o presidente do Fluminense, Mário Bittencourt.

Em carta aberta, os opositores defenderam a adoção de 50-25-25 para equilibrar a distribuição da verba da transmissão e criticaram itens do último terço, como o uso das redes sociais e o tamanho das torcidas.

Posts Relacionados

Flamengo critica CBF sobre o calendário: “Brasileiro não tem isonomia”

Flamengo critica CBF sobre o calendário: “Brasileiro não tem isonomia”

Vice de futebol comenta declaração de Tite, e Bruno Spindel ataca confederação após recusa de troca de datas na Copa América

Neymar brinca com Jorge Jesus em treino e acompanha Al-Hilal na Supercopa

Neymar brinca com Jorge Jesus em treino e acompanha Al-Hilal na Supercopa

Atacante brasileiro compartilha vídeo do clube sobre final com Al-Ittihad e diz: "E a vontade de estar lá?"

Mundial de Clubes: Fifa vai mudar troféu e logo para novo torneio

Mundial de Clubes: Fifa vai mudar troféu e logo para novo torneio

Presidente Gianni Infantino afirma que nova taça estará entre os vários anúncios que a entidade fará para a competição este ano

Mercedes está aberta a receber Sebastian Vettel de volta à F1

Mercedes está aberta a receber Sebastian Vettel de volta à F1

Chefe da equipe alemã, Toto Wolff afirmou que o tetracampeão é alguém "que nunca se pode descartar"; em entrevista recente

Vasco ainda sonha com Marlon Freitas e tem outras duas negociações

Vasco ainda sonha com Marlon Freitas e tem outras duas negociações

A resposta sobre a proposta de R$ 12 milhões pelo volante não foi oficialmente recusada pelo SAF alvinegra, e ainda há conversas

Palmeiras inicia busca para se isolar como maior brasileiro na Libertadores

Palmeiras inicia busca para se isolar como maior brasileiro na Libertadores

Verdão estreia na competição continental nesta quarta-feira, mas deve poupar titulares por estar entre as finais do Paulistão

Landim diz que possível saída do Flamengo afetará Gabigol

Landim diz que possível saída do Flamengo afetará Gabigol

Presidente responde a questionamentos em grupo de WhatsApp com aliados políticos sobre renovação do atacante: "Não seremos reféns"

Dorival aprova início pela Seleção:”O Brasil sai daqui com saldo positivo”

Dorival aprova início pela Seleção:”O Brasil sai daqui com saldo positivo”

Essa é a segunda punição do Peixe; a primeira, pelo não pagamento do técnico Fabián Bustos, foi resolvida após quitação dos R$ 4,7 milhões

pt_BRPortuguese