Voltar ao Início

Você está em:

Governador de SP elogia PAC: ‘Importante para os estados’

Presidente e governadores participaram de evento sobre investimentos e financiamentos federais para obras nos estados
Amanda Omura

Amanda Omura

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) quebrou o protocolo em cerimônia no Palácio do Planalto, nesta terça-feira (12), e "convocou" o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, a fazer um discurso elogioso aos investimentos federais nos estados.

O cerimonial não previa a fala de Tarcísio e chegou a anunciar um discurso de Lula – que reclamou fora do microfone e disse que "algum governador" deveria falar sobre o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), indicando Tarcisio.

"Acho que o presidente Lula me escolheu porque eu estou levando o maior cheque. Deve ser por isso. Mas de fato, a gente fica muito satisfeito de ver esses projetos viabilizados. O PAC é um instrumento para isso. São projetos importantes para todos os estados que estão aqui presentes", afirmou.

"Para a realização da COP, para a infraestrutura do Mato Grosso do Sul, para o saneamento lá no Ceará. Ou seja, projetos que vão gerar, como o ministro Rui [Costa] falou, compra de material de construção, vão movimentar o comércio, vão movimentar a indústria, vão gerar emprego. São mestres de obras, são carpinteiros, são armadores, que terão oportunidade de trabalhar", prosseguiu.

O governador de São Paulo é filiado ao Republicanos, partido de oposição a Lula, e foi ministro do governo Jair Bolsonaro.

Após uma campanha em lados opostos, Tarcísio e Lula fizeram gestos de aproximação em 2023 – mas devem voltar a se opor nas eleições municipais do ano que vem.
Lula afirmou em discurso que não lhe importa a qual partido Tarcísio é filiado e defendeu que os governadores, assim como ele, foram eleitos pela população.

O presidente incentivou os governadores a terem criatividade e otimismo para atrair recursos.

"Se não tiver dinheiro a gente tem que correr atrás, não dá para a gente apenas constatar que não tem dinheiro e ficar quieto", afirmou.

Juros
Lula aproveitou para criticar novamente a taxa de juros praticada pelo Banco Central, comandado por Roberto Campos Neto. A Selic está em 12,25% ao ano e tem expectativa de reduzir para 11,75% na próxima reunião, que começa nesta quarta-feira (13).

Posts Relacionados

Toffoli cobra dados sobre atuação da Transparência Internacional na Lava Jato

Toffoli cobra dados sobre atuação da Transparência Internacional na Lava Jato

Ministro do STF diz ser preciso investigar se recursos públicos foram parar na ONG, que nega recebimento

Lula chama evento com Tarcísio em SP de ‘ato civilizatório’, e diz que dará ‘todo apoio’

Lula chama evento com Tarcísio em SP de ‘ato civilizatório’, e diz que dará ‘todo apoio’

Presidente e governador participaram de cerimônia sobre construção de túnel entre Santos e Guarujá

Bolsonaro pode ter recebido informações da Abin após ex-presidente deixar o cargo

Bolsonaro pode ter recebido informações da Abin após ex-presidente deixar o cargo

A suspeita é de que assessores de Carlos Bolsonaro pediam informações para o ex-diretor da Abin, Alexandre Ramagem

Governo estuda prorrogar GLO em portos e aeroportos por 6 meses

Governo estuda prorrogar GLO em portos e aeroportos por 6 meses

As Forças Armadas ganharam poder de polícia nos aeroportos, e nos portos a Marinha passou a monitorar os acessos

Lula conversa com presidente do Equador e oferece ajuda em crise de segurança

Lula conversa com presidente do Equador e oferece ajuda em crise de segurança

Há preocupação no Palácio do Planalto de que a escalada da violência atinja brasileiros que vivem no Equador

CGU conclui que é falso registro de que Bolsonaro teria se vacinado contra a Covid

CGU conclui que é falso registro de que Bolsonaro teria se vacinado contra a Covid

De acordo com a Controladoria, os resultados serão encaminhados às autoridades do estado e do município de São Paulo

Isenção fiscal para líderes religiosos tiraR$ 300 milhões dos cofres públicos

Isenção fiscal para líderes religiosos tiraR$ 300 milhões dos cofres públicos

Suspensão da regra que desonerava líderes religiosos abriu novo capítulo de desgaste com equipe econômica

G20 terá grupo de Empoderamento Feminino para discutir igualdade e misoginia

G20 terá grupo de Empoderamento Feminino para discutir igualdade e misoginia

Como Brasil preside grupo de países, debates serão coordenados pela ministra das Mulheres, Cida Gonçalves

pt_BRPortuguese