Voltar ao Início

Você está em:

Guerra da Ucrânia perto do fim? O que esperar das negociações

Rússia anunciou que vai reduzir 'drasticamente' as operações perto de Kiev; EUA disse que não vai tirar conclusões antes de ver as ações
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

Depois de uma rodada de negociações de paz entre Rússia e Ucrânia nesta terça-feira (29/3), o vice-ministro russo da Defesa, Alexander Fomin, disse que, em um esforço para "aumentar a confiança mútua", seu país iria reduzir "drasticamente" as operações de combate perto da capital ucraniana, Kiev, e de Chernigov, cidade no norte da Ucrânia.
O governo turco, que recebeu as delegações da Rússia e da Ucrânia, disse que o resultado desta terça representa o progresso mais significativo desde o início da guerra, em fevereiro. Mas, apesar dos sinais positivos, autoridades dos Estados Unidos e do Reino Unido reagiram com cautela.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que não vai tirar conclusões antes de ver as ações da Rússia. "Veremos se irão fazer o que estão sugerindo", afirmou.
O secretário de Estado americano, Antony Blinken, disse ainda não ter visto "sinais de seriedade" por parte da Rússia sobre buscar a paz.
"Existe o que a Rússia diz e existe o que a Rússia faz. Estamos focados neste último", disse Blinken em entrevista coletiva durante visita ao Marrocos. "E o que a Rússia está fazendo é a contínua brutalização da Ucrânia e de sua população, que continua enquanto falamos."

Um porta-voz do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse que a Grã-Bretanha quer que as forças russas deixem completamente a Ucrânia. "Julgaremos Putin e seu regime por suas ações, não por suas palavras", afirmou o porta-voz.
Em entrevista à agência russa de notícias TASS, o chefe da delegação russa, Vladimir Medinsky, disse que as negociações foram "construtivas", mas esclareceu que a promessa de reduzir atividade militar ainda não significa um cessar-fogo imediato.
"Isso não é um cessar-fogo, mas esse é nosso desejo, gradualmente atingir uma desescalada do conflito pelo menos nessa frente", disse Medinsky.

Entre os temas tratados nas negociações está a neutralidade da Ucrânia, que seria protegida por garantias de segurança de um grupo de dez países, entre os quais os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (Rússia, Estados Unidos, Reino Unido, França e China).

Posts Relacionados

Milei se encontra com Elon Musk e oferece apoio

Milei se encontra com Elon Musk e oferece apoio

Presidente da Argentina, Milei ofereceu apoio a Musk nos processos da Justiça brasileira em que o bilionário está sendo investigado

México pede suspensão do Equador na ONU

México pede suspensão do Equador na ONU

O objetivo da denúncia mexicana é "garantir a reparação do dano moral infligido ao Estado mexicano e a seus cidadãos", disse a ministra

Netanyahu diz que já tem data para atacar Rafah

Netanyahu diz que já tem data para atacar Rafah

Ele não deu mais detalhes. Pouco depois, o Departamento de Estado dos Estados Unidos disse que não foi informado sobre os planos

Terremoto de 4,8 de magnitude atinge Nova York

Terremoto de 4,8 de magnitude atinge Nova York

A profundidade do terremoto, de acordo com a USGS, foi de 5 quilômetros abaixo da superfície -- uma profundidade considerada baixa

Blinken diz que Ucrânia vai ser membro da Otan

Blinken diz que Ucrânia vai ser membro da Otan

Ele também afirmou que apoiar a Ucrânia é importante porque os russos estão recebendo ajuda para aumentar sua indústria de defesa

Pressionado, Netanyahu endurece o discurso

Pressionado, Netanyahu endurece o discurso

O primeiro-ministro de Israel é pressionado pela antecipação de eleições gerais e pela crise deflagrada em sua coligação extremista

Ataque destrói consulado iraniano na Síria

Ataque destrói consulado iraniano na Síria

A Guarda Revolucionária do Irã anunciou que sete de seus membros, entre eles três comandantes, morreram no bombardeio

Na Faixa de Gaza, 12 pessoas morrem afogadas

Na Faixa de Gaza, 12 pessoas morrem afogadas

Os Estados Unidos optaram por jogar caixas de aviões porque há dificuldades para entrar com caminhões na Faixa de Gaza

pt_BRPortuguese