Voltar ao Início

Você está em:

Guiana: uma das economias que mais crescem

Descoberta de petróleo na região de Essequibo foi pivô para mudar status do país, mas a maior parte da população ainda é pobre
Amanda Omura

Amanda Omura

Apesar da herança de exploração com colonizações de holandeses e ingleses, a Guiana é um dos países que mais crescem no mundo atualmente. O país sempre foi um dos mais pobres da América do Sul, mas isso começou a mudar a partir de 2015, com a descoberta de petróleo na região de Essequibo.

Por causa do petróleo, a Guiana é hoje o país que mais cresce no mundo, a números impressionantes. Apenas no ano passado, o crescimento foi de 62%.

Com uma reserva de 11 bilhões de barris de petróleo, Essequibo é alvo do presidente venezuelano Nicolás Maduro, que aprovou no início do mês referendo para anexar a área à Venezuela. Os governos dos dois países vão sentar para falar sobre a região na próxima quinta-feira (14) e o presidente Lula foi convidado.

Em teoria, a média do PIB da Guiana é a quarta maior do continente, atrás apenas dos Estados Unidos, Canadá e Bahamas.

Apesar disso, a concentração de renda ainda é grande: a maior parte da população continua pobre e há denúncias de corrupção interna. Todo o petróleo encontrado na Guiana está no mar da província de Essequibo.

Interesses dos EUA
Na disputa pelo Essequibo, cada movimento dos protagonistas Venezuela e Guiana é acompanhado com atenção desde o referendo venezuelano pela anexação do território, realizado no início de dezembro.

No sábado (9/12), os presidentes da Venezuela, Nicolás Maduro, e da Guiana, Irfaan Ali, concordaram em realizar uma reunião sobre a disputa territorial.

No entanto, os olhos do mundo, em especial da América Latina, não estão pregados só nos dois países; os Estados Unidos, assim como o Brasil, é outro protagonista desta crise diplomática.

O governo americano é um aliado político e econômico poderoso da Guiana, enquanto a Venezuela segue em frágeis negociações pelo alívio das sanções econômicas dos Estados Unidos em troca de concessões eleitorais e garantias de direitos humanos.

Posts Relacionados

El Salvador se consolida como regime de partido único

El Salvador se consolida como regime de partido único

Apesar da alta popularidade, presidente concentra poderes e anuncia a pulverização da oposição, com controle de 58 das 60 cadeiras

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

Mark Zuckerberg pediu desculpas a familiares de crianças e adolescentes afetadas por conteúdos de exploração sexual infantil

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores pressionam governo para recuperar danos causados pela inflação e a guerra, além de políticas prejudiciais ao setor

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Ato foi convocado pela maior central sindical do país e tem adesão de funcionários de bancos, comércio, setor bancário e caminhoneiros

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Única desafiante ao ex-presidente na disputa republicana, ex-embaixadora da ONU passa a criticá-lo, para tentar reduzir a vantagem dele

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Nesta semana, Paquistão disse que bombardeou base de grupo separatista em território iraniano, um dia após dizer ter sido atacado Irã

Otan convoca 90 mil soldados para exercício militar

Otan convoca 90 mil soldados para exercício militar

Aliança militar do Ocidente convoca 90 mil soldados de países membros e da Suécia para primeiro exercício militar de 2024

Conflitos se espalham pelo Oriente Médio

Conflitos se espalham pelo Oriente Médio

Israel combate o Hamas e o Hezbollah, aliados do Irã, que apoia também os Houthis, grupo rebelde do Iêmen que ataca navios

pt_BRPortuguese