Voltar ao Início

Você está em:

Gustavo Petro cobra vizinhos por exploração na Amazônia

Petro disse que ciência e movimentos sociais cobram fim da exploração de petróleo, mas 'política está presa na retórica'
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

O presidente da Colômbia, Gustavo Petro, fez um discurso duro na Cúpula da Amazônia nesta terça-feira (8) contra a exploração do petróleo.

A Colômbia propôs que a Declaração de Belém, documento com compromissos conjuntos que os oito países amazônicos firmarão a partir da Cúpula de Belém, contivesse uma sinalização clara pelo fim da exploração de petróleo na Amazônia.

O tema não foi consenso e deve ficar de fora da declaração, mesmo com a pressão da sociedade civil em relação a este tema.

"Os desacordos as vezes nos permitem algumas propostas novas também", disse. "A política não consegue se destacar dos interesses econômicos que derivam do capital fóssil. Por isso a ciência se desespera, porque ela não está vinculada nesses interesses tanto quanto a política", disse.

"Cada vez mais o movimento social se junta com a ciência e a política cada vez mais está presa na retórica".

Petro afirmou ainda que essa dissonância é o que faz com que Conferências do Clima fracassem.

Brasil
O governo brasileiro está dividido sobre o assunto, com o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, defendendo que a Petrobras possa fazer pesquisas para avaliar a viabilidade de petróleo na foz do Amazonas.

Por outro lado, a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, afirmou que o momento não permite "atitudes erráticas" e que zerar o desmatamento não será o suficiente para garantir a sobrevivência da Amazônia, mas sim o fim do uso de combustíveis fósseis.

O presidente colombiano classificou a exploração de petróleo na Amazônia como "sem sentido" e um "contrassenso" e pediu que decisões sejam tomadas. "Não vamos colocar na declaração [de Belém], mas vamos tomar decisões", disse.

Posts Relacionados

G7: líderes de países racham sobre aborto

G7: líderes de países racham sobre aborto

Apoio financeiro à Ucrânia é o principal tema do encontro, na Itália, que tem presença do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky

Acordo autoriza entrada da Ucrânia na Otan

Acordo autoriza entrada da Ucrânia na Otan

Zelensky tem planos para que a Ucrânia entre na Otan já faz tempo, mas com a guerra, perdeu apoio dos países que compõem o grupo

Por que Macron pode dissolver o Parlamento na França?

Por que Macron pode dissolver o Parlamento na França?

A medida ocorreu depois da derrota do partido de Emmanuel Macron para de Le Pen nas eleições do Parlamento Europeu

Temos mais armas nucleares que a Europa toda, diz Putin

Temos mais armas nucleares que a Europa toda, diz Putin

Presidente russo afirmou também estar certo de sua vitória na guerra da Ucrânia, mas disse estar aberto a negociações de paz

Eleições no Parlamento Europeu começam

Eleições no Parlamento Europeu começam

A eleição para o Parlamento Europeu é a segunda maior votação do mundo. Espera-se que a participação neste ano seja a maior da história

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Presidente dos EUA chegou a Paris para participar das celebrações pelos 80 anos do Dia D. Ele se reunirá com o rei Charles III

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Presidente eleita assumirá o cargo um mês antes do pleito americano. Biden e Trump duelam para controlar a narrativa sobre migrantes

África do Sul tem eleições mais acirradas

África do Sul tem eleições mais acirradas

Serão eleitos 400 deputados nomeados proporcionalmente, indicados por 50 partidos. O novo Parlamento nomeará o próximo presidente

pt_BRPortuguese