Voltar ao Início

Você está em:

Liberação de água radioativa de Fukushima

Água será liberada ao longo de 30 anos após ser filtrada e diluída; especialistas dizem que risco é baixo para população
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

O capítulo final de uma polêmica que surgiu há dois anos, gerando protestos da população japonesa e de governos de outros países, está prestes a ser encerrado.

Nesta quinta-feira (24/8), o Japão começará a liberar água radioativa tratada da usina nuclear de Fukushima, atingida por um tsunami em 2011.

A decisão ocorre semanas após o órgão de vigilância nuclear da ONU ter aprovado o plano.

Cerca de 1,34 milhão de toneladas de água — o suficiente para encher 500 piscinas olímpicas — estão acumuladas desde que o tsunami destruiu a central.

A água será liberada ao longo de 30 anos após ser filtrada e diluída.

As autoridades solicitarão ao operador da central que "se prepare imediatamente" para o início da eliminação em 24 de agosto, se as condições meteorológicas e marítimas forem adequadas, disse o primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, após uma reunião de seu gabinete.

Kishida visitou a usina no domingo, gerando especulações de que a liberação seria iminente.

O governo disse que a liberação da água é uma etapa necessária no longo e caro processo de desativação da usina, que fica na costa leste do país, a cerca de 220 quilômetros da capital, Tóquio.

O Japão recolhe e armazena água contaminada em tanques há mais de uma década, mas há cada vez menos espaço.

Em 2011, um tsunami desencadeado por um terremoto de magnitude 9,0 inundou três reatores da usina nuclear de Fukushima Daiichi.

O evento é considerado o pior desastre nuclear do mundo desde Chernobyl.

Pouco depois, as autoridades criaram uma zona de exclusão que continuou a ser ampliada à medida que a radiação vazava da central, forçando mais de 150 mil pessoas a evacuarem a área.

O plano para liberar água da usina causou alarme em toda a Ásia e no Pacífico desde que foi aprovado pelo governo japonês, há dois anos.

Posts Relacionados

Fogo avança sem controle na Califórnia

Fogo avança sem controle na Califórnia

Chamas anteciparam temporada de incêndios no estado dos EUA. Ventos e baixa visibilidade tornam esforços para apagar fogo 'inúteis'

G7: líderes de países racham sobre aborto

G7: líderes de países racham sobre aborto

Apoio financeiro à Ucrânia é o principal tema do encontro, na Itália, que tem presença do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky

Acordo autoriza entrada da Ucrânia na Otan

Acordo autoriza entrada da Ucrânia na Otan

Zelensky tem planos para que a Ucrânia entre na Otan já faz tempo, mas com a guerra, perdeu apoio dos países que compõem o grupo

Por que Macron pode dissolver o Parlamento na França?

Por que Macron pode dissolver o Parlamento na França?

A medida ocorreu depois da derrota do partido de Emmanuel Macron para de Le Pen nas eleições do Parlamento Europeu

Temos mais armas nucleares que a Europa toda, diz Putin

Temos mais armas nucleares que a Europa toda, diz Putin

Presidente russo afirmou também estar certo de sua vitória na guerra da Ucrânia, mas disse estar aberto a negociações de paz

Eleições no Parlamento Europeu começam

Eleições no Parlamento Europeu começam

A eleição para o Parlamento Europeu é a segunda maior votação do mundo. Espera-se que a participação neste ano seja a maior da história

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Presidente dos EUA chegou a Paris para participar das celebrações pelos 80 anos do Dia D. Ele se reunirá com o rei Charles III

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Presidente eleita assumirá o cargo um mês antes do pleito americano. Biden e Trump duelam para controlar a narrativa sobre migrantes

pt_BRPortuguese