Voltar ao Início

Você está em:

Marine Le Pen vem subindo nas pesquisas eleitorais

Marine Le Pen, a líder da extrema direita francesa, reduziu a diferença nas pesquisas eleitorais e encostou em Macron
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

Há seis semanas, enquanto a Rússia atacava a Ucrânia, Emmanuel Macron estava na zona de conforto, claro favorito a tornar-se o primeiro presidente a ser reeleito na França em 20 anos. A campanha eleitoral não o preocupava, parecia mais concentrado em firmar-se como estadista, mediador e líder europeu.

Em sua terceira tentativa de tornar-se presidente, Marine Le Pen, a líder da extrema direita francesa, correu por fora e suavizou o discurso, focado no que chama de “França profunda”. Reduziu a diferença nas pesquisas e encostou em Macron.
A imagem moderada da candidata foi esculpida mais para a direita, deixando os eleitores mais radicais para o ultradireitista Eric Zemmour, um xenófobo comentarista de TV que se define como nostálgico e reacionário, ao pregar que a França e o Islã são incompatíveis.

De início ofuscada por Zemmour, Le Pen tomou distância dele e se beneficiou dessa estratégia. Deixou para o adversário da mesma corrente ideológica o discurso extremista, que rechaça imigrantes e insiste na decadência da França.
A candidata do Reagrupamento Nacional (antiga Frente Nacional) concentrou-se no aumento do custo de vida, no corte de impostos e na aposentadoria aos 62 anos (e não aos 65 como defende Macron). Não que ela tenha abandonado as promessas de restringir a imigração, proibir o véu mulçumano em todos os espaços públicos e priorizar os franceses na obtenção de moradia e emprego.

Essas ideias permeiam sua campanha, recicladas, porém, nas questões que falam alto aos franceses. Le Pen se manteve longe da guerra, ciente de que seus laços com Vladimir Putin a prejudicariam.

Nas últimas semanas, ela vem subindo incessantemente nas pesquisas, embora não tenha conseguido desbancar Macron em nenhuma delas. No primeiro turno, no domingo, a média das pesquisas põe o presidente na dianteira, com 26,5% dos votos, seguido pela candidata de extrema direita, com 23%. Na segunda rodada, Le Pen também está atrás, mas contará com a reserva de votos do eleitorado de Zemmour, que vem migrando para ela.

Posts Relacionados

Fogo avança sem controle na Califórnia

Fogo avança sem controle na Califórnia

Chamas anteciparam temporada de incêndios no estado dos EUA. Ventos e baixa visibilidade tornam esforços para apagar fogo 'inúteis'

G7: líderes de países racham sobre aborto

G7: líderes de países racham sobre aborto

Apoio financeiro à Ucrânia é o principal tema do encontro, na Itália, que tem presença do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky

Acordo autoriza entrada da Ucrânia na Otan

Acordo autoriza entrada da Ucrânia na Otan

Zelensky tem planos para que a Ucrânia entre na Otan já faz tempo, mas com a guerra, perdeu apoio dos países que compõem o grupo

Por que Macron pode dissolver o Parlamento na França?

Por que Macron pode dissolver o Parlamento na França?

A medida ocorreu depois da derrota do partido de Emmanuel Macron para de Le Pen nas eleições do Parlamento Europeu

Temos mais armas nucleares que a Europa toda, diz Putin

Temos mais armas nucleares que a Europa toda, diz Putin

Presidente russo afirmou também estar certo de sua vitória na guerra da Ucrânia, mas disse estar aberto a negociações de paz

Eleições no Parlamento Europeu começam

Eleições no Parlamento Europeu começam

A eleição para o Parlamento Europeu é a segunda maior votação do mundo. Espera-se que a participação neste ano seja a maior da história

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Presidente dos EUA chegou a Paris para participar das celebrações pelos 80 anos do Dia D. Ele se reunirá com o rei Charles III

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Presidente eleita assumirá o cargo um mês antes do pleito americano. Biden e Trump duelam para controlar a narrativa sobre migrantes

pt_BRPortuguese