Voltar ao Início

Você está em:

Por que nova ofensiva no leste ucraniano pode ser decisiva

Moscou disse ter feito 1.260 ataques na terça-feira. No dia anterior, foram 315. Segunda fase da guerra é chamada 'Batalha de Donbass'
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

Depois de 55 dias sem conseguir conquistar territórios, a Rússia aposta todas as fichas nos ataques desta semana, que Moscou chamou de "segunda fase da guerra", baseada em ataque ostensivos e com foco no leste da Ucrânia. Só nesta terça-feira (19), tropas russas quadruplicaram o número de bombardeios em território ucraniano na comparação com o dia anterior, a grande maioria deles no leste do país.

De acordo com o Ministério da Defesa russo, suas tropas realizaram 1.260 ataques durante a madrugada. O número é quatro vezes maior que os 315 ataques feitos na véspera, uma quantidade já bastante superior aos dias anteriores.

O governo ucraniano também disse que identificou a nova fase da guerra da Ucrânia. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, anunciou que as novas ofensivas na região do Donbass já começaram.

A ofensiva é vista como decisiva para o desfecho da guerra, porque pode culminar tanto na conquista para a Rússia de territórios do leste da Ucrânia como em um grande rombo no orçamento de Moscou. O governo russo deslocou quase todo seu Exército e armamento de guerra para a região, e pode ainda sofrer mais sanções em decorrência dos novos ataques.

O ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, disse nesta terça-feira (19) prever um desdobramento significativo da nova fase. "Outra etapa desta operação (no leste da Ucrânia) está começando e estou certo de que este será um momento muito importante de toda esta operação especial", declarou.

Uma "parte muito grande de todo o Exército russo está agora focada nesta ofensiva", disse Zelensky em um discurso em vídeo. "Não importa quantas tropas russas eles enviem para lá, nós vamos lutar. Vamos nos defender."

O chefe de gabinete de Zelensky, Andriy Yermak, garantiu aos ucranianos que suas forças podem conter a ofensiva. "Acreditem em nosso Exército, ele é muito forte", disse.

Posts Relacionados

Eleições no Parlamento Europeu começam

Eleições no Parlamento Europeu começam

A eleição para o Parlamento Europeu é a segunda maior votação do mundo. Espera-se que a participação neste ano seja a maior da história

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Presidente dos EUA chegou a Paris para participar das celebrações pelos 80 anos do Dia D. Ele se reunirá com o rei Charles III

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Presidente eleita assumirá o cargo um mês antes do pleito americano. Biden e Trump duelam para controlar a narrativa sobre migrantes

África do Sul tem eleições mais acirradas

África do Sul tem eleições mais acirradas

Serão eleitos 400 deputados nomeados proporcionalmente, indicados por 50 partidos. O novo Parlamento nomeará o próximo presidente

Gema de ovo é boa para a memória? Sal é vilão? O que ajuda na saúde do cérebro

Gema de ovo é boa para a memória? Sal é vilão? O que ajuda na saúde do cérebro

Peixes gordos, oleaginosas, frutas e vegetais escuros contêm propriedades importantes para o nosso cérebro

Forças de Israel e do Egito trocam tiros em fronteira

Forças de Israel e do Egito trocam tiros em fronteira

Sites locais falam ainda de um soldado egípcio morto. Exército de Israel confirma que houve um "incidente" na fronteira

Acaba mandato de Zelensky, mas continua presidente

Acaba mandato de Zelensky, mas continua presidente

Terminou oficialmente na segunda-feira (20) o mandato do presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. Apesar disso, ele seguirá como chefe do Executivo do país. Em guerra

Putin nega planos de invadir Kharkiv, na Ucrânia

Putin nega planos de invadir Kharkiv, na Ucrânia

O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta sexta-feira (17) que invadir e conquistar Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia e onde suas tropas têm

pt_BRPortuguese