Voltar ao Início

Você está em:

Porte de arma nos EUA: por que está na Constituição?

Posse de armas é atribuída à história particular dos Estados Unidos e se reflete como um direito fundamental na Constituição
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

Salvador Ramos — autor do massacre em uma escola no Texas (EUA) em que morreram 19 crianças, 2 professores e ele próprio — completou recentemente 18 anos.
Para comemorar a ocasião, ele se presenteou com dois fuzis semiautomáticos do tipo AR15, um dos modelos mais comuns em ataques em massa anteriores, e 370 cartuchos de munição. Ele simplesmente entrou em uma loja, fez seu pedido, pagou e saiu.

Isso pode parecer inconcebível em qualquer país, mas não nos Estados Unidos, onde manter e portar armas é um direito fundamental protegido pela Constituição. E, mais especificamente, pela Segunda Emenda.

O que é e por que surgiu?
Em 15 de dezembro de 1791, os então novíssimos Estados Unidos da América ratificaram a Declaração de Direitos, as dez primeiras emendas à Constituição, confirmando os direitos fundamentais de seus cidadãos.
Dessa forma, a posse de armas estava no mesmo nível da liberdade de expressão, imprensa, religião ou reunião.
No ano de 1791, os Estados Unidos ocupavam cerca de um terço de seu território atual, com vistas à expansão para o oeste. Ainda era recente a vitória contra a Grã-Bretanha na Guerra da Independência (1775-83), na qual as milícias tiveram papel fundamental.
Sua principal arma longa era o mosquete, um dispositivo de infantaria usado até o século 19 que tinha um alcance de tiro efetivo de cerca de 100 metros e podia ser disparado cerca de três vezes por minuto.
Naquela época, em que a identidade cultural americana estava sendo forjada, muitos viam os soldados regulares como instrumentos a serviço do poder, com capacidade de oprimir cidadãos, e acreditavam que a melhor maneira de se defender era portando suas próprias armas e, se necessário, organizar-se em milícias.

Assim, depois que a Constituição foi oficialmente ratificada em 1788, James Madison, elaborou a Segunda Emenda com o objetivo de empoderar as milícias nos Estados. Ela tirou a autoridade de desarmar os cidadãos que queriam se defender.

Posts Relacionados

Temos mais armas nucleares que a Europa toda, diz Putin

Temos mais armas nucleares que a Europa toda, diz Putin

Presidente russo afirmou também estar certo de sua vitória na guerra da Ucrânia, mas disse estar aberto a negociações de paz

Eleições no Parlamento Europeu começam

Eleições no Parlamento Europeu começam

A eleição para o Parlamento Europeu é a segunda maior votação do mundo. Espera-se que a participação neste ano seja a maior da história

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Presidente dos EUA chegou a Paris para participar das celebrações pelos 80 anos do Dia D. Ele se reunirá com o rei Charles III

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Presidente eleita assumirá o cargo um mês antes do pleito americano. Biden e Trump duelam para controlar a narrativa sobre migrantes

África do Sul tem eleições mais acirradas

África do Sul tem eleições mais acirradas

Serão eleitos 400 deputados nomeados proporcionalmente, indicados por 50 partidos. O novo Parlamento nomeará o próximo presidente

Gema de ovo é boa para a memória? Sal é vilão? O que ajuda na saúde do cérebro

Gema de ovo é boa para a memória? Sal é vilão? O que ajuda na saúde do cérebro

Peixes gordos, oleaginosas, frutas e vegetais escuros contêm propriedades importantes para o nosso cérebro

Forças de Israel e do Egito trocam tiros em fronteira

Forças de Israel e do Egito trocam tiros em fronteira

Sites locais falam ainda de um soldado egípcio morto. Exército de Israel confirma que houve um "incidente" na fronteira

Acaba mandato de Zelensky, mas continua presidente

Acaba mandato de Zelensky, mas continua presidente

Terminou oficialmente na segunda-feira (20) o mandato do presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. Apesar disso, ele seguirá como chefe do Executivo do país. Em guerra

pt_BRPortuguese