Voltar ao Início

Você está em:

Ucrânia proíbe música e livros originários da Rússia

Decisão foi tomada pelo parlamento e envolve também todo o material impresso originário de Belarus e das regiões ocupadas por Moscou
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

O Parlamento ucraniano aprovou uma controversa lei no domingo (19) que proíbe música e livros vindos da Rússia. A medida também vale para todo o material impresso originário de Belarus e das regiões ocupadas por Moscou.

A medida foi anunciada pelo deputado ucraniano Pavel Frolov em sua conta no Telegram. Segundo ele, a lei adotada proíbe a transmissão da produção musical russa nas mídias do país, além da apresentação em espaços públicos ucranianos de artistas da Rússia. O mesmo vale para importação e distribuição de livros em língua russa que venham "do país invasor", de Belarus - um dos principais aliados de Moscou - e dos territórios ucranianos ocupados, para os quais será necessário obter uma licença especial.

O texto prevê liberar das restrições artistas russos que condenaram publicamente a guerra, indicaram as mídias ucranianas. O Conselho de Segurança e Defesa Nacional do país também pretende criar uma lista de personalidades culturais russas que se distanciaram do Kremlin e poderão continuar sendo difundidos na Ucrânia.

O projeto de lei foi adotado por dois terços dos deputados ucranianos. O texto estipula que "a produção cultural do agressor pode agir sobre o comportamento da população". Segundo o Parlamento, a restrição poderá ser suspensa quando a guerra terminar e os territórios ocupados pelos russos retornarem ao controle da Ucrânia.

A lei também prevê quotas mínimas de músicas em idioma ucraniano, que deverão representar pelo menos 40% da produção musical transmitida nas mídias do país. Além disso, ao menos 75% do conteúdo de informação e entretenimento de rádios e TVs devem usar o idioma oficial do país.

Quase quatro meses de guerra
A guerra na Ucrânia entrou em seu 117° dia nesta segunda-feira (20). A região do Donbass, no leste, é atualmente alvo de ataques intensos das tropas russas. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky reconhece que houve "perdas importantes" e prevê momentos difíceis para seu exército.

Posts Relacionados

Eleições no Parlamento Europeu começam

Eleições no Parlamento Europeu começam

A eleição para o Parlamento Europeu é a segunda maior votação do mundo. Espera-se que a participação neste ano seja a maior da história

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Presidente dos EUA chegou a Paris para participar das celebrações pelos 80 anos do Dia D. Ele se reunirá com o rei Charles III

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Presidente eleita assumirá o cargo um mês antes do pleito americano. Biden e Trump duelam para controlar a narrativa sobre migrantes

África do Sul tem eleições mais acirradas

África do Sul tem eleições mais acirradas

Serão eleitos 400 deputados nomeados proporcionalmente, indicados por 50 partidos. O novo Parlamento nomeará o próximo presidente

Gema de ovo é boa para a memória? Sal é vilão? O que ajuda na saúde do cérebro

Gema de ovo é boa para a memória? Sal é vilão? O que ajuda na saúde do cérebro

Peixes gordos, oleaginosas, frutas e vegetais escuros contêm propriedades importantes para o nosso cérebro

Forças de Israel e do Egito trocam tiros em fronteira

Forças de Israel e do Egito trocam tiros em fronteira

Sites locais falam ainda de um soldado egípcio morto. Exército de Israel confirma que houve um "incidente" na fronteira

Acaba mandato de Zelensky, mas continua presidente

Acaba mandato de Zelensky, mas continua presidente

Terminou oficialmente na segunda-feira (20) o mandato do presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. Apesar disso, ele seguirá como chefe do Executivo do país. Em guerra

Putin nega planos de invadir Kharkiv, na Ucrânia

Putin nega planos de invadir Kharkiv, na Ucrânia

O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta sexta-feira (17) que invadir e conquistar Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia e onde suas tropas têm

pt_BRPortuguese