Voltar ao Início

Você está em:

Zelensky desconfia de anúncio de desescalada da Rússia

Em seu vídeo, Zelensky reivindicou que qualquer retirada das forças russas era 'resultado do trabalho de nossos defensores'
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, manifestou nesta quarta-feira (30) sua desconfiança sobre o anúncio russo de uma desescalada na invasão de seu país e assegurou que o seu exército está se preparando para combates mais intensos no leste.
"Não acreditamos em ninguém, nem em uma única frase bonita", disse Zelensky em um vídeo dirigido a seus conterrâneos, no qual alertava que as tropas russas estavam se reagrupando para lançar um ataque contra a região de Donbass, no extremo leste.
"Não entregaremos nada. Lutaremos por cada metro de nosso território", acrescentou.

Após uma nova rodada de conversas de paz em Istambul na terça-feira, um negociador russo disse que Moscou desescalaria "radicalmente" suas operações em torno da capital Kiev e da cidade de Chernihiv, no norte do país.
Contudo, os bombardeios continuaram durante a noite seguinte.
Em seu vídeo, Zelensky reivindicou que qualquer retirada das forças russas era "resultado do trabalho de nossos defensores" e voltou a pedir o envio de armas à comunidade internacional, incluindo tanques, aviões e sistemas de artilharia.
"A liberdade deve estar tão armada como a tirania", disse.

Chernobyl
O Pentágono afirmou na quarta-feira (30) que os russos começaram a se retirar da área do acidente nuclear de Chernobyl.

A notícia vem no dia seguinte ao anúncio de Moscou de que suas tropas vão recuar e reduzir "'radicalmente" ataques em Kiev e Chernihiv, no norte do país. A zona de exclusão de Chernobyl fica perto das duas cidades, e fica no caminho entre Belarus, que serve de base para os invasores russos, e a capital ucraniana.
"Chernobyl é uma zona onde estão começando a reposicionar algumas de suas tropas, saindo, afastando-se das instalações de Chernobyl, e entrando em Belarus", disse um alto funcionário de Defesa dos EUA. "Acreditamos que estão partindo, mas não posso dizer-lhes que todos tenham ido embora", acrescentou.

Posts Relacionados

Temos mais armas nucleares que a Europa toda, diz Putin

Temos mais armas nucleares que a Europa toda, diz Putin

Presidente russo afirmou também estar certo de sua vitória na guerra da Ucrânia, mas disse estar aberto a negociações de paz

Eleições no Parlamento Europeu começam

Eleições no Parlamento Europeu começam

A eleição para o Parlamento Europeu é a segunda maior votação do mundo. Espera-se que a participação neste ano seja a maior da história

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Presidente dos EUA chegou a Paris para participar das celebrações pelos 80 anos do Dia D. Ele se reunirá com o rei Charles III

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Presidente eleita assumirá o cargo um mês antes do pleito americano. Biden e Trump duelam para controlar a narrativa sobre migrantes

África do Sul tem eleições mais acirradas

África do Sul tem eleições mais acirradas

Serão eleitos 400 deputados nomeados proporcionalmente, indicados por 50 partidos. O novo Parlamento nomeará o próximo presidente

Gema de ovo é boa para a memória? Sal é vilão? O que ajuda na saúde do cérebro

Gema de ovo é boa para a memória? Sal é vilão? O que ajuda na saúde do cérebro

Peixes gordos, oleaginosas, frutas e vegetais escuros contêm propriedades importantes para o nosso cérebro

Forças de Israel e do Egito trocam tiros em fronteira

Forças de Israel e do Egito trocam tiros em fronteira

Sites locais falam ainda de um soldado egípcio morto. Exército de Israel confirma que houve um "incidente" na fronteira

Acaba mandato de Zelensky, mas continua presidente

Acaba mandato de Zelensky, mas continua presidente

Terminou oficialmente na segunda-feira (20) o mandato do presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. Apesar disso, ele seguirá como chefe do Executivo do país. Em guerra

pt_BRPortuguese