Voltar ao Início

Você está em:

Lula e Putin conversam sobre conflitos mundiais

Segundo nota do Planalto, Lula reforçou a importância da abertura de um corredor para que estrangeiros saiam da Faixa de Gaza
Amanda Omura

Amanda Omura

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conversou com o presidente russo, Vladimir Putin, nesta segunda-feira (23). Segundo o Palácio do Planalto, os dois discutiram as guerras na Ucrânia e no Oriente Médio.

De acordo com o Planalto, Lula relatou a Putin a situação dos brasileiros que aguardam para deixar a Faixa de Gaza. O líder brasileiro reforçou a necessidade da criação de um corredor humanitário pelo Egito que permita a saída dos estrangeiros e a entrada de remédios, água e alimentos no local.

A guerra no Oriente Médio teve início há mais de duas semanas, após um ataque terrorista do Hamas contra Israel. Desde então, a tropas israelenses atacam a Faixa de Gaza.
Ainda de acordo com nota do Planalto, Lula e Putin concordaram sobre a necessidade de pôr fim aos bombardeios na Faixa de Gaza e da libertação "imediata" dos reféns.

O governo afirma que os dois presidentes saudaram a iniciativa do Egito de realizar uma cúpula sobre o tema, no sábado (21), e discutiram a proposta de resolução apresentada pelo Brasil ao Conselho de Segurança da ONU, que teve 12 votos favoráveis, mas foi vetada pelos Estados Unidos.

A Rússia não vetou a resolução que, previa, entre outros pontos, a criação do corredor humanitário entre Gaza e o Egito. O Brasil está no comando rotativo do conselho.

Segundo o texto, Putin "lamentou que após tantas décadas não tenha sido encontrada solução para a criação do Estado Palestino".

Guerra na Ucrânia
Os presidentes também conversaram sobre a guerra entre Rússia e Ucrânia, iniciada em fevereiro de 2022 após as tropas russas invadirem território ucraniano.
Lula voltou a citar sua disposição para mediar um acordo de paz entre os dois países.

O presidente brasileiro já condenou a invasão militar russa, mas foi criticado pelos governos da Ucrânia e do Estados Unidos por manifestar posições consideradas a favor de Putin.

A Rússia é um dos integrantes do Brics, bloco que o Brasil integra também ao lado de China, Índia e África do Sul. Lula tem contato com Putin desde os mandatos anteriores dos líderes como presidentes de seus países.

Posts Relacionados

El Salvador se consolida como regime de partido único

El Salvador se consolida como regime de partido único

Apesar da alta popularidade, presidente concentra poderes e anuncia a pulverização da oposição, com controle de 58 das 60 cadeiras

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

Mark Zuckerberg pediu desculpas a familiares de crianças e adolescentes afetadas por conteúdos de exploração sexual infantil

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores pressionam governo para recuperar danos causados pela inflação e a guerra, além de políticas prejudiciais ao setor

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Ato foi convocado pela maior central sindical do país e tem adesão de funcionários de bancos, comércio, setor bancário e caminhoneiros

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Única desafiante ao ex-presidente na disputa republicana, ex-embaixadora da ONU passa a criticá-lo, para tentar reduzir a vantagem dele

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Nesta semana, Paquistão disse que bombardeou base de grupo separatista em território iraniano, um dia após dizer ter sido atacado Irã

Otan convoca 90 mil soldados para exercício militar

Otan convoca 90 mil soldados para exercício militar

Aliança militar do Ocidente convoca 90 mil soldados de países membros e da Suécia para primeiro exercício militar de 2024

Conflitos se espalham pelo Oriente Médio

Conflitos se espalham pelo Oriente Médio

Israel combate o Hamas e o Hezbollah, aliados do Irã, que apoia também os Houthis, grupo rebelde do Iêmen que ataca navios

pt_BRPortuguese