Voltar ao Início

Você está em:

Milei e Patricia Bullrich não querem entrar nos Brics

Milei disse que o alinhamento geopolítico da Argentina "é com os Estados Unidos e com Israel' e que o país não vai se alinhar com comunistas
Amanda Omura

Amanda Omura

Javier Milei e Patrícia Bullrich, os candidatos das coligações políticas mais bem colocadas na corrida presidencial da Argentina, afirmaram que são contrários ao ingresso do país no grupo dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).
Nesta quinta-feira (24), os presidentes dos países que formam os Brics anunciaram uma expansão. Os próximos a integrar são:
Arábia Saudita,
Argentina,
Egito,
Emirados Árabes e
Irã

A Argentina é governada por Alberto Fernández, um presidente de esquerda. No entanto, ele não é candidato a reeleição, e o mandato dele acaba no dia 10 de dezembro. A frente eleitoral governista é liderada pelo ministro da Economia, Sergio Massa.

Nas prévias das eleições, as frentes mais bem colocadas foram as dos seguintes candidatos:
Javier Milei: 30,04%
Patricia Bullrich: 28,27%
Sergio Massa: 27,27%

O que disse Milei?
Javier Milei, que ficou em primeiro, afirmou o seguinte: "Nosso alinhamento geopolítico é com os Estados Unidos e com Israel. Nós não vamos nos alinhar com comunistas. Isso não quer dizer que o setor privado poderá comercializar com quem bem entender".

Milei já afirmou no passado que prentende tirar a Argentina do Mercosul.

O que disse Patricia Bullrich?
A segunda colocada afirmou que Alberto Fernández é fraco e não consegue exercer a presidência e que, ainda assim, comprometeu a Argentina a entrar nos Brics "enquanto a Rússia invade a Ucrânia e com ninguém menos que o Irã".

Ampliação do bloco
Os seis países convidados terão de cumprir com algumas condições para participar do grupo a partir de 1º de janeiro de 2024.

A ministra das Relações Exteriores da África do Sul, Naledi Pandorm, já havia adiantado na quarta-feira (23) que os líderes dos países chegaram a um acordo para adotar diretrizes de ampliação do Brics.

Posts Relacionados

El Salvador se consolida como regime de partido único

El Salvador se consolida como regime de partido único

Apesar da alta popularidade, presidente concentra poderes e anuncia a pulverização da oposição, com controle de 58 das 60 cadeiras

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

EUA discute sobre a responsabilização das big techs

Mark Zuckerberg pediu desculpas a familiares de crianças e adolescentes afetadas por conteúdos de exploração sexual infantil

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores impõem ‘cerco’ a Paris em protesto

Agricultores pressionam governo para recuperar danos causados pela inflação e a guerra, além de políticas prejudiciais ao setor

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Começa paralisação na Argentina contra Milei

Ato foi convocado pela maior central sindical do país e tem adesão de funcionários de bancos, comércio, setor bancário e caminhoneiros

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Nikki Haley parte para o tudo ou nada contra Trump

Única desafiante ao ex-presidente na disputa republicana, ex-embaixadora da ONU passa a criticá-lo, para tentar reduzir a vantagem dele

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Irã e Paquistão abrem diálogo por crise no Oriente

Nesta semana, Paquistão disse que bombardeou base de grupo separatista em território iraniano, um dia após dizer ter sido atacado Irã

Otan convoca 90 mil soldados para exercício militar

Otan convoca 90 mil soldados para exercício militar

Aliança militar do Ocidente convoca 90 mil soldados de países membros e da Suécia para primeiro exercício militar de 2024

Conflitos se espalham pelo Oriente Médio

Conflitos se espalham pelo Oriente Médio

Israel combate o Hamas e o Hezbollah, aliados do Irã, que apoia também os Houthis, grupo rebelde do Iêmen que ataca navios

pt_BRPortuguese