Voltar ao Início

Você está em:

Musculação pode aumentar expectativa de vida, indica estudo

Pesquisa sugere que exercícios de fortalecimento muscular devem fazer parte da rotina semanal de uma pessoa idosa
Amanda Omura

Amanda Omura

Atividades que fortalecem os músculos — como levantar peso — devem fazer parte da rotina semanal de exercícios de uma pessoa idosa, sugere um novo estudo.

Pesquisadores dos EUA descobriram que as pessoas que faziam tanto exercícios aeróbicos quanto de musculação eram mais propensas a viver mais do que aquelas que praticavam apenas um ou outro.

Mas você não precisa ir à academia — também vale carregar sacolas de compra pesadas, cavar a terra no jardim e fazer pilates.
Ambos os tipos de atividade são indicados de acordo com as recomendações atuais.

O NHS, sistema de saúde público do Reino Unido, aconselha os adultos com mais de 65 anos a serem fisicamente ativos todos os dias e fazerem atividades para melhorar a força, o equilíbrio e a flexibilidade pelo menos duas vezes por semana.

Também recomenda pelo menos 150 minutos de atividade de intensidade moderada por semana ou 75 minutos de atividade de intensidade vigorosa se você já for ativo.

O músculo é importante
Sabe-se que aumentar a frequência cardíaca regularmente deixa as pessoas mais em forma e saudáveis, além de ajudar a prolongar suas vidas.

Mas pouco se sabe sobre os efeitos do levantamento de peso ou dos exercícios de fortalecimento muscular em relação a quanto tempo as pessoas vivem.
O estudo americano, publicado no British Journal of Sports Medicine, perguntou a mais de 150 mil pessoas na faixa dos 60 e 70 anos sobre sua rotina de exercícios e depois as acompanhou.

Os pesquisadores descobriram que os participantes que faziam os 150 minutos recomendados de exercícios moderados por semana viveram mais do que aqueles que não faziam — mas aqueles que combinavam exercícios aeróbicos regulares com atividades de fortalecimento muscular uma ou duas vezes por semana se saíram ainda melhor.

Eles apresentaram um risco 47% menor de morrer por qualquer causa, exceto câncer, ao longo dos nove anos seguintes — do que aqueles que não eram ativos.

Fazer apenas levantamento de peso reduziu o risco em até 9-22%, e somente exercícios aeróbicos em 24-34%.

Exemplos de exercícios aeróbicos, que fazem bombear o coração e os pulmões, incluem caminhada apressada, corrida, ciclismo e natação.

O estudo também descobriu que as mulheres se beneficiaram mais do levantamento de peso do que os homens.

A equipe de pesquisa, do Instituto Nacional do Câncer de Maryland e da Universidade de Iowa, ambos nos EUA, explicou que exercícios de fortalecimento muscular podem tornar o corpo mais magro e os ossos mais fortes, levando a uma vida mais saudável na velhice.

Posts Relacionados

Cerca de 11 mil brasileiros morreram de Aids em 2022

Cerca de 11 mil brasileiros morreram de Aids em 2022

Ministério da Saúde divulgou novo boletim epidemiológico na véspera do Dia Mundial de Luta Contra a Aids, celebrado em 01/12

Burnout, abuso de drogas e tentativa de suicídio entram em doenças de trabalho

Burnout, abuso de drogas e tentativa de suicídio entram em doenças de trabalho

Lista atualizada pelo Ministério da Saúde inclui 165 novas patologias. Entre 2007 e 2022, o SUS atendeu quase 3 milhões de casos

Consumista ou comprador compulsivo? Entenda a diferença

Consumista ou comprador compulsivo? Entenda a diferença

Necessidade descontrolada de realizar compras geralmente é sinal de que algo não vai bem com a saúde mental

Menopausa: qual a relação dos hormônios com a saúde mental da mulher?

Menopausa: qual a relação dos hormônios com a saúde mental da mulher?

Oscilações dos hormônios começam antes mesmo da primeira menstruação e continuam durante toda a vida, até o climatério

Entenda a tocofobia, que leva a exagero em pílulas do dia seguinte

Entenda a tocofobia, que leva a exagero em pílulas do dia seguinte

Segundo ginecologistas e psicólogos, é comum que mulheres que não queiram engravidar sintam algum medo

Cerveja gelada pode não ser a melhor opção para enfrentar a onda de calor

Cerveja gelada pode não ser a melhor opção para enfrentar a onda de calor

Médicos explicam como o consumo de álcool, especialmente em dias quentes, pode agravar quadros de desidratação

Quando o calor se torna perigoso à saúde e como se proteger

Quando o calor se torna perigoso à saúde e como se proteger

Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) prolongou até sexta (17/11) alerta vermelho, nível mais alto, devido às altas temperaturas

Por que é tão difícil dormir quando as noites são tão quentes quanto os dias?

Por que é tão difícil dormir quando as noites são tão quentes quanto os dias?

Dá para dizer que a chave para esse quebra-cabeça do sono está na vasodilatação e nos extremos de temperatura

pt_BRPortuguese