Voltar ao Início

Você está em:

Plano de governo de Bolsonaro prevê ampliar acesso a arma e Auxílio Brasil de R$ 600

Em 2018, o então candidato propôs a isenção para quem recebesse até cinco salários mínimos mas não cumpriu
Amanda Omura

Amanda Omura

O plano de governo do candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) propõe ampliar o acesso a armas de fogo para o cidadão comum. O documento foi apresentado no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na terça-feira (9).

Intitulado "Caminho da prosperidade, construindo uma grande nação", o documento é dividido em seis eixos principais: economia, tecnologia e inovação; saúde, educação e social; segurança e defesa; infraestrutura e logística; sustentabilidade ambiental e, por fim, governança e geopolítica.

Para justificar a ampliação do acesso às armas, cita uma suposta redução nos homicídios por armas de fogo. Uma série de decretos de Bolsonaro elevou o acesso a armas como fuzis para qualquer cidadão, cadastrados com licença de colecionador, atirador esportivo e/ou caçadores (CAC).

Auxílio Brasil e imposto de renda
A proposta determina que o Auxílio Brasil, programa de transferência de renda que substituiu o antigo Bolsa Família, se mantenha em R$ 600 no próximo ano. Em PEC de benefícios sociais, o governo ampliou o pagamento de R$ 400 para R$ 600 até dezembro de 2022.
"Um dos compromissos prioritários do governo reeleito será a manutenção do valor de R$ 600 para o Auxílio Brasil a partir de janeiro de 2023", diz o projeto de Bolsonaro.

Nesta quarta-feira (10), Bolsonaro sancionou as diretrizes do orçamento para 2023 e não consta o valor para o Auxílio Brasil no próximo ano -- o texto define R$ 1.294 para o salário mínimo.

Bolsonaro reafirma nas propostas a promessa de isentar parte da população da cobrança de imposto de renda, dessa vez para quem ganha até R$ 2,5 mil. Em 2018, o então candidato propôs a isenção para quem recebesse até cinco salários mínimos (valor hoje que seria de R$ 6.060), mas não cumpriu.

Cultura
O projeto de Bolsonaro tem entre suas metas triplicar os investimentos em cultura --área afetada pela seguida falta de investimentos do governo dele. Segundo o documento, o governo brasileiro injeta R$ 7 bilhões por ano no setor.
"Com a reeleição, a perspectiva é de que esse investimento seja mais que triplicado até 2026, podendo chegar a 30 bilhões de reais, descentralizando o investimento na cultura brasileira", defende o texto.

Posts Relacionados

O que é o Sistema Nacional de Cultura, sancionado por Lula nesta semana

O que é o Sistema Nacional de Cultura, sancionado por Lula nesta semana

Mecanismo tem sido chamado de 'SUS da Cultura' e promete facilitar o acesso aos financiamentos no segmento

Em meio a crise na Petrobras, governo resolve pagar metade dos dividendos

Em meio a crise na Petrobras, governo resolve pagar metade dos dividendos

Com pagamento de aproximadamente R$ 20 bilhões, União terá direito a R$ 6 bilhões, valor que ajudará na meta fiscal

Haddad repete apelo por ‘pacto’ entre Poderes para cumprimento de metas

Haddad repete apelo por ‘pacto’ entre Poderes para cumprimento de metas

Pacheco, presidente do Senado, declarou a perda de validade de trechos da MP editada pelo governo para elevar receitas

Câmara aprova retrocessos na pauta ambiental e pode fragilizar prevenção

Câmara aprova retrocessos na pauta ambiental e pode fragilizar prevenção

Textos liberam garimpo em reservas, flexibilizam medidas contra incêndios e extinguem taxas que custeiam Ibama

No Brasil, Macron pretende negociar investimentos bilaterais

No Brasil, Macron pretende negociar investimentos bilaterais

Presidente francês passará por 4 cidades em 3 dias a partir da semana que vem; comitiva terá cerca de 140 empresários

Bloqueio no orçamento deve ser de menos de R$ 5 bilhões, diz Haddad a Lula

Bloqueio no orçamento deve ser de menos de R$ 5 bilhões, diz Haddad a Lula

Valor do bloqueio deve ficar em R$ 3 bilhões. Lula comemorou a notícia com os integrantes da equipe econômica

PF diz que Bolsonaro agiu com consciência e pediu falsificação de cartões de vacina

PF diz que Bolsonaro agiu com consciência e pediu falsificação de cartões de vacina

Relatório de inquérito indicia ex-presidente por associação criminosa e inserção de dados falsos em sistema

Governo deve realizar ações para proteção ao meio ambiente na Amazônia

Governo deve realizar ações para proteção ao meio ambiente na Amazônia

Executivo terá de apresentar plano para fiscalização, combate a crimes ambientais, e medidas para reduzir o desmatamento

pt_BRPortuguese