Voltar ao Início

Você está em:

Preocupado em perder eleitores, governo aposta em gestão de Adriano Pires na Petrobras para reduzir danos

Planalto espera que Pires consiga estancar e neutralizar efeitos eleitorais de decisões da estatal no preço do combustível
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

A escolha de Adriano Pires para o comando da Petrobras estava definida pelo governo Bolsonaro há cerca de dez dias. Foi uma escolha política, que ignorou qualquer sugestão de Paulo Guedes, ministro da Economia, e privilegiou o comando político do governo.
O nome de Adriano Pires surgiu após o governo decidir indicar Rodolfo Landim para o comando do conselho de administração da Petrobras.

Landim, que também preside o Flamengo, disse que aceitaria o conselho, mas que não estaria disposto a assumir a presidência da estatal, se isso fosse cogitado, pois não queria se desfazer de seus compromissos com o clube carioca. Foi, então, que Adriano Pires surgiu como substituto de Silva e Luna.

Faltava apenas comunicar ao general Silva e Luna que ele seria trocado, o que coube ao ministro Bento Albuquerque, de Minas e Energia; e o Planalto terminar de passar um pente fino no currículo de Pires para evitar problemas com a CVM.

Em momento algum, o governo cogitou manter Silva e Luna. Isso porque ele, para políticos do Centrão que comandam a campanha à reeleição de Bolsonaro, não tinha o traquejo político nem o conhecimento do tema que o Planalto precisa para, na versão de assessores políticos de Bolsonaro, “traduzir” à população as decisões sobre os combustíveis. E isso é prioridade para Bolsonaro no ano eleitoral.

É o preço do combustível o principal temor do governo, quando se trata de perda de eleitor.
Por isso a escolha de Pires: um nome que entende do assunto, já que ele é especialista no tema - diferentemente do general Silva e Luna - e que pode “traduzir” politicamente as medidas que forem tomadas pela estatal sobre combustíveis, com o objetivo de reduzir danos eleitorais.

O governo também tem a expectativa de que ele, por ter experiência na área, apresente alternativas e ideias para o preço dos combustíveis - agora, de dentro da estatal.

O Planalto também espera que a nova gestão da presidência da Petrobras faça uma espécie de resgate de gestões do PT na estatal, uma forma de, nas palavras de um interlocutor de Bolsonaro, relembrar o que foi feito para recuperar a imagem da Petrobras após a corrupção investigada pela Operação Lava Jato.

Em suma, o Planalto espera uma gestão com comunicação política de Adriano Pires no comando da Petrobras para estancar e neutralizar efeitos eleitorais de decisões da estatal no preço do combustível.

Posts Relacionados

STF dá 10 dias para governo de SP explicar projeto das escolas cívico-militares

STF dá 10 dias para governo de SP explicar projeto das escolas cívico-militares

Projeto foi sancionado no final de abril por Tarcísio depois ser aprovado na Alesp sob forte protesto de estudantes

STF rejeita pedido para proibir parentes na chefia do Legislativo e Executivo ao mesmo tempo

STF rejeita pedido para proibir parentes na chefia do Legislativo e Executivo ao mesmo tempo

Cármen Lúcia defendeu que cabe ao Legislativo impor restrições a parentes chefiando cargos no mesmo estado

Lula diz que ‘muita gente fica com raiva’ diante de medidas de proteção ao meio ambiente

Lula diz que ‘muita gente fica com raiva’ diante de medidas de proteção ao meio ambiente

Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, anunciou uma série de ações do governo para a área ambiental

Lula encontra Zoran Milanović e reafirma meta de desmatamento zero na Amazônia

Lula encontra Zoran Milanović e reafirma meta de desmatamento zero na Amazônia

Os líderes trataram do estreitamento das relações bilaterais e das relações do Brasil com a União Europeia

Congresso abre R$ 2,8 bilhões em créditos para Saúde e Desenvolvimento Regional

Congresso abre R$ 2,8 bilhões em créditos para Saúde e Desenvolvimento Regional

Oposição criticou e disse que texto serviria de arranjo para 'balcão de negócios' no Congresso. Projeto vai à sanção

Cotas em concursos públicos: Dino prorroga até Congresso aprovar nova lei

Cotas em concursos públicos: Dino prorroga até Congresso aprovar nova lei

Regra atual prevê 20% de vagas reservadas a candidatos negros em concursos; lei perderia validade em 10 de junho

Senado aprova criação do Programa Nacional de Vacinação em Escolas Públicas

Senado aprova criação do Programa Nacional de Vacinação em Escolas Públicas

O Senado aprovou, nesta terça-feira (21), um projeto que institui o Programa Nacional de Vacinação em Escolas Públicas de todo o país. Agora, a proposta

Entidade diz que 90% do PIB industrial do RS foi afetado por chuvas

Entidade diz que 90% do PIB industrial do RS foi afetado por chuvas

Uma comitiva de industriais gaúchos entregou nesta sexta-feira (17) ao vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB) uma lista de pedidos do setor ao governo federal para enfrentamento

pt_BRPortuguese