Voltar ao Início

Você está em:

Rússia expulsa vice-embaixador americano de Moscou

Ainda de acordo com a RIA, fontes da embaixada americana em Moscou afirmaram que o governo de Washington responderá à medida
Amanda Omura

Amanda Omura

A Rússia expulsou do país o vice-embaixador dos Estados Unidos em Moscou, Bartle Gorman, nesta quinta-feira (17), segundo informações das agências internacionais de notícias.

Inicialmente, o caso havia sido noticiado pela agência russa RIA, e em seguida foi confirmado pela agência Reuters com um porta-voz do Departamento de Estado americano.

Ainda de acordo com a RIA, fontes da embaixada americana em Moscou afirmaram que o governo de Washington responderá à medida.

Não há, até a última atualização desta reportagem, informações sobre a justificativa usada pela Rússia para esta expulsão ou quais medidas os EUA pretendem tomar.

O anúncio foi feito em um momento que os EUA acusam a Rússia de planejar uma invasão à Ucrânia, o que Moscou nega.

Nesta quinta-feira, os americanos afirmaram que a Rússia não tem cumprido com os anúncios de que vem retirando sua presença militar nas fronteiras e que inclusive tem avançado na direção contrária.

Mais de 100 mil soldados russos estão mobilizados na área que o país faz fronteira com a Ucrânia para a realização de exercícios militares.

'Invasão iminente'
A embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, Linda Thomas-Greenfield, disse nesta quinta-feira que Rússia se dirige para uma "invasão iminente" da Ucrânia, apesar dos anúncios de retirada de tropas.
A diplomata disse ter pedido ao secretário de Estado americano, Antony Blinken, para participar, assim como ele, da reunião do Conselho de Segurança da ONU desta quinta sobre a Ucrânia.

"[Quero] sinalizar nosso intenso compromisso com a diplomacia, oferecer e enfatizar o caminho para a desescalada e deixar claro ao mundo que estamos fazendo tudo – tudo – que podemos para evitar uma guerra", disse Thomas-Greenfield.

Aumento de tropas
Nesta quinta, o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, reforçou a tese de que a Rússia não tem diminuído a presença de suas tropas na fronteira.

Austin afirmou que documentos da Inteligência americana mostram indícios de que a Rússia esteja estocando suprimentos de sangue e suas tropas estejam se aproximando da Ucrânia.

Posts Relacionados

Terremoto de 4,8 de magnitude atinge Nova York

Terremoto de 4,8 de magnitude atinge Nova York

A profundidade do terremoto, de acordo com a USGS, foi de 5 quilômetros abaixo da superfície -- uma profundidade considerada baixa

Blinken diz que Ucrânia vai ser membro da Otan

Blinken diz que Ucrânia vai ser membro da Otan

Ele também afirmou que apoiar a Ucrânia é importante porque os russos estão recebendo ajuda para aumentar sua indústria de defesa

Pressionado, Netanyahu endurece o discurso

Pressionado, Netanyahu endurece o discurso

O primeiro-ministro de Israel é pressionado pela antecipação de eleições gerais e pela crise deflagrada em sua coligação extremista

Ataque destrói consulado iraniano na Síria

Ataque destrói consulado iraniano na Síria

A Guarda Revolucionária do Irã anunciou que sete de seus membros, entre eles três comandantes, morreram no bombardeio

Na Faixa de Gaza, 12 pessoas morrem afogadas

Na Faixa de Gaza, 12 pessoas morrem afogadas

Os Estados Unidos optaram por jogar caixas de aviões porque há dificuldades para entrar com caminhões na Faixa de Gaza

Rússia e China vetam proposta dos EUA de cessar-fogo

Rússia e China vetam proposta dos EUA de cessar-fogo

Ao justificar seu voto, o embaixador da Rússia na ONU, Vassily Nebenzia, acusou os Estados Unidos de falsas promessas

Regime cubano tenta aplacar a ira da população

Regime cubano tenta aplacar a ira da população

As manifestações populares foram contidas pela repressão policial, em sincronia com o bloqueio imediato do serviço de internet

O que esperar do triunfo eleitoral de Putin?

O que esperar do triunfo eleitoral de Putin?

Presidente russo usará reeleição com supostos 87,2% dos votos como demonstração da unidade nacional para prolongar guerra

pt_BRPortuguese