Voltar ao Início

Você está em:

Rússia não é inimiga do Ocidente, diz Putin

Líder russo criticou "arrogância" de líderes ocidentais, que, segundo ele, querem "impor seus valores" a Moscou
Amanda Omura

Amanda Omura

O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta quinta-feira (27) que a Rússia não se considera inimiga do Ocidente.

Putin, que há quase oito meses trava uma guerra na Ucrânia com países ocidentais como inimigos, criticou ainda líderes do Ocidente "arrogantes" que, segundo ele, estão determinados a impor seus valores ao resto do mundo.

Em uma entrevista a jornalistas em Moscou, o líder russo disse que seu governo nunca aceitaria que países ocidentais lhe dissessem o que fazer. E ameaçou ainda "um preço alto" caso os países rivais continuem imponto condições ao Kremlin.

"A Rússia não está desafiando as elites ocidentais. A Rússia está apenas tentando defender seu direito a existir", declarou Putin, no "think tank" Valdai Club, em Moscou.

Também nesta quinta, a Rússia voltou a atacar Kiev, que ficou parcialmente sem luz o dia inteiro após bombardeios em centrais de energia, uma tática atual recorrente das tropas russas. A região da capital ucraniana teve um déficit de 30% em sua capacidade de gerar a energia necessária após ataques russos durante a noite, afirmou o governador regional.

Há três semanas, capital ucraniana voltou a ser alvo de bombardeios após cinco meses de "normalidade". Os ataques são uma retaliação, segundo o presidente russo, Vladimir Putin, a explosões que atingiram a ponte da Crimeia, a península ucraniana anexada pela Rússia em 2014. Putin acusou a Ucrânia, que nunca se pronunciou oficialmente sobre o ataque.

A Ponte da Crimeia é a única ligação por terra entre a Rússia e a península anexada, e foi inaugurada pelo próprio Vladimir Putin em 2018. Portanto, a explosão também tem sido vista como um ataque ao orgulho de Putin - o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, já disse que a guerra da Ucrânia começou e vai terminar pela Crimeia.

As explosões em Kiev marcam também uma escalada das tensões na guerra, que nos últimos meses ficou focada em investidas russas no leste e no sul.

Posts Relacionados

Terremoto de 4,8 de magnitude atinge Nova York

Terremoto de 4,8 de magnitude atinge Nova York

A profundidade do terremoto, de acordo com a USGS, foi de 5 quilômetros abaixo da superfície -- uma profundidade considerada baixa

Blinken diz que Ucrânia vai ser membro da Otan

Blinken diz que Ucrânia vai ser membro da Otan

Ele também afirmou que apoiar a Ucrânia é importante porque os russos estão recebendo ajuda para aumentar sua indústria de defesa

Pressionado, Netanyahu endurece o discurso

Pressionado, Netanyahu endurece o discurso

O primeiro-ministro de Israel é pressionado pela antecipação de eleições gerais e pela crise deflagrada em sua coligação extremista

Ataque destrói consulado iraniano na Síria

Ataque destrói consulado iraniano na Síria

A Guarda Revolucionária do Irã anunciou que sete de seus membros, entre eles três comandantes, morreram no bombardeio

Na Faixa de Gaza, 12 pessoas morrem afogadas

Na Faixa de Gaza, 12 pessoas morrem afogadas

Os Estados Unidos optaram por jogar caixas de aviões porque há dificuldades para entrar com caminhões na Faixa de Gaza

Rússia e China vetam proposta dos EUA de cessar-fogo

Rússia e China vetam proposta dos EUA de cessar-fogo

Ao justificar seu voto, o embaixador da Rússia na ONU, Vassily Nebenzia, acusou os Estados Unidos de falsas promessas

Regime cubano tenta aplacar a ira da população

Regime cubano tenta aplacar a ira da população

As manifestações populares foram contidas pela repressão policial, em sincronia com o bloqueio imediato do serviço de internet

O que esperar do triunfo eleitoral de Putin?

O que esperar do triunfo eleitoral de Putin?

Presidente russo usará reeleição com supostos 87,2% dos votos como demonstração da unidade nacional para prolongar guerra

pt_BRPortuguese