Voltar ao Início

Você está em:

Sono regula células que protegem do Alzheimer

Na meia-idade, é comum que a qualidade do sono se deteriore, motivo para nos empenharmos em busca de um repouso de qualidade
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

A cada nova pesquisa sobre o sono, mais a comunidade científica se convence de que dormir é uma arma poderosa que o organismo tem para preservar a saúde. Em estudo publicado no dia 10 na revista científica “PLOS Genetics”, pesquisadores relataram que células do sistema imunológico responsáveis por “limpar” uma proteína que se acumula no cérebro de pacientes com a Doença de Alzheimer obedecem ao ciclo circadiano. Aproveito para fazer uma brevíssima pausa para lembrar que o ciclo ou ritmo circadiano é o período de 24 horas durante o qual nosso relógio biológico interno regula o metabolismo. O cérebro recebe diferentes estímulos durante o dia e a noite, o que faz com que o corpo se comporte de maneira diversa durante o sono e a vigília. Entre os fatores que perturbam o ciclo circadiano estão dormir tarde, insônia, uso de medicamentos, mudanças de rotina ou fuso horário.
Voltando à pesquisa: o achado sugere que interrupções no sono podem estar relacionadas ao surgimento do Alzheimer. Os pesquisadores mediram a atividade das células imunes que atuam para evitar a formação de placas da proteína beta-amiloide 42 (AB42) no cérebro, uma característica da enfermidade. Usando culturas dessas células desenvolvidas em laboratório, descobriram que sua função é controlada pelo ciclo circadiano e, se esse equilíbrio é rompido, elas deixam de realizar seu trabalho.
O médico Einstein Camargos, professor da Universidade de Brasília, afirmou que o resultado de uma meta-análise de 2020 (quando são reunidos estudos independentes sobre uma mesma questão) apontava que dormir menos de seis ou além de 12 horas aumenta em 30% chances de demências. “Precisamos dormir para limpar as proteínas do espaço extracelular do cérebro, ou elas se agregarão, impedirão o fluxo de fluido e potencializarão a polimerização das fibrilas”, explicou, referindo-se às proteínas beta-amiloide, Tau e alfa-sinucleína, que se aglomeram e estão associadas a doenças neurodegenerativas.

Na meia-idade, é comum que a qualidade do sono se deteriore, motivo para nos empenharmos em busca de um repouso de qualidade. De acordo com outro trabalho, divulgado no começo do mês, ter duas ou mais doenças crônicas – como hipertensão, diabetes, doença coronariana ou obstrutiva de pulmão, além de depressão – nesta fase da vida aumenta o risco de demência. Os pesquisadores se debruçaram sobre dados de 10 mil britânicos que participavam de um estudo de longa duração iniciado no período entre 1985 e 1988. Na ocasião, o grupo tinha entre 35 e 55 anos e ninguém apresentava sintomas de declínio cognitivo. No entanto, para as pessoas na faixa dos 50 com duas ou mais comorbidades, as chances para demência se mostraram 2.4 vezes maiores do que para aquelas sem enfermidades.

Posts Relacionados

Fibromialgia atinge músculos e ligamentos e afeta até 7 vezes mais as mulheres

Fibromialgia atinge músculos e ligamentos e afeta até 7 vezes mais as mulheres

Pacientes com a doença costumam não ser levados a sério. Mulheres têm seis vezes mais chances de desenvolver a síndrome

Como poluição faz meninas menstruarem precocemente

Como poluição faz meninas menstruarem precocemente

Meninas estão entrando na puberdade mais cedo, possivelmente devido à exposição a poluentes atmosféricos

Mulheres vivem mais do que homens, mas com saúde pior, revela estudo

Mulheres vivem mais do que homens, mas com saúde pior, revela estudo

Pesquisa analisou dados sobre as 20 principais doenças causadoras de morte. Resultado mostra influência de fatores biológicos

Cortisol é mesmo o culpado por seus problemas de saúde?

Cortisol é mesmo o culpado por seus problemas de saúde?

"Hormônio do estresse" ganhou fama de vilão, com vídeos nas redes sociais culpando um suposto desequilíbrio hormonal

Sedentarismo e sobrepeso em crianças afetam o desempenho na escola

Sedentarismo e sobrepeso em crianças afetam o desempenho na escola

Os pesquisadores comprovaram a relação dos exercícios físicos com o desempenho cognitivo dos alunos

Zolpidem: ‘Pacientes tomam 300 comprimidos por dia’

Zolpidem: ‘Pacientes tomam 300 comprimidos por dia’

O remédio usado no tratamento contra a insônia, disponível no mercado há mais de 30 anos, ganhou protagonismo maior na última década, pela junção de

Como é feita a aplicação do balão intragástrico e para quem é indicado?

A Academia Mineira de Medicina de Minas Gerais alerta para a importância do diagnóstico precoce em casos de complicações com o balão gástrico, procedimento recomendado

O que acontece no seu cérebro quando você navega no celular

O que acontece no seu cérebro quando você navega no celular

Deslizar o dedo pela tela do celular enquanto conferimos fotos e vídeos é um hábito que pode consumir horas das nossas vidas

pt_BRPortuguese