Voltar ao Início

Você está em:

Senado pode convocar chanceler e embaixador após falta de alerta a brasileiros

Senador quer convidar brasileiros que deixaram a Ucrânia nas últimas semanas para relatar suas experiências
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) quer aprovar requerimento esta semana na Comissão de Relações Exteriores do Senado para convocar o chanceler, Carlos França, para explicar por que os brasileiros que viviam na Ucrânia não foram orientados a deixar o país antes da guerra.

Também será apresentado um requerimento para ouvir o embaixador brasileiro na Ucrânia, Norton Rapesta, assim que possível o retorno dele.

Isso porque, no dia 13 de fevereiro, Rapesta disse em entrevista que “não havia nenhum motivo para se alarmar ou sair fugido daqui”.

Naquele mesmo período, vários países já aconselhavam os seus cidadãos a deixarem a região da Ucrânia, entre eles: Estados Unidos, Reino Unido, Holanda, Canadá, Japão, Bélgica, Estônia, Lituânia, Austrália, Itália, Israel e a própria Rússia.
“O mais grave disso tudo é que os brasileiros foram incentivados a ficar quando tudo já indicava que haveria uma invasão da Ucrânia. Os brasileiros poderiam ter deixado em segurança a região dez dias antes da guerra começar sem ter que passar por momentos dramáticos”, disse Randolfe Rodrigues.

O senador também quer convidar brasileiros que tiveram que deixar a Ucrânia em situação de risco nas últimas semanas para relatar suas experiências. A ideia é levar ao plenário da CRE depoimentos que possam dar a dimensão do que viveram os cerca de 500 brasileiros que moravam no país antes da guerra.

No Itamaraty, há preocupação com a possibilidade do governo ser responsabilizado pela orientação dada aos brasileiros, enquanto dezenas de países recomendavam a retirada de seus compatriotas.

No Palácio do Planalto o temor é que isso possa afetar a imagem do próprio presidente Jair Bolsonaro.

Aliados já avaliam que foi um erro Bolsonaro ter minimizado o risco de uma invasão da Ucrânia. E de ter comprado cegamente o discurso russo de que estava retirando tropas da fronteira.

Bolsonaro embarcou para Moscou no dia 14 de fevereiro, um dia depois da entrevista em que o embaixador brasileiro na Ucrânia garantia que a situação no país era bastante tranquila e normal. E que existia um pouco de stress, especialmente devido ao noticiário da mídia internacional.

Diante disso, o Senado quer apurar porque o governo brasileiro passou um clima de normalidade, em sintonia com o discurso oficial de Moscou, colocando em risco a vida de centenas de brasileiros.

Posts Relacionados

Em 2023, RJ teve 1 denúncia de estupro de crianças a cada 2 horas e meia

Em 2023, RJ teve 1 denúncia de estupro de crianças a cada 2 horas e meia

Das 8.836 denúncias de abuso sexual registradas no Rio de Janeiro em 2023, 3.540 eram de crianças que tinham até 13 anos

450 famílias foram afetadas pelas chuvas em Barreirinhas, no MA

450 famílias foram afetadas pelas chuvas em Barreirinhas, no MA

De acordo com os moradores, pelo menos 15 bairros ainda estão sendo afetados devido às últimas chuvas em Barreirrinhas

Nível do Guaíba baixa 20 cm em 24 horas, mas água segue avançando

Nível do Guaíba baixa 20 cm em 24 horas, mas água segue avançando

É o menor patamar que o lago atinge desde a tarde de sábado (4). Cota de inundação é de 3 metros

Relevo de Porto Alegre e as ‘marés de tempestade’ travam escoamento

Relevo de Porto Alegre e as ‘marés de tempestade’ travam escoamento

364 municípios foram atingidos pelo desastre climático que causa chuvas intensas e alagamentos no estado

Aeroporto de Porto Alegre suspende voos pelo menos até 30 de maio

Aeroporto de Porto Alegre suspende voos pelo menos até 30 de maio

Local está fechado desde a última sexta-feira (3) devido ao aumento das águas do Guaíba

Chuvas no RS: entenda as causas de uma das piores tragédias climáticas no estado

Chuvas no RS: entenda as causas de uma das piores tragédias climáticas no estado

Meteorologistas explicam que catástrofe é resultado da atuação de pelo menos três fenômenos na região, agravados pelo clima

Segurança para ‘Enem dos concursos’ terá exame grafológico, força-tarefa com PF e Abin

Segurança para ‘Enem dos concursos’ terá exame grafológico, força-tarefa com PF e Abin

Para coibir fraudes, os 2 milhões de inscritos não poderão levar para casa o caderno de provas e terão digitais coletadas

Racismo na escola: acusados podem ser expulsos? Quais as consequências?

Racismo na escola: acusados podem ser expulsos? Quais as consequências?

Especialistas explicam que a instituição precisa investigar as denúncias e tomar as medidas cabíveis

pt_BRPortuguese