Voltar ao Início

Você está em:

Senadores querem derrubar veto de Bolsonaro que impediu aumento da punição a militares

Projeto aprovado pelo Congresso que reformulou Lei previa pena 50% maior para militar que atentasse contra estado
Amanda Omura

Amanda Omura

Após reunião de líderes nesta segunda-feira (9), senadores afirmaram que deve ser votado um veto do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) que impediu o aumento da punição a militares que atentam contra o Estado Democrático de Direito.

Em setembro de 2021, Bolsonaro vetou cinco pontos de um projeto aprovado pelo Congresso que revoga e reformula a Lei de Segurança Nacional.

Um dos trechos vetados previa o aumento em 50% do tempo de condenação de militares que cometessem crime contra o Estado de Direito.

Previa ainda que esses militares poderiam perder a patente ou de graduação.

A mobilização dos senadores ocorre após terroristas bolsonaristas invadirem o Palácio do Planalto, o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Congresso Nacional, no domingo (8).

Os golpistas radicais não aceitam o resultado das eleições e querem uma intervenção militar para tirar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva do poder.

A Polícia Militar e o governo do Distrito Federal, a quem cabem a segurança da Praça dos Três Poderes, em Brasília, vêm recebendo críticas pela atuação durante os atos de vandalismo.

Militares também vêm recebendo críticas por permitirem as manifestações de bolsonaristas em frente aos quarteis.

Um vídeo que circula nas redes mostra um grupo de policiais permitindo a passagem de bolsonaristas durante a invasão do Congresso.

Outro vídeo divulgado por bolsonaristas mostra um agente da polícia do Senado conversando com os terroristas dentro do plenário.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu ao Ministério Público Federal do DF a abertura de uma investigação para apurar as responsabilidades dos envolvidos.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva decretou intervenção federal na segurança pública do Distrito Federal e a Advocacia Geral da União (AGU) pediu a prisão do Secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Torres.

Já o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), foi afastado pelo ministro do STF Alexandre de Moraes.

Posts Relacionados

Lula chama evento com Tarcísio em SP de ‘ato civilizatório’, e diz que dará ‘todo apoio’

Lula chama evento com Tarcísio em SP de ‘ato civilizatório’, e diz que dará ‘todo apoio’

Presidente e governador participaram de cerimônia sobre construção de túnel entre Santos e Guarujá

Bolsonaro pode ter recebido informações da Abin após ex-presidente deixar o cargo

Bolsonaro pode ter recebido informações da Abin após ex-presidente deixar o cargo

A suspeita é de que assessores de Carlos Bolsonaro pediam informações para o ex-diretor da Abin, Alexandre Ramagem

Governo estuda prorrogar GLO em portos e aeroportos por 6 meses

Governo estuda prorrogar GLO em portos e aeroportos por 6 meses

As Forças Armadas ganharam poder de polícia nos aeroportos, e nos portos a Marinha passou a monitorar os acessos

Lula conversa com presidente do Equador e oferece ajuda em crise de segurança

Lula conversa com presidente do Equador e oferece ajuda em crise de segurança

Há preocupação no Palácio do Planalto de que a escalada da violência atinja brasileiros que vivem no Equador

CGU conclui que é falso registro de que Bolsonaro teria se vacinado contra a Covid

CGU conclui que é falso registro de que Bolsonaro teria se vacinado contra a Covid

De acordo com a Controladoria, os resultados serão encaminhados às autoridades do estado e do município de São Paulo

Isenção fiscal para líderes religiosos tiraR$ 300 milhões dos cofres públicos

Isenção fiscal para líderes religiosos tiraR$ 300 milhões dos cofres públicos

Suspensão da regra que desonerava líderes religiosos abriu novo capítulo de desgaste com equipe econômica

G20 terá grupo de Empoderamento Feminino para discutir igualdade e misoginia

G20 terá grupo de Empoderamento Feminino para discutir igualdade e misoginia

Como Brasil preside grupo de países, debates serão coordenados pela ministra das Mulheres, Cida Gonçalves

Ministro Lewandowski começa a montar equipe na próxima semana

Ministro Lewandowski começa a montar equipe na próxima semana

Ana Maria Alvarenga Mamede Neves trabalha com o novo ministro desde 2010 e já foi chefe de gabinete de Lewandowski

pt_BRPortuguese