Voltar ao Início

Você está em:

TSE insistirá em trazer observadores europeus para acompanhar eleições de outubro

Bolsonaro voltou a dar declarações recentemente questionando a lisura do processo eleitoral e das urnas eletrônicas
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

Fontes no Tribunal Superior Eleitoral informaram nesta quarta-feira (4) que o comando do TSE não desistiu de trazer ao Brasil observadores da União Europeia para acompanhar as eleições de outubro.
O movimento do TSE de voltar a buscar a participação da União Europeia, assim como de outras organizações já confirmadas como observadores, vem depois de pressões do governo para evitar a missão de acompanhamento que representa países europeus.

Os magistrados do TSE acreditam que, quanto mais instituições acompanharem as eleições brasileiras, maiores as garantias de que o pleito irá ocorrer dentro da normalidade democrática.
Bolsonaro voltou a dar declarações recentemente questionando a lisura do processo eleitoral e das urnas eletrônicas. O presidente chegou a sugerir que as Forças Armadas pudessem fazer uma apuração paralela dos votos, o que não tem lastro na Constituição.
O TSE divulgou uma nota afirmando que conversas preliminares com representantes da União Europeia indicaram que não havia inicialmente como viabilizar uma missão integral de observação eleitoral, com dezenas de técnicos. O que os ministros querem insistir, contudo, é numa presença menor, de caráter técnico.
O presidente do TSE, ministro Luiz Edson Fachin, reforçou que é bom para a democracia brasileira e para o processo eleitoral no Brasil não só acompanhar pleitos em outros países, como tem sido feito, como receber observadores. A presença internacional ajuda a demonstrar a lisura e regularidade do processo eleitoral.
Segundo o TSE, estão confirmadas as presenças de representantes das seguintes organizações:
Organização dos Estados Americanos (OEA), que já enviaram observadores em eleições anteriores;
Parlamento do Mercosul (Parlasul);
Rede Eleitoral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Posts Relacionados

Governo Lula confirma suspensão da dívida do Rio Grande do Sul por 3 anos

Governo Lula confirma suspensão da dívida do Rio Grande do Sul por 3 anos

Medida visa garantir mais dinheiro para ações de reconstrução do estado, que já registrou mais de 140 mortes

Governo não pensa em concorrer com produtores de arroz, diz ministro

Governo não pensa em concorrer com produtores de arroz, diz ministro

Ministro diz que a desinformação sobre o tema causa pânico e a importação de arroz é medida para repor estoques

Senado aprova criação de auxílio para reconstruir casas de famílias de baixa renda

Senado aprova criação de auxílio para reconstruir casas de famílias de baixa renda

Proposta do 'Cartão Reconstruir' foi apresentada em 2023, mas ganhou força depois da catástrofe no Rio Grande do Sul

Senado aprova criação de política e sistema para coordenar riscos de desastres

Senado aprova criação de política e sistema para coordenar riscos de desastres

Item não estava previsto na pauta, mas foi incluído devido às fortes chuvas que assolam o Rio Grande do Sul

Lula deve anunciar pacote com 5 mil ‘ônibus verdes’ e obras em favelas

Lula deve anunciar pacote com 5 mil ‘ônibus verdes’ e obras em favelas

Evento no Palácio do Planalto para a apresentação das medidas está previsto para quarta-feira

Lula anuncia decreto legislativo para dar celeridade ao repasse de verbas para RS

Lula anuncia decreto legislativo para dar celeridade ao repasse de verbas para RS

Presidente também mandou uma mensagem ao Congresso, pedindo reconhecimento de calamidade pública

Lula e Haddad celebram mudança em perspectiva de nota de crédito do Brasil na Moody’s

Lula e Haddad celebram mudança em perspectiva de nota de crédito do Brasil na Moody’s

Lula afirmou que país 'voltou a ter credibilidade econômica', e Haddad diz que decisão reconhece perspectivas positivas

Governo seleciona 9,2 mil obras para o PAC, mas verba tem que vir de emendas parlamentares

Governo seleciona 9,2 mil obras para o PAC, mas verba tem que vir de emendas parlamentares

Projetos foram habilitados, mas ficaram fora por falta de recursos do Executivo. Lista compõe o 'PAC Seleções'

pt_BRPortuguese