Voltar ao Início

Você está em:

Ucrânia proíbe música e livros originários da Rússia

Decisão foi tomada pelo parlamento e envolve também todo o material impresso originário de Belarus e das regiões ocupadas por Moscou
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

O Parlamento ucraniano aprovou uma controversa lei no domingo (19) que proíbe música e livros vindos da Rússia. A medida também vale para todo o material impresso originário de Belarus e das regiões ocupadas por Moscou.

A medida foi anunciada pelo deputado ucraniano Pavel Frolov em sua conta no Telegram. Segundo ele, a lei adotada proíbe a transmissão da produção musical russa nas mídias do país, além da apresentação em espaços públicos ucranianos de artistas da Rússia. O mesmo vale para importação e distribuição de livros em língua russa que venham "do país invasor", de Belarus - um dos principais aliados de Moscou - e dos territórios ucranianos ocupados, para os quais será necessário obter uma licença especial.

O texto prevê liberar das restrições artistas russos que condenaram publicamente a guerra, indicaram as mídias ucranianas. O Conselho de Segurança e Defesa Nacional do país também pretende criar uma lista de personalidades culturais russas que se distanciaram do Kremlin e poderão continuar sendo difundidos na Ucrânia.

O projeto de lei foi adotado por dois terços dos deputados ucranianos. O texto estipula que "a produção cultural do agressor pode agir sobre o comportamento da população". Segundo o Parlamento, a restrição poderá ser suspensa quando a guerra terminar e os territórios ocupados pelos russos retornarem ao controle da Ucrânia.

A lei também prevê quotas mínimas de músicas em idioma ucraniano, que deverão representar pelo menos 40% da produção musical transmitida nas mídias do país. Além disso, ao menos 75% do conteúdo de informação e entretenimento de rádios e TVs devem usar o idioma oficial do país.

Quase quatro meses de guerra
A guerra na Ucrânia entrou em seu 117° dia nesta segunda-feira (20). A região do Donbass, no leste, é atualmente alvo de ataques intensos das tropas russas. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky reconhece que houve "perdas importantes" e prevê momentos difíceis para seu exército.

Posts Relacionados

Milei se encontra com Elon Musk e oferece apoio

Milei se encontra com Elon Musk e oferece apoio

Presidente da Argentina, Milei ofereceu apoio a Musk nos processos da Justiça brasileira em que o bilionário está sendo investigado

México pede suspensão do Equador na ONU

México pede suspensão do Equador na ONU

O objetivo da denúncia mexicana é "garantir a reparação do dano moral infligido ao Estado mexicano e a seus cidadãos", disse a ministra

Netanyahu diz que já tem data para atacar Rafah

Netanyahu diz que já tem data para atacar Rafah

Ele não deu mais detalhes. Pouco depois, o Departamento de Estado dos Estados Unidos disse que não foi informado sobre os planos

Terremoto de 4,8 de magnitude atinge Nova York

Terremoto de 4,8 de magnitude atinge Nova York

A profundidade do terremoto, de acordo com a USGS, foi de 5 quilômetros abaixo da superfície -- uma profundidade considerada baixa

Blinken diz que Ucrânia vai ser membro da Otan

Blinken diz que Ucrânia vai ser membro da Otan

Ele também afirmou que apoiar a Ucrânia é importante porque os russos estão recebendo ajuda para aumentar sua indústria de defesa

Pressionado, Netanyahu endurece o discurso

Pressionado, Netanyahu endurece o discurso

O primeiro-ministro de Israel é pressionado pela antecipação de eleições gerais e pela crise deflagrada em sua coligação extremista

Ataque destrói consulado iraniano na Síria

Ataque destrói consulado iraniano na Síria

A Guarda Revolucionária do Irã anunciou que sete de seus membros, entre eles três comandantes, morreram no bombardeio

Na Faixa de Gaza, 12 pessoas morrem afogadas

Na Faixa de Gaza, 12 pessoas morrem afogadas

Os Estados Unidos optaram por jogar caixas de aviões porque há dificuldades para entrar com caminhões na Faixa de Gaza

pt_BRPortuguese