Voltar ao Início

Você está em:

Universidades para idosos: a nova missão chinesa

Em pronunciamento no fim de 2022, o ministro da educação chinês anunciou o plano de criar a Universidade Nacional para Idosos
Amanda Omura

Amanda Omura

Em pronunciamento no fim de 2022, o ministro da educação chinês anunciou o ambicioso plano de criar a Universidade Nacional para os Idosos. Na China há, atualmente, cerca de 267 milhões de cidadãos acima dos 60 anos, número que deve chegar a 400 milhões em 2035, o equivalente a 30% da população.
Para um grande desafio, uma solução da mesma envergadura: até 2025, todo condado (que corresponde a nosso município) terá que oferecer pelo menos uma instituição nesses moldes para o público sênior.

A importância do aprendizado contínuo foi tema de inúmeras colunas. Além de manter o cérebro afiado, possibilita que o idoso adquira novas habilidades que podem ser úteis para quem quer ou precisa se manter ativo profissionalmente. Também azeita as conexões sociais, um poderoso antídoto contra o isolamento e a solidão. A Universidade Nacional para os Idosos vai se fundir com a já existente Universidade Aberta da China, um sistema educacional que cobre as áreas urbana e rural e conta com mais de 3.700 centros.

No currículo da nova iniciativa constarão, entre outros cursos, os de línguas estrangeiras, educação digital e computação, música, fotografia, dança, pintura e culinária. Para os especialistas, está claro que, com o envelhecimento da população, a atenção dispensada aos idosos não deve se restringir ao pagamento de aposentadorias e atendimento médico.

A prioridade em navegar com desenvoltura no ambiente da internet ainda visa a proteger os mais velhos de fraudes.

De acordo com o Comitê Nacional de Envelhecimento, a China dispõe de 76 mil universidades da terceira idade, com 14 milhões de alunos. O que para nós parece um número robusto, para eles se traduz em apenas 5% recebendo educação continuada. Como diriam Os Titãs: “a gente não quer só comida/a gente quer comida, diversão e arte/a gente não quer só comida/a gente quer saída para qualquer parte/você tem sede de quê?/você tem fome de quê?”. Todos temos que militar pela causa.

Posts Relacionados

Mitos e fatos sobre nutrição: o glúten realmente faz mal?

Mitos e fatos sobre nutrição: o glúten realmente faz mal?

O glúten tem sido o vilão: cada vez mais pessoas não toleram o conjunto de proteínas encontrados no trigo e em outros grãos

Como determinar o tamanho ideal das porções de comida para cada pessoa

Como determinar o tamanho ideal das porções de comida para cada pessoa

Além da qualidade dos alimentos, também é importante consumir uma quantidade adequada. Como calcular isso?

Passar protetor solar apenas em algumas partes do rosto traz alerta para saúde

Passar protetor solar apenas em algumas partes do rosto traz alerta para saúde

Prática que visa criar um 'jogo de luz e sombra na pele' ao passar protetor solar apenas em partes do corpo não é recomendada

Por que o álcool é tão perigoso para o cérebro dos jovens

Por que o álcool é tão perigoso para o cérebro dos jovens

O álcool é uma toxina. Seus riscos incluem acidentes, doenças do fígado e muitos tipos de câncer, até em pequenas quantidades

Candidíase em homens: como surge a infecção que causa coceira e manchas

Candidíase em homens: como surge a infecção que causa coceira e manchas

A 'Candida albicans' é um tipo de fungo que normalmente coexiste em equilíbrio na microbiota humana, e faz parte do corpo

Cosméticos: quais substâncias nossa pele consegue ou não absorver

Cosméticos: quais substâncias nossa pele consegue ou não absorver

Marketing traz apelo de várias substâncias com promessas de resultados, mas nem tudo é absorvido pela pele

A teoria do ‘útero errante’ que deu origem ao ultrapassado conceito de histeria

A teoria do ‘útero errante’ que deu origem ao ultrapassado conceito de histeria

Esta crença existiu há mais de 2,4 mil anos, mas o paradigma sobre como o suposto 'animal' afetava o corpo se manteve

Psicóloga incentiva adultos a cuidarem de sua criança interior para superar traumas

Psicóloga incentiva adultos a cuidarem de sua criança interior para superar traumas

Com mais de 8 milhões de seguidores, Nicole Lepera fala sobre como os traumas influenciam a vida adulta em vídeos

pt_BRPortuguese