Voltar ao Início

Você está em:

Justiça condena britânicos e marroquino à pena de morte

Dois cidadãos do Reino Unido e um do Marrocos foram condenados por uma Corte da região separatista de Donetsk
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

A Suprema Corte da República Popular de Donetsk, uma região separatista no leste da Ucrânia apoiada pela Rússia, condenou dois cidadãos britânicos e um marroquino à pena de morte nesta quinta-feira (9). Eles foram acusados por terrorismo.

Os britânicos Aiden Aslin e Shaun Pinner e o marroquino Brahim Saadoun eram soldados voluntários e lutavam na guerra da Ucrânia ao lado das tropas de Kiev. Eles foram capturados por forças russas na região do Donbass, no leste do país, e levados a julgamento esta semana.
O jornal inglês "Guardian" afirmou que os soldados acusados recorrerão da sentença, sob o argumento de que estavam lutando dentro da Guarda Marinha da Ucrânia e, por isso, devem ser protegidos pela Convenção de Genebra que determina normas para julgamento de prisioneiros de guerra.

Há duas semanas, a Justiça da Ucrânia condenou à prisão perpétua o sargento russo Vadim Shishimarin, 21, o primeiro julgado no país por crimes de guerra desde o início da invasão da Rússia à Ucrânia, em 24 de fevereiro. Também nesta quinta-feira, a Ucrânia afirmou que julgará outros oito casos similares, apesar de que há 15 mil suspeitas de crimes de guerra em investigação no país.

15 mil casos suspeitos
Cerca de 15.000 casos suspeitos de crimes de guerra foram registrados na Ucrânia desde o início do conflito com a Rússia, com uma média de 200 a 300 casos reportados diariamente, segundo a procuradora-geral do país.

Cerca de 600 suspeitos foram identificados e 80 já processos começaram, disse Iryna Venediktova a repórteres em Haia, na Holanda.
A lista de suspeitos inclui "os principais militares, políticos e agentes de propaganda da Rússia", acrescentou a procuradora ucraniana.
A Rússia nega envolvimento em crimes de guerra e em mortes de civis.

Dos 15.000 supostos crimes de guerra, Veneditkova disse que muitos foram identificados na região leste de Donbas — cenário de combates ferozes entre tropas russas e ucranianas.

Posts Relacionados

Fogo avança sem controle na Califórnia

Fogo avança sem controle na Califórnia

Chamas anteciparam temporada de incêndios no estado dos EUA. Ventos e baixa visibilidade tornam esforços para apagar fogo 'inúteis'

G7: líderes de países racham sobre aborto

G7: líderes de países racham sobre aborto

Apoio financeiro à Ucrânia é o principal tema do encontro, na Itália, que tem presença do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky

Acordo autoriza entrada da Ucrânia na Otan

Acordo autoriza entrada da Ucrânia na Otan

Zelensky tem planos para que a Ucrânia entre na Otan já faz tempo, mas com a guerra, perdeu apoio dos países que compõem o grupo

Por que Macron pode dissolver o Parlamento na França?

Por que Macron pode dissolver o Parlamento na França?

A medida ocorreu depois da derrota do partido de Emmanuel Macron para de Le Pen nas eleições do Parlamento Europeu

Temos mais armas nucleares que a Europa toda, diz Putin

Temos mais armas nucleares que a Europa toda, diz Putin

Presidente russo afirmou também estar certo de sua vitória na guerra da Ucrânia, mas disse estar aberto a negociações de paz

Eleições no Parlamento Europeu começam

Eleições no Parlamento Europeu começam

A eleição para o Parlamento Europeu é a segunda maior votação do mundo. Espera-se que a participação neste ano seja a maior da história

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Presidente dos EUA chegou a Paris para participar das celebrações pelos 80 anos do Dia D. Ele se reunirá com o rei Charles III

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Presidente eleita assumirá o cargo um mês antes do pleito americano. Biden e Trump duelam para controlar a narrativa sobre migrantes

en_USEnglish