Voltar ao Início

Você está em:

Álcool, cravo e óleo de citronela: os repelentes caseiros funcionam contra a dengue?

Sem comprovação de eficácia, produtos não são aprovados pela Anvisa e podem causar alergias em contato com a pele
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

As receitas caseiras têm entre seus ingredientes itens disponíveis em casa. São dicas que acumulam milhares de visualizações nas redes sociais neste período de explosão dos casos de dengue. Algumas combinam álcool 70%, cravo-da-índia e óleo corporal em uma mistura que, supostamente, deveria espantar o mosquito Aedes Aegypti quando passada na pele.
Outras dicas sugerem produtos à base de citronela ou de andiroba como repelentes.

Mas especialistas e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) alertam: repelentes caseiros não são indicados para afastar o mosquito transmissor da dengue. A agência recomenda o uso de formulações industrializadas que contenham Icaridina 20-25%, DEET 10-15% ou IR3535, substâncias que não devem ser manipuladas em casa.

Produtos sem eficácia comprovada
O primeiro problema quando se trata de soluções caseiras é a falta de comprovação de eficácia, que vem acompanhada de falta de padronização nas supostas receitas, modo de uso e duração da proteção alegada.

Vânia Rodrigues Leite, professora do Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas da Unifesp, explica que toda formulação caseira, seja uma tentativa de medicamento ou de cosmético, nunca é segura por si só.

"Não apenas por conta dos ingredientes, mas muito por conta do modo de fazer. Você não tem a assepsia correta, a dosagem correta, nem a forma certa de preparo", analisa a professora da Unifesp.
O gerente de projetos e estudos da Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais (Anfarmag), Vagner Miguel, também alerta que inseticidas considerados naturais, à base andiroba e óleo de cravo, por exemplo não possuem uma efetividade comprovada contra o mosquito da dengue.

O farmacêutico ainda pontua que nenhum desses produtos é aprovado pela Anvisa e, por isso, devem ser evitados. "É importante lembrar que, uma vez que não há essa demonstração de eficácia, essas receitas podem não proteger adequadamente", comenta.

A agência também alerta que, além das alternativas naturais, "não existem produtos de uso oral, como comprimidos e vitaminas, com indicação aprovada para repelir o mosquito".

Outra questão sinalizada pelos especialistas é que, mais do que serem ineficientes contra o mosquito, essas soluções podem causar outros problemas.

Vânia lembra que, por não passarem por nenhum tipo de teste, produtos caseiros podem provocar reações inesperadas no corpo, como alergias.

"O produto industrializado tem um padrão para ser produzido, com todos os registros e testes de eficácia e segurança necessário. É muito diferente de fazer uma mistura caseira", compara.

O que funciona para espantar o mosquito?
As medidas mais efetivas para espantar os mosquitos se dividem entre as barreiras físicas, como telas, e as barreiras químicas, como repelentes e inseticidas.

Posts Relacionados

‘Esquecer’ é tão importante quanto ‘lembrar’ para a longevidade da memória

‘Esquecer’ é tão importante quanto ‘lembrar’ para a longevidade da memória

Professor da UNESP explica que o cérebro não possui um ‘disco rígido’ onde as nossas lembranças são armazenadas

Pipoca é janta? Entenda quando o alimento é considerado saudável e pode ajudar na dieta

Pipoca é janta? Entenda quando o alimento é considerado saudável e pode ajudar na dieta

Fonte de fibras, a pipoca pode ser combinada com outros itens e formar uma refeição. Também é uma boa opção de lanche

Fibromialgia atinge músculos e ligamentos e afeta até 7 vezes mais as mulheres

Fibromialgia atinge músculos e ligamentos e afeta até 7 vezes mais as mulheres

Pacientes com a doença costumam não ser levados a sério. Mulheres têm seis vezes mais chances de desenvolver a síndrome

Como poluição faz meninas menstruarem precocemente

Como poluição faz meninas menstruarem precocemente

Meninas estão entrando na puberdade mais cedo, possivelmente devido à exposição a poluentes atmosféricos

Mulheres vivem mais do que homens, mas com saúde pior, revela estudo

Mulheres vivem mais do que homens, mas com saúde pior, revela estudo

Pesquisa analisou dados sobre as 20 principais doenças causadoras de morte. Resultado mostra influência de fatores biológicos

Cortisol é mesmo o culpado por seus problemas de saúde?

Cortisol é mesmo o culpado por seus problemas de saúde?

"Hormônio do estresse" ganhou fama de vilão, com vídeos nas redes sociais culpando um suposto desequilíbrio hormonal

Sedentarismo e sobrepeso em crianças afetam o desempenho na escola

Sedentarismo e sobrepeso em crianças afetam o desempenho na escola

Os pesquisadores comprovaram a relação dos exercícios físicos com o desempenho cognitivo dos alunos

Zolpidem: ‘Pacientes tomam 300 comprimidos por dia’

Zolpidem: ‘Pacientes tomam 300 comprimidos por dia’

O remédio usado no tratamento contra a insônia, disponível no mercado há mais de 30 anos, ganhou protagonismo maior na última década, pela junção de

pt_BRPortuguese