Voltar ao Início

Você está em:

Como deve ser introdução alimentar de bebês – e os riscos de dar comida antes do 6º mês

No Brasil, menos da metade (45,7%) dos bebês menores de seis meses se alimenta exclusivamente de leite materno
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

Segundo a pediatra Rosângela Gomes dos Santos, presidente do Departamento de Aleitamento Materno da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), o "aleitamento materno deve ser exclusivo até o sexto mês e deve continuar até os dois anos ou mais".

Isso é o que recomenda a Organização Mundial da Saúde (OMS), explica a especialista. A orientação é seguida pelo Ministério da Saúde e consta da cartilha da pasta às mães.

No Brasil, porém, menos da metade (45,7%) dos bebês menores de seis meses se alimenta exclusivamente de leite materno, segundo uma pesquisa financiada pelo próprio órgão (Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil, 2020).

"O aleitamento materno deve ser exclusivo até o sexto mês e, a partir desse período, se pode fazer a introdução alimentar", diz Santos à BBC News Brasil, reforçando que não se deve dar "água ou chá" ao recém-nascido.

Segundo a pediatra, a introdução de alimentos antes do sexto mês, que não seja leite materno ou fórmula prescrita pelo pediatra (para as mães que não puderem amamentar nesse período), pode causar problemas de saúde para o bebê.

"O intestino do recém-nascido não está desenvolvido o suficiente. Em situações extremas, ele pode ter uma infecção intestinal e isso pode gerar complicações generalizadas, levando-o à morte", diz.

Mas, normalmente, o que acontece, diz a pediatra intensivista Cinara Carneiro, é que a introdução de alimentos antes do tempo recomendado gera um quadro de desnutrição no bebê.

"A criança pode ser gordinha, fofinha, mas ela é desnutrida. Porque, na verdade, não tem a proporção adequada dos nutrientes ofertados. Ela pode ter anemia ou sobrecarga da função renal, levando a uma lesão", explica.

"O que temos que estar atentos é que, quando se faz oferta de alimentos num momento inadequado do desenvolvimento da criança, ela vai ter deficiência nutricional. Isso, consequentemente, leva a atraso em seu desenvolvimento", acrescenta.

Santos, da SPSP, acrescenta que o uso de fórmulas lácteas por mães que não conseguem amamentar deve ser parcimonioso — e elas devem ser feitas seguindo as recomendações médicas.

Segundo o Ministério da Saúde, "o aleitamento materno reduz em 13% a mortalidade até os cinco anos, evita diarreia e infecções respiratórias, diminui o risco de alergias, diabetes, colesterol alto e hipertensão, leva a uma melhor nutrição e reduz a chance de obesidade. Além disso, o ato contribui para o desenvolvimento da cavidade bucal do pequeno e promove o vínculo afetivo entre a mãe e o bebê".

Posts Relacionados

Abraço, massagem e mais: contato físico pode ajudar a regular o hormônio do estresse

Abraço, massagem e mais: contato físico pode ajudar a regular o hormônio do estresse

Pesquisadores avaliaram os efeitos do contato físico. Toque é importante não só para bebês, mas também para adultos

‘Esquecer’ é tão importante quanto ‘lembrar’ para a longevidade da memória

‘Esquecer’ é tão importante quanto ‘lembrar’ para a longevidade da memória

Professor da UNESP explica que o cérebro não possui um ‘disco rígido’ onde as nossas lembranças são armazenadas

Pipoca é janta? Entenda quando o alimento é considerado saudável e pode ajudar na dieta

Pipoca é janta? Entenda quando o alimento é considerado saudável e pode ajudar na dieta

Fonte de fibras, a pipoca pode ser combinada com outros itens e formar uma refeição. Também é uma boa opção de lanche

Fibromialgia atinge músculos e ligamentos e afeta até 7 vezes mais as mulheres

Fibromialgia atinge músculos e ligamentos e afeta até 7 vezes mais as mulheres

Pacientes com a doença costumam não ser levados a sério. Mulheres têm seis vezes mais chances de desenvolver a síndrome

Como poluição faz meninas menstruarem precocemente

Como poluição faz meninas menstruarem precocemente

Meninas estão entrando na puberdade mais cedo, possivelmente devido à exposição a poluentes atmosféricos

Mulheres vivem mais do que homens, mas com saúde pior, revela estudo

Mulheres vivem mais do que homens, mas com saúde pior, revela estudo

Pesquisa analisou dados sobre as 20 principais doenças causadoras de morte. Resultado mostra influência de fatores biológicos

Cortisol é mesmo o culpado por seus problemas de saúde?

Cortisol é mesmo o culpado por seus problemas de saúde?

"Hormônio do estresse" ganhou fama de vilão, com vídeos nas redes sociais culpando um suposto desequilíbrio hormonal

Sedentarismo e sobrepeso em crianças afetam o desempenho na escola

Sedentarismo e sobrepeso em crianças afetam o desempenho na escola

Os pesquisadores comprovaram a relação dos exercícios físicos com o desempenho cognitivo dos alunos

pt_BRPortuguese