Voltar ao Início

Você está em:

Steve Bannon é condenado a prisão por desacato

Juiz determinou pagamento de multa de US$ 6,5 mil, bem abaixo dos US$ 200 mil pedidos pelo Departamento de Justiça
Picture of Amanda Omura

Amanda Omura

Steve Bannon, um dos principais estrategistas políticos do ex-presidente Donald Trump, foi condenado a quatro meses de prisão por desacato ao Congresso. Com a sentença ele se torna a primeira pessoa a ser detida pelo crime. A acusação, da qual o republicano foi considerado culpado em julho, refere-se à sua recusa em cooperar com a comissão que investiga a invasão do Capitólio por apoiadores de Trump, no dia 6 de janeiro de 2021.

A pena é inferior aos seis meses de prisão pedidos pelos promotores do Departamento de Justiça. Eles também defendiam que Bannon pagasse uma multa de US$ 200 mil (R$ 1,05 milhão), o máximo permitido, mas o juiz federal Carl Nichols determinou o pagamento de multa de US$ 6,5 mil (R$ 33,8 mil). Segundo a sentença, ele só começará a cumprir a pena depois que o pedido de recurso for julgado: a defesa tem 14 dias para se pronunciar, e, se não cumprir esse prazo, Bannon terá que se entregar voluntariamente no dia 15 de novembro.

— Outros precisam ser impedidos de cometer crimes semelhantes — disse Nichols na leitura da sentença.
Apesar de ressaltar a gravidade dos atos de Bannon e de defender a comissão que investiga a invasão do Capitólio, o juiz afirmou que o réu, embora não tenha demonstrado sinais de remorso, cumpriu as determinações dele no processo, o que pode ter ajudado a amenizar sua pena.

Antes da sessão, um dos advogados de Bannon, David Schoen, afirmou que seu cliente "não deveria fazer qualquer pedido de desculpas", uma vez que "não havia nada a ser punido" no caso.

— Esse não é um homem que pensa estar acima da lei — argumentou Schoen, acrescentando que o pedido de recurso a ser apresentado em breve será "à prova de balas".

Em julho, Bannon foi condenado por duas acusações de desacato — apesar de serem considerados crimes leves, com pena máxima de um ano, o processo era uma espécie de teste de como os tribunais americanos vão agir contra aliados de Trump em relação ao ataque à sede do Legislativo, que visou impedir a certificação da vitória eleitoral de Joe Biden.

Posts Relacionados

Fogo avança sem controle na Califórnia

Fogo avança sem controle na Califórnia

Chamas anteciparam temporada de incêndios no estado dos EUA. Ventos e baixa visibilidade tornam esforços para apagar fogo 'inúteis'

G7: líderes de países racham sobre aborto

G7: líderes de países racham sobre aborto

Apoio financeiro à Ucrânia é o principal tema do encontro, na Itália, que tem presença do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky

Acordo autoriza entrada da Ucrânia na Otan

Acordo autoriza entrada da Ucrânia na Otan

Zelensky tem planos para que a Ucrânia entre na Otan já faz tempo, mas com a guerra, perdeu apoio dos países que compõem o grupo

Por que Macron pode dissolver o Parlamento na França?

Por que Macron pode dissolver o Parlamento na França?

A medida ocorreu depois da derrota do partido de Emmanuel Macron para de Le Pen nas eleições do Parlamento Europeu

Temos mais armas nucleares que a Europa toda, diz Putin

Temos mais armas nucleares que a Europa toda, diz Putin

Presidente russo afirmou também estar certo de sua vitória na guerra da Ucrânia, mas disse estar aberto a negociações de paz

Eleições no Parlamento Europeu começam

Eleições no Parlamento Europeu começam

A eleição para o Parlamento Europeu é a segunda maior votação do mundo. Espera-se que a participação neste ano seja a maior da história

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Biden tenta reforçar aliança com europeus

Presidente dos EUA chegou a Paris para participar das celebrações pelos 80 anos do Dia D. Ele se reunirá com o rei Charles III

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Claudia Sheinbaum influencia eleições dos EUA

Presidente eleita assumirá o cargo um mês antes do pleito americano. Biden e Trump duelam para controlar a narrativa sobre migrantes

pt_BRPortuguese